Carma, como transformá-lo?
  • CONHEÇA O BUDISMO

Carma, como transformá-lo?

Uma nova maneira para encarar a vida

O objetivo do budismo é fazer com que todos possam atingir uma genuína e inabalável felicidade, chamamos esse estado de espírito de “buda” ou “iluminação”. Para atingir essa condição, Nichiren Daishonin, o buda original, propõe como caminho a transformação do próprio destino por meio da recitação do Nam-myoho-renge-kyo.

Quando saboreamos o primeiro daimoku realizado com entusiasmo, não queremos mais parar. Ao recitar diariamente o gongyo, o daimoku, você continuamente aprimora e amplia seu bem-estar, benefícios e boa sorte. Seu ponto de partida é a felicidade; então contínua e persistentemente segue praticando e aumentando essa alegria. Não há limites.

Sobre isso, o presidente da SGI, Dr. Daisaku Ikeda, diz: “[...]O budismo de Daishonin revela o caminho para se atingir direta e imediatamente a iluminação de forma que instantaneamente nos descobrimos no pico [da montanha]. Lá desfrutamos pessoalmente a maravilhosa visão com todo o nosso ser e, repletos do desejo de partilhar essa alegria com outros, retornamos para a base e nos dirigimos para a sociedade” (BS, ed. 1.332, 19 ago 1995, p. 3).

Na prática isso significa uma mudança radical na forma de viver. Os obstáculos não são mais encarados como um peso, fardo nem um carma, e sim oportunidades, benefícios, missão, assim como o presidente Ikeda afirma: “Interpretar o próprio sofrimento apenas como um carma é decretar o seu próprio retrocesso. Em vez dessa interpretação, se você afirmar que ‘assumo e enfrento estas dificuldades como minha própria missão’ [...] tudo o que acontecer será benéfico para sua vida”.

O carma é em geral interpretado como algo negativo e penoso; a recitação do Nam-myoho-renge-kyo converte imediatamente a forma de experimentar a vida, e com ânimo você encara tudo com alegria.

Não importa qual seja sua situação atual nem o tamanho da dificuldade, ao recitar Nam-myoho-renge-kyo, você espanta a escuridão e faz imediatamente nascer em você o sol da felicidade.

Existem vários métodos para transformar a energia cármica acumulada de “negativa” para “positiva”. Uma delas é “acumular boas causas”, ou seja, fazer, fazer e fazer coisas na expectativa de que isso se acumule e um dia se converta em benefício. Quem pensa assim corre o risco de ignorar a importância do momento presente e termina por não se incomodar em viver infeliz e iludido de que a felicidade aparecerá um dia. Porém, ao recitar o daimoku, você ativa sua força máxima e ilumina de uma só vez todas as suas “causas positivas” e “causas negativas” acumuladas transformando-as aqui e agora numa energia “soberbamente positiva”.

E os problemas que porventura apareçam? Felicidade não precisa depender dos problemas. Depende da sua energia vital, o ânimo com o qual reage diante dos problemas. Ao recitar o Nam-myoho-renge-kyo, sua energia será máxima e qualquer problemão não será páreo para você. É uma vida de tamanha autonomia que você chega a dizer: “Ué, cadê, onde estão mais problemas?”.

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;