A transformação de Hamada e Yukiko
  • CONHEÇA O BUDISMO

A transformação de Hamada e Yukiko

Afirmar em alta voz que todos são budas significa acreditar que todos conseguem transformar a vida por completo

Com base na seção Meu bloco, minha alegria — Respostas do romance Nova Revolução Humana para os desafios da vida diária — publicada no jornal Brasil Seikyo. Texto para apoio às atividades na linha de frente da BSGI, principalmente para novos associados. Foram utilizados trechos do capítulo “Triunfo” do volume 4 da Nova Revolução Humana.

Sem privilégios

A SGI existe por completo em cada associado, não há privilégios nem “escolhidos”. Ikeda sensei explica: “O todo está incluso nas partes. Todos os tesouros do universo estão em cada indivíduo. O drama da infinita criação de valor começa com as ações de uma única pessoa. Todos os seres vivos são uma existência preciosa insubstituível”. Ele reafirma: “A Soka Gakkai existe dentro de cada um”.



Presidente Ikeda observa o aspecto confiante do Sr. Hamada na fundação do Distrito Matsue, no Japão


Confiança em cada pessoa

Afirmar em alta voz que todos são budas significa acreditar que todos conseguem transformar a vida por completo. É crer e agir encorajando pessoa por pessoa, sem distinção. Na Nova Revolução Humana, volume 4, aprendemos com a história de Gensuke Hamada e sua esposa, Yukiko.


“Hamada conseguiu estabelecer sua própria empresa chegando a empregar cerca de trinta funcionários. Foi uma das pessoas mais bem-sucedidas em sua cidade. Contudo, quando seus negócios já tomavam um bom rumo, ele começou a cair na boemia. Hamada saía todas as noites dizendo que tinha ‘compromissos de negócios’ e frequentemente pernoitava fora de casa.”


Brigas com a esposa

Yukiko ficava cada vez mais desconfiada e infeliz; as brigas eram constantes e reinava discórdia e desarmonia familiar: “A angústia de Yukiko lhe causava palpitações e dificuldade respiratória toda vez que anoitecia. Era como se tivesse alguma coisa entalada na garganta, o corpo se enrijecia e seu rosto ficava acinzentado. Quando procurou um médico, foi constatada neurose.”


Início da transformação

O marido a acusava de fingimento e a doença dela só piorava. Uma amiga lhe falou da Soka Gakkai e ela iniciou a prática com forte desejo de ser feliz se dedicando intensamente no shakubuku e no daimoku. A esperança brotou no coração. O Sr. Hamada se tornou membro mas não fazia gongyo nem participava de nada, e as saídas noturnas continuavam; Yukiko caiu novamente em desespero:


“Quando era dominada pela ansiedade sentia pena de si mesma e, tomada por uma profunda depressão, passava dias se condenando e pensando somente em morrer. Num certo dia, escondeu-se no armário e tentou se suicidar cortando a língua com uma navalha. Felizmente, sua família descobriu a tempo e ela escapou da morte.”


Ponto de mutação

Yukiko tentou se matar mais duas vezes, tomada de ansiedade, até ser diagnosticada com esquizofrenia, alucinações e não falava mais coisa com coisa:

“Mesmo assim recitava Nam-myoho-renge-kyo com a determinação de superar o seu sofrimento.”


Em dez dias ela recobrou a lucidez. Após cem dias de internação, deixou o hospital totalmente curada. Hamada despertou de vez para a prática budista e fazia gongyo, daimoku e visitas. O lar se tornou radiante e caloroso: “Os vizinhos, perplexos com essa transformação, comentavam: — Hamada deixou totalmente as farras e sua esposa transpôs a doença. Eles brigavam tanto, mas agora parecem que estão se dando muito bem. Será que foi graças à religião?”.


Daisaku Ikeda se encontrou com Hamada. Este era responsável de comunidade, porém não se sentia à vontade em ser líder já que não tinha escolaridade e ainda possuía um passado vergonhoso. O presidente Ikeda lhe ofereceu uma tangerina e disse:

“— Sr. Hamada, vamos viver juntos pelo kosen-rufu. O valor de um homem não se determina apenas pelo seu grau de escolaridade ou posição social. Se o senhor polir sua personalidade, todos os membros da Gakkai da comunidade irão apoiá-lo.”


Nova vida

O respeitoso encorajamento tocou fundo no coração de Hamada. Ele colocou a tangerina no oratório, orou com lágrimas nos olhos, reuniu os líderes de bloco e a repartiu com todos. Dali em diante, se empenhou de corpo e alma e sua comunidade se tornou um próspero distrito com mais de 7 mil famílias. Numa visita à família, Ikeda sensei disse a Yukiko:

“— A senhora deve ter sofrido bastante. Mas não precisa mais se preocupar. Seu marido será certamente um excelente responsável de distrito. Isso é fruto de sua convicção e é sua vitória!”


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.383, 12 ago. 2017, p. A7
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;