12 pontos sobre como fazer nossas orações serem respondidas
  • CONHEÇA O BUDISMO

12 pontos sobre como fazer nossas orações serem respondidas

A prática budista na SGI começa com um forte desejo de transformar a realidade. A "oração" – seu desejo interno ardente e mais sincero – é a lenha que deve impulsionar a recitação do Nam-myoho-renge-kyo. A recitação é uma alavanca que quando utilizada tendo o Gohonzon como ponto de apoio transforma qualquer situação.


O presidente Ikeda afirma com total convicção: “Sim. Com certeza. O Gohonzon nos capacita a concretizar todas as nossas orações. Elas são seguramente respondidas”. O buda Nichiren Daishonin também diz: “Não obstante, mesmo que alguém errasse ao apontar para o chão, mesmo que alguém unisse os céus, que o fluxo e o refluxo da maré cessassem e que o sol nascesse no oeste, jamais aconteceria das orações do devoto do Sutra do Lótus não serem respondidas”.


Nós mesmos respondemos. A resposta é transformar todo desejo que antes gerava ansiedade e medo em iluminação: confiança, alegria, certeza de vitória. O presidente Ikeda continua: “Quem responde nossas orações? Somos nós — com fé e esforço. Ninguém mais faz isso por nós. Se nossas orações serão ou não respondidas depende de nós. [...] Se e quando nossas orações serão respondidas pode ter vários significados. Mas não há nenhuma dúvida de que nossa vida começa a mudar de forma favorável a partir do momento em que começamos a orar".


Somos livres para orar para aquilo que desejarmos. Por que a “resposta” que nunca falha é gerar valor em qualquer circunstância positiva ou negativa. A “resposta” é a conquista de um estado de vida em que tudo passa a ser motivo de alegria e fonte para aumentar ainda mais a boa sorte.


Recitar Nam-myoho-renge-kyo não é apenas repetição de som. É preciso recitar com fé sincera de que "não há oração sem resposta". A oração funciona quando feita com foco, fervor e postura certas: “Uma atitude vaga e dispersa durante a oração é como atirar uma flecha sem mirar o alvo. Devem orar com forte e apaixonada determinação de tornar real sem falta sua oração. Aquele que pensa ‘Se eu orar, tudo ocorrerá bem’, na verdade está demonstrando apenas um desejo. Uma fervorosa oração — a oração do fundo do coração e com toda a vida — será infalivelmente comunicada ao Gohonzon”, ensina o presidente Ikeda.


A oração é o seu diálogo com a Lei. E o daimoku é a linguagem que a Lei entende e reage perfeitamente. Por isso a oração não precisa ser de lamentação, de reclamação. A oração corresponde ao momento de fusão com a Lei e deve ser realizada solenemente. Dialogar diretamente com a Lei é a grande maravilha descoberta e deixada por Nichiren Daishonin.


Nos seus escritos, Daishonin recomenda que deve-se recitar o Nam-myoho-renge-kyo até sentir alegria no coração. Ele não especifica um tempo para isso, pois depende do foco e da fé da pessoa. Quanto mais alegria se sente ao recitar, mais se recita. A oração correta é tão estimulante e empolgante que não dá vontade de parar.


A oração purifica os desejos, transforma-os em sentimentos sinceros e os converte em energia vital que impulsiona a agir em prol da conquista daquilo que deseja. O resultado de uma oração correta é sabedoria, força e coragem geradas enquanto ora.


O presidente Ikeda afirma: “Não há nada de extraordinário em relação à oração; ela se resume em simplesmente desejarmos algo de todo o coração. O mais importante é o coração. Com relação a isso, é essencial que oremos com profunda fé, respeito e amor ao Gohonzon em nosso coração".


Um líder comentou ao presidente Ikeda sobre pessoas que estavam preocupadas pelo fato de algumas de suas orações não terem sido respondidas. Ele afirmou: "Enquanto continuarmos a recitar daimoku, no final tudo seguirá a melhor direção possível. Isso fica claro quando depois olhamos para trás. Se todas as nossas orações fossem imediatamente respondidas, acabaríamos ficando mimados e decadentes, e passaríamos a viver de forma indolente, evitando o esforço e o trabalho árduo. Nós nos tornaríamos frívolos. Qual seria, então, a questão da fé? A vida é uma sucessão de acontecimentos. Enfrentamos todos os tipos de dificuldades. Assim é a vida. É graças a essa variedade que podemos conduzir uma existência realizada e feliz".


Mais um comentário do líder da SGI: "Se tudo pelo que orássemos se tornasse realidade instantaneamente, seria como uma mágica. Isso vai contra a razão. Não se pode ter arroz cozido simplesmente pondo a panela no fogo sem nenhum arroz dentro. O budismo é bom senso. Ele ensina o caminho correto da fé manifestando-se na vida diária. Uma fé que ignora a realidade não é fé. Isso não existe. Nossos desejos não serão concretizados se não empenharmos um verdadeiro esforço".


Nichiren Daishonin recomenda que independentemente do que aconteça, continue recitando Nam-myoho-renge-kyo. A resposta da oração correta é a alegria profunda de estar recitando. O Gohonzon e a oração fazem brotar energia vital, sabedoria, força e coragem. No ato de recitar você sente alegria e fica no tom, no ritmo harmonioso do próprio universo.


Imagine uma situação que te incomoda, desanima e irrita. Essa reação negativa acontece porque sua fé e determinação estão focadas nessa realidade. A oração correta faz você focar na Lei máxima do universo, que possui máxima energia, sabedoria e força para reverter tudo. Recite daimoku com liberdade e alegria para tudo aquilo que você deseja criando valor mesmo em meio aos problemas e, principalmente, tendo desejos relacionados a um bem-maior que façam você e todos ao redor felizes.



Fonte:

BS, ed. 2.039, 12 jun. 2010, p. A3

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;