Causas passadas não mudam o futuro
  • CONHEÇA O BUDISMO

Causas passadas não mudam o futuro

A causalidade da Lei Mística é uma nova visão otimista e reveladora sobre a lei causa e feito

O Buda Nichiren Daishonin, ao revelar o Nam-myoho-renge-kyo, demonstrou de forma prática e eficiente uma nova visão sobre a lei de causa e efeito.


Mas por que "nova visão"?

Porque existem outras visões sobre causa e efeito, baseadas na ciência, nas religiões, nos ensinos budistas e não budistas. O “renge”, conforme apresentado por Nichiren Daishonin, é caracterizado pela simultaneidade de causa e efeito [causalidade da Lei Mística]. A “lei geral de causa e efeito” — que não é a lei do Budismo Nichiren — é caracterizada por um intervalo que separa a causa do efeito. Por isso, não é capaz de conduzir à iluminação ou muito menos realizar a transformação cármica.


A flor de Lótus

O “renge” é representado pela flor de lótus cujas pétalas e cujo receptáculo (que contém o fruto) se abrem ao mesmo tempo. O fruto é produzido no mesmo instante (simultaneamente) em que a flor desabrocha. Isso representa a causa e o efeito, que ocorre ao mesmo tempo. E o mais importante: acontece no presente.


O passado não muda o futuro

Pode parecer óbvio, mas uma pessoa falha em transformar seu carma quando suas ações estão baseadas na ideia de que o passado muda o futuro. O passado não existe mais, e o futuro não aconteceu. Logo, ela fica "no ar", à mercê das mudanças da realidade, alheia a tudo. Agindo assim, a pessoa a vive de maneira descrente, sendo jogada de um lado para o outro, dominada por um sentimento de impotência diante da vida.


Entre causa e efeito não há intervalo

Uma pessoa que fica se remoendo pelo passado e ansiosa pelo futuro é alguém que acredita que o passado muda o futuro. É alguém que acredita que entre a causa e o efeito há um intervalo. Outro exemplo é o de uma pessoa que busca salvação fora de si mesma (orar e esperar o resultado aparecer) e também tem como característica não acreditar no presente.


“Ao elevarmos nosso estado de vida no presente, as causas negativas que fizemos no passado são transformadas em positivas. Não há necessidade de ficarmos prisioneiros do passado; de fato, podemos até mesmo mudar o passado.”


Oração com fé no presente muda o passado e o futuro

“Ele [Josei Toda] disse: ‘[...] Por meio da oração, conseguimos passar uma borracha nas causas e nos efeitos do passado e revelar nossa verdadeira identidade como pessoas comuns iluminadas desde o tempo sem começo’. Não importa o que tenha acontecido no passado nem o que está acontecendo agora, nós podemos fazer uma nova causa no presente — uma verdadeira causa embasada na Lei Mística, que é a causa mais forte de todas — e redirecionar o curso atual de nossa vida.”


Transformar tudo definitivamente!

“As causas passadas não governam o futuro. Quem manda no futuro é o presente. Nichiren Daishonin ressalta que, sejam quais forem as causas cármicas passadas, podemos construir um futuro brilhante por meio das causas que fazemos agora. É nesse aspecto que encontramos o verdadeiro valor do Budismo Nichiren. O propósito de Daishonin ao explicar o carma é mostrar que podemos transformá-lo definitivamente.”


O Budismo Nichiren não é fatalista

A intenção de Nichiren Daishonin, ao explicar sobre a lei de causa e efeito e o carma, é apresentar um meio prático de transformação da nossa realidade por meio da manifestação do estado de buda. Todos têm o estado de buda; a questão é como manifestá-lo na vida real, e o mais importante: agora!


Vamos raciocinar

O objetivo é transformar. Se a “lei geral de causa e efeito” for a base da nossa vida, a transformação será impossível. Exatamente por isso ela não corresponde à visão de Nichiren Daishonin, porque só conduz a um pensamento pessimista e não transforma. Então, o que fazer?!


A causalidade da Lei Mística

A resposta de Nichiren Daishonin é a causalidade da Lei Mística. O presidente Ikeda explica: “A ‘causalidade para atingir o estado de buda’ implica eliminar o mal fundamental e manifestar com vigor o estado de buda — a nona consciência — que existe na essência da vida. Esta é a ‘causalidade da Lei Mística’, implícita no Sutra do Lótus; ou seja, no Nam-myoho-renge-kyo".


Como funciona a causa e efeito da Lei Mística?

O presidente Ikeda disse: “Mesmo que neste momento estejamos sofrendo devido a alguma retribuição cármica, se nos basearmos na causalidade da Lei Mística, manifestamos imediatamente o vasto estado de vida de buda. Isso quer dizer que só podemos transformar realmente nosso carma por meio da Lei Mística da simultaneidade de causa e efeito”.


Como viver essa lei na prática

O presidente Ikeda continua: “Nichiren Daishonin esclarece o tipo de prática budista que nos possibilita realizar causas positivas fundamentais. Essa prática não é outra senão o shakubuku (...) um ato que incorpora a causalidade da Lei Mística e que nos permite transformar o carma.”


Quando nos munimos da “coragem de um leão”, praticamos com a mesma postura que Nichiren Daishonin e nos empenhamos intrepidamente para propagar o ensino correto, manifestamos de nosso interior um estado de Buda idêntico ao que foi manifestado por ele.


É shakubuku!

“‘Se Nichiren está fazendo a mesma causa que o Bodisatva Jamais Desprezar, como seria possível ele não se tornar um buda igual a Shakyamuni?’, pergunta-se Nichiren Daishonin pelo bem dos discípulos. A frase indica o princípio da inseparabilidade de mestre e discípulo. Em outras palavras, nós também podemos, infalivelmente, atingir o estado de buda se seguirmos o exemplo do buda Nichiren e triunfarmos sobre nossas adversidades, e mantivermos firmemente a prática do shakubuku: refutar o errôneo e revelar o verdadeiro".


Quando nos munimos da “coragem de um leão”, praticamos com a mesma postura que Nichiren Daishonin e nos empenhamos intrepidamente para propagar o ensino correto, manifestamos de nosso interior um estado de buda idêntico ao que foi manifestado por ele.


Causalidade de mestre e discípulo

O presidente Ikeda avança no tema e apresenta a “causalidade de mestre e discípulo” — ter a mesma conduta que o Mestre — como a chave para a transformação do carma. “É natural que nossa vida pareça bem diferente da vida de um grande predecessor como Nichiren Daishonin. Isso é perfeitamente lógico já que somos indivíduos diferentes, cada um com as próprias circunstâncias, personalidade, capacidades e subjetividade. No entanto, se fizermos o mesmo tipo de causa que os corajosos devotos do Sutra do Lótus do passado realizaram, ou seja, se mantivermos o mesmo curso de ação e a mesma prática que eles, poderemos obter os mesmos efeitos ou resultados. Esta é uma forma de ver a causalidade baseada no caminho do mestre e do discípulo”.


O caminho para se atingir a iluminação

O presidente Ikeda ensina: “Embora os discípulos se sintam totalmente diferentes do mestre em termos de sabedoria e de benevolência, enquanto mantiverem o mesmo compromisso, os mesmos ideais e esforços abnegados que o mestre, poderão, sem falta, desfrutar um estado de vida tão sublime e vasto quanto o do mestre. Este é o caminho para atingir a iluminação com base na unicidade de mestre e discípulo que pulsa no Sutra do Lótus".


Fonte: 
Terceira Civilização, ed. 511, 19 mar. 2011, p. 52
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;