12 respostas para você mudar de vez a sua visão sobre carma
  • CONHEÇA O BUDISMO

12 respostas para você mudar de vez a sua visão sobre carma

O ponto inicial da prática budista é a felicidade.

O presidente da SGI, Dr. Daisaku Ikeda, cita: “O budismo de Daishonin revela o caminho para se atingir direta e imediatamente a iluminação de forma que instantaneamente nos descobrimos no pico [da montanha]. Lá desfrutamos pessoalmente a maravilhosa visão com todo o nosso ser e, repletos do desejo de partilhar essa alegria com outros, retornamos para a base e nos dirigimos para a sociedade”.

Sim, é impressionante: mesmo que você comece a praticar na SGI agora, começará do ponto mais alto. Ao recitar Nam-myoho-renge-kyo, você  se descobre no topo da montanha e de lá desce para compartilhar alegria, vencer e incentivar as pessoas.


O carma é em geral interpretado como algo negativo e penoso; a recitação do Nam-myoho-renge-kyo converte a forma de experimentar a vida, e com ânimo você encara tudo com alegria. É uma mudança radical na forma de viver. Os obstáculos não são mais encarados como um peso, fardo nem um carma, e sim oportunidades, benefícios, missão.


O presidente Ikeda afirma: “Interpretar o próprio sofrimento apenas como um carma é decretar o seu próprio retrocesso. Em vez dessa interpretação, se você afirmar que ‘assumo e enfrento estas dificuldades como minha própria missão’ [...] tudo o que acontecer será benéfico para sua vida”.


Quando saboreamos o primeiro daimoku realizado com entusiasmo, não queremos mais parar. Ao recitar diariamente o gongyo, o daimoku, e fazer shakubuku, você continuamente aprimora e amplia seu bem-estar, benefícios e boa sorte. Seu ponto de partida é a felicidade; então contínua e persistentemente segue praticando e aumentando essa alegria. Não há limites.


É. Os 12 milhões de membros da SGI em todo o mundo são prova viva desse feito. E o presidente Ikeda lidera todo esse movimento mundial mostrando na vida dele até onde um ser humano consegue chegar quando se baseia de corpo e alma no Nam-myoho-renge-kyo.


Todos conseguem! Não importa qual seja sua situação atual nem o tamanho da dificuldade, ao recitar Nam-myoho-renge-kyo, você espanta a escuridão. O presidente Ikeda atesta: “Mesmo que neste momento estejamos sofrendo em razão de alguma retribuição cármica, se nos basearmos na causalidade da Lei Mística, manifestaremos imediatamente o vasto estado de buda".


O buda Nichiren afirma que “todos aqueles que mantêm a fé no Sutra do Lótus são com toda certeza budas” e o presidente Ikeda complementa que “todos vocês que estão se empenhando de forma abnegada pela ampla propagação da Lei Mística são budas”.


Existem vários métodos não muito eficazes para transformar a energia cármica acumulada de “negativa” para “positiva”. Uma delas é “acumular boas causas”, mas pense que isso não é nada prático; cedo ou tarde estamos sujeitos a fazer algo que apaga as “boas causas” que fizemos.


O método ensinado na SGI: você ativa sua força máxima e ilumina de uma só vez todas as suas “causas positivas” e “causas negativas” acumuladas transformando-as aqui e agora numa energia “soberbamente positiva”. Resumindo: não importa o que tenha acontecido nem quantas coisas estejam acumuladas, você experimentará a maior das alegrias ao recitar com vigor o Nam-myoho-renge-kyo.


Sim, é isso. Aliás, é mais que isso. O presidente Ikeda diz: “Quando acionamos a grande vitalidade fundamental do universo, que existe em nossa própria vida de forma inata, manifestamos um estado de vida monumental, um poder tão gigantesco quanto o próprio universo”.


O poder do Nam-myoho-renge-kyo é tão vasto que, sim, é capaz de manifestar em você aqui e agora o supremo estado de buda. Quanto mais se convence disso, mais recitará daimoku com alegria. E você não vai provar uma coisa tão boa e parar por aí enquanto há tantas coisas a conquistar; cada vez que recitar será melhor que a anterior.


Sim. A felicidade depende da sua energia vital agora, o ânimo com o qual reage diante dos problemas. Se diante de uma dificuldade você busca culpados, se apequena, se amedronta, então chamamos a situação de “carma”. Mas com o budismo é diferente: diante de um problema, por maior que seja, por mais impossível que possa parecer a solução, você faz do daimoku seu ponto de partida e se agiganta diante dele.


São fatos da vida. Acontece com você e com todos. Simplesmente recomece a batalha. O que importa é continuamente recitar Nam-myoho-renge-kyo, cada vez com mais fé, ânimo, confiança, esperança, coragem. Se você é forte, os fatos da vida são uma missão, o trampolim para o sucesso, motivo de alegria. Se você se enfraquece, mesmo os ventos mais leves lhe assustam, fazem-no elaborar teorias cármicas fantásticas que, por fim, causarão infelicidade e, pior, não mudarão a raiz dos problemas.



Fonte: Com base no BS, ed. 2.284, 31 jul. 2015, p. C2

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;