Daimoku de fé e de prática (segunda parte)
  • CONHEÇA O BUDISMO

Daimoku de fé e de prática (segunda parte)

Recitar o Nam-myoho-renge-kyo corretamente produz um desejo natural de ensiná-lo aos outros

Pergunta: Em que circunstâncias Nichiren Daishonin recitou o Nam-myoho-renge-kyo pela primeira vez?

Resposta: Em 28 de abril de 1253, Nichiren Daishonin revelou pela primeira vez para toda a humanidade que o Nam-myoho-renge-kyo é a essência do Sutra do Lótus e o único ensinamento capaz de conduzir as pessoas à iluminação. Declarou também que nenhum dos ensinos pré-Sutra do Lótus revelavam a iluminação do Buda e que todas as escolas que se baseavam nesses ensinos eram desencaminhadoras.


Esta declaração provocou a ira dos principais líderes religiosos e governantes daquela época que iniciaram uma série de perseguições contra Daishonin por toda a sua vida. Com sua ilimitada benevolência, Daishonin propagou a chave para todas as gerações futuras desvendarem o tesouro da iluminação oculto em seu coração.


Pergunta: Poderia citar alguns escritos que enfatizam a importância do daimoku?

Resposta: Em inúmeras ocasiões ele encoraja os seus discípulos sobre a força e importância da recitação do daimoku. Selecionamos abaixo algumas frases douradas de seus escritos:

• “Qual é a diferença entre os benefícios recebidos quando um sábio recita daimoku e quando nós o recitamos? Não existe diferença nos benefícios do daimoku. O ouro é o mesmo, seja nas mãos de um tolo ou de um sábio. Nem o fogo é diferente simplesmente porque é feito por um tolo ou um sábio. Contudo, existirá uma diferença caso recitarem daimoku opondo-se ao espírito do Sutra do Lótus.”


• “Se a benevolência de Nichiren for realmente grande e abrangente, o Nam-myoho-renge-kyo propagar-se-á por dez mil anos e mais, por toda a eternidade, pois este possui o poder benéfico para abrir os olhos cegos de todos os seres vivos do Japão e bloqueia a estrada que leva ao inferno de incessante sofrimento."


A prática da fé adequada

O presidente da SGI, Dr. Daisaku Ikeda, declarou: “Apenas recitar daimoku ainda não caracteriza exatamente uma prática da fé adequada à época. Para ser realmente adequada ao momento, não há outra prática senão realizar o shakubuku”.


Por quê?

Nichiren Daishonin, diferentemente das escolas budistas de sua época, deixou claro que a prática budista não consiste na veneração a uma divindade ou a um buda específico. Sua visão é fundamentada no Sutra do Lótus. A simples recitação do Nam-myoho-renge-kyo pode ser confundida por algumas pessoas como um ato de veneração, mas não é.


Daimoku

Quando recitado com a fé correta, o daimoku produz resultados extraordinários. Lembrando que daimoku consiste em recitar e propagar.


Daimoku de fé

Relembrando este importante conceito, o presidente Ikeda orienta que “Há dois aspectos da recitação do daimoku no Budismo Nichiren: o daimoku de fé e o daimoku de prática. O primeiro se refere ao aspecto espiritual de nossa prática. Consiste, essencialmente, na luta que travamos em nosso coração contra a escuridão ou a ilusão intrínseca, ou seja, uma batalha contra as forças negativas e destrutivas que existe em nós. Essa batalha implica romper a escuridão que envolve nossa natureza de buda e fazer surgir, mediante a força da fé, o estado de buda”.


Daimoku de prática

“O daimoku de prática, por sua vez, refere-se à recitação do Nam-myoho-renge-kyo e à transmissão da Lei a outras pessoas. Essa prática implica empenhar esforços por meio de palavras e ações pela felicidade de si mesmo e a dos outros como evidência de nossa luta espiritual contra a negatividade e a ilusão”.


Fé e oração

Recitar o Nam-myoho-renge-kyo corretamente produz um desejo natural de ensiná-lo aos outros. A naturalidade para ensinar o budismo para outras pessoas surge da compreensão correta da fé, do daimoku e do benefício.


No Budismo Nichiren, fé é acreditar que você é um buda. Ou seja, as ações embasadas na consciência de que a Lei do Myoho-renge-kyo existe dentro de sua vida.


Fé não é acreditar no Gohonzon e esperar por salvação sem mudar seu coração ou sua mente. Fé é a disposição de viver como um Buda. E ensinar o budismo aos demais é o resultado prático da fé correta.


Portanto, daimoku envolve a fé, a recitação do Nam-myoho-renge-kyo e a ação focadas na prática do shakubuku.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 1.852, 22 jul. 2006, p. A6 
Brasil Seikyo, ed. 2.135, 16 jun. 2012, p. A4
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;