Estamos falando sobre um novo humanismo
  • CONHEÇA O BUDISMO

Estamos falando sobre um novo humanismo

A felicidade na SGI não é um estado de contemplação mas uma felicidade irreprimível

Filosofia na prática

A Soka Gakkai é a rainha do mundo espiritual, a organização que aplica em meio ao povo a profunda filosofia do budismo. É a organização de pessoas dedicadas à elevação do estado de vida de si e do planeta.


O presidente Ikeda afirma que a SGI “atua obstinadamente para o povo e junto ao povo para iluminar a vida de cada pessoa e extinguir a escuridão do caos e da desordem”.


Cada um é insubstituível

A forma de atuar dos membros da SGI é cuidar de cada pessoa tratando-a como única e importante. Todos devem ser respeitados e incentivados até manifestar o máximo do seu potencial. A Soka Gakkai nasceu com a missão de fortalecer a pessoa já que cada uma encerra em si o universo. Cuidar de um é cuidar de todos. E, o contrário, desprezar uma pessoa é ignorar o mundo inteiro.


O presidente Ikeda orienta que fé é a chama no nosso coração que jamais despreza alguém. Há dignidade em você da mesma forma que há dignidade em cada ser. Ter fé é acreditar nisso e atuar para que todos também acreditem.


Perder a fé é deixar seu coração se sujar com negatividade de si mesmo ou alheia e deixar evaporar a certeza de que todos são budas. Manifestar a iluminação é perceber agora a fantástica força vital em todos.


A única do mundo

A SGI é a única organização mundial que capacita seus membros a vivenciarem plenamente o budismo. A felicidade na SGI não é um estado de contemplação mas uma felicidade irreprimível interna aliada a ações externas que visam espalhar, pessoa por pessoa, essa mesma alegria.


Iluminação inclui a responsabilidade pessoal de iluminar a todos, um por um. Por isso, muitos intelectuais, sábios e pessoas de bem elogiam o poder de transformação pessoal e social dos membros da SGI.


Intelectuais do mundo

O presidente Ikeda comenta: “Muitos intelectuais do mundo têm profunda simpatia pela SGI que põe em prática o espírito do bodhisattva do budismo mahayana. Um deles é o Dr. Lou Marinoff, presidente-fundador da Associação Americana de Praticantes da Filosofia, com quem publiquei junto uma coletânea de diálogos".


Humanismo secular

Filosofia sem ação é ineficaz para a transformação do mundo. Ação sem uma profunda filosofia é arriscada porque gera fanatismo. Na SGI, aplicamos no cotidiano a profunda filosofia milenar do budismo e dos três mestres. Aprendemos que estado de Buda é alcançado em meio à luta pela transformação social e pessoal. Não existem budas egoístas que se vangloriam da sabedoria e não se envolvem com o povo.


Budismo é ação

“A ação é a essência do Budismo Nichiren. Como praticantes desta filosofia, transformamos nossos problemas e sofrimentos em fonte de benevolência e sabedoria para encorajarmos os companheiros. Transformamos até o nosso carma em missão para buscarmos o caminho da revolução humana — o mais difícil e fundamental desafio da transformação interior — e procuramos inspirar os outros a fazer o mesmo.”


Como agir?

Se a ação é o mais importante, como age um budista? Budista é quem incorpora no comportamento diário o espírito de shakubuku que significa ver alegremente a si mesmo e a todos como entidade vital única. Um membro da SGI age até que todos à sua volta sintam o mesmo.


As pessoas!

Portanto, sem as pessoas um budista não tem o que fazer com sua iluminação e jaz no egoísmo. As pessoas, sempre as pessoas. Cada uma delas é única porque proporciona a você a maior das alegrias: compartilhar o Nam-myoho-renge-kyo.


Nunca abandone alguém

A SGI ensina a mudança completa do paradigma atual da humanidade: das pessoas como objeto para as pessoas como únicas. Ao praticar essa filosofia da dignidade da vida, cada encontro e cada relacionamento brilham cheios de oportunidades. Cada pessoa torna-se um oásis de aprendizado. Você e o outro tornam-se o próprio budismo.


As pequenas reuniões

“É por isso que prezamos absolutamente cada pessoa. Valorizamos cada encontro de vida, como os diálogos de pessoa a pessoa ou as pequenas reuniões em que se estuda o budismo ou pessoas se encorajam mutuamente. Estamos construindo uma comunidade em que prevalece a igualdade, transcendendo todas as diferenças como as de etnia, gênero e geração”, explica o presidente Ikeda.


Diálogo sincero

Se cada pessoa é rica em vida e encerra um enorme potencial, o diálogo é a maior fortuna humana. O budismo acontece e vive no diálogo. As reuniões pequenas iguais às reunião de palestra nos blocos são o local perfeito da iluminação e da transformação.


“É nesse tipo de diálogo próximo, em que as pessoas ficam diante umas das outras e estabelecem entre si uma significativa relação de empatia, que se formam os elos de confiança que ultrapassam todos os tipos de diferença e inspiram o mútuo desenvolvimento” (Lou Marinoff).


Os autoritários

Os autoritários, ao contrário, preferem grandes plateias porque podem encenar humanismo sem criar envolvimento.


O presidente Ikeda afirma com todas as letras que o espírito de shakubuku praticado pela SGI em meio ao povo é o novo humanismo a inspirar e conduzir o mundo à paz.


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.172, 23 mar. 2013, p. A4
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;