E a tal da realidade?!
  • CONHEÇA O BUDISMO

E a tal da realidade?!

O budismo ensina o caminho para cada um se tornar indispensável onde vive e atua

Domingo à tarde. Depois de um fim de semana empolgante, cheio de novidades, vem à boca o sabor da vitória e a sensação de contentamento.

Mas o “estraga prazer” chega para você e orienta: “É! Mas amanhã, segunda-feira, você terá de enfrentar a realidade”. E a alegria foge acelerada sem olhar para trás. Quem é essa tal de “realidade” que tanto puxa para baixo a empolgação de viver?


Do ponto de vista do budismo, as coisas são bem diferentes. Um belo princípio chamado “fusão da realidade e da sabedoria” ensina a fé correta para você viver na certeza de que se agora está bom, amanhã tudo estará ainda melhor!


A instabilidade e ansiedade que o futuro causa a alguns vem do desconhecimento de que neste momento “eu sou um bodisatva da terra! Eu sou um buda”. Quem não tem sabedoria para entender e sentir isso, vive tenso com a possibilidade de amanhã o problema de hoje se repetir (ou piorar).

Se você é um buda, tem o poder transformador de um buda. Tem a convicção, a fé, a imponência e a capacidade de vencer de um buda. Então, qual é o medo? Na mente de um buda não há medo, não há ansiedade nem desânimo. Qualquer que seja a situação amanhã, sentirei alegria e acharei saídas.


“O presidente Toda dizia que realidade significa o mundo objetivo e sabedoria, o mundo subjetivo. Ele não usava esses termos num sentido dualístico e ocidental. Ao contrário, seu comentário era baseado na unidade essencial dos reinos do objetivo e do subjetivo”, explica o líder da SGI.

Isso quer dizer que na realidade (na essência) somos budas do jeito que somos. Por meio da sabedoria, percebemos isso e nos tornamos excelentes pessoas no local que vivemos e atuamos.


“O Sr. Toda dizia frequentemente: ‘Se ser um marceneiro é sua realidade, então trabalhar arduamente para fazer seu negócio prosperar é a manifestação da fusão da realidade e da sabedoria. A missão, ou caminho de vida, é a realidade da pessoa, e é a luz da sabedoria que faz essa realidade brilhar. A fusão perfeita de realidade e sabedoria em nossa vida significa nos tornarmos indispensáveis onde quer que estejamos”, cita o presidente Ikeda.

Não manifestar sabedoria para perceber que somos budas é ficar à deriva, achando que a realidade da vida é assim mesmo, “é nosso carma” etc.


Mas ter uma sabedoria assim é coisa rara no mundo atual. Por isso, Daishonin ensinou que a fé tem o mesmo poder da sabedoria. Portanto, ter fé no Gohonzon, recitar com alegria o Nam-myoho-renge-kyo e ensiná-lo para as outras pessoas são, em si, o estado de buda.

“Em essência, todos são budas. Essa é a nossa realidade. É a luz da sabedoria que faz brilhar o estado de buda em nossa vida. Nosso estado de buda começa a brilhar quando temos a sabedoria para perceber que somos budas”, assegura o presidente Ikeda.


A “outra” realidade, aquela do “estraga prazer”, está inspirada em conceitos e princípios parciais e, por isso, levam, no máximo, à ansiedade por uma felicidade que nunca chega e desejos jamais satisfeitos.

Fundir realidade com sabedoria é, na prática, recitar daimoku sem dúvidas, sem medo de nada; e fazer shakubuku com orgulho de si mesmo e propagar, feliz, o Gohonzon e o Ikeda sensei.


Perceba que o Mestre não dá margem para lamentação ou ansiedade. Ao contrário, afirma que você vai vencer. É essa poderosa energia que devemos considerar como nossa “realidade”. Não perca tempo com outras!

Sobre as adversidades, o preidente Ikeda ensina o poderoso estado de vida que vence dificuldades: “Ergam-se e enfrentem as ondas de infortúnios que os ameaçam com a determinação de que agora é o momento de transformar o meu destino!”

Portanto, vamos viver com alegria e fidelidade à “realidade da unicidade de mestre e discípulo”.



Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.189, 20 jul. 2013, p. A4

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;