Família feliz, família produtiva
  • CONHEÇA O BUDISMO

Família feliz, família produtiva

Criar uma família harmoniosa por meio da fé é a eterna diretriz da SGI

Todos querem uma felicidade duradoura. Essa durabilidade existe quando a felicidade é construída sob a sólida base das Cinco Diretrizes Eternas da Soka Gakkai. São elas que sustentam a boa sorte e a condição de vida elevada.


As Diretrizes servem para a pessoa não perder o foco, ao mesmo tempo em que manifesta sabedoria, energia vital e boa sorte para construir o que é essencialmente importante.


A primeira Diretriz

Prática da fé para criar harmonia familiar significa ações sábias para conquistar a felicidade da família.

Lar - o castelo da paz e da felicidade

Quem recita o Nam-myoho-renge-kyo e se empenha em prol do da paz e da prosperidade das pessoas tem tudo para construir um lar harmonioso e plenamente feliz. O presidente Ikeda afirma: “Como é maravilhoso ter o som da Lei Mística reverberando dentro da nossa casa. A forte fé é como um poderoso ímã, atraindo a boa sorte ‘de dez mil milhas de distância’. Ela age como uma defesa impenetrável que afasta toda a falta de sorte. Com essa convicção, por favor, tornem seu lar o castelo da paz e da felicidade”.


Família Ikegami

No escrito Carta aos Irmãos, o buda Nichiren Daishonin explicou a fórmula para conquistar a harmonia familiar com o exemplo dos irmãos Ikegami. Durante mais de 20 anos, o pai deles era contra a prática do Budismo Nichiren. Porém, com base na prática sincera e no desejo de realizar o kosen-rufu, eles conquistaram a harmonia familiar e o pai, que era tão contrário ao budismo, tornou-se discípulo de Nichiren Daishonin.


Sem retroceder

As raízes da felicidade se encontram na família, pois a boa sorte é cultivada em casa. Um lar sólido é construído de acordo com valores elevados, garantindo que não haja retrocesso e que a pessoa avance continuamente.

Outro ponto essencial é a gratidão. Ter gratidão pela família permite que você seja grato por todas as outras pessoas. Essa gratidão é expressa nos pequenos atos no cotidiano familiar. Porém, quando a gratidão não é manifestada, pode gerar a desarmonia familiar.

Aquele que não sente benevolência por seus familiares é incapaz de sentir por qualquer outra pessoa. De uma forma ou de outra, é na família que se origina a existência de todo ser humano. Reconhecer isso deve ser motivo de gratidão e benevolência.


Harmonia vem da ação corajosa

Não basta orar e esperar que a harmonia familiar aconteça. Não existem soluções mágicas. É preciso orar com seriedade e paixão pelo kosen-rufu e ter o comprometimento de agir de acordo com essa oração. A harmonia familiar vem da transformação do coração de pelo menos um membro da família. E deve começar conosco.

A harmonia familiar surge quando o desafio é enfrentado, mudando a si mesmo e fazendo do próprio coração a fonte de harmonia. O presidente Ikeda incentiva: “A realidade é rigorosa. O pior é evitar as responsabilidades. Pensar que as coisas darão certo de alguma forma só porque estamos praticando significa tirar vantagem da prática da fé. Após orarmos para algum objetivo, precisamos nos empenhar ao máximo para concretizá-lo. Essa é a verdadeira fé”


Todo problema tem solução

Ele continua: “Todas as famílias passam, num maior ou menor grau, por sofrimentos e dificuldades, e é exatamente em ocasiões assim que a força da família é testada. Para uma família possuidora do remédio eficaz da Lei Mística, não há em absoluto nenhum problema que não possa ser vencido. (...) A chave encontra-se numa pessoa que se levanta sozinha, conseguindo, assim, conduzir seus familiares para a vitória e a felicidade".


Familiares não praticantes

Há muitos casos em que os demais familiares não praticam o Budismo Nichiren. O que fazer? O presidente Ikeda ensina: “Não há nenhuma necessidade de se preocuparem nem de ficarem ansiosos por causa disso. Pois, se nos levantarmos com seriedade e convicção na prática da fé, conduzimos nossos familiares e parentes na direção da felicidade e da esperança”.

“Não há absolutamente nenhuma necessidade de os familiares discordarem em relação à fé. Espero que tenham uma sabedoria tolerante, que orem e se empenhem para criar, com paciência e firmeza, uma família harmoniosa em que sejam abundantes a boa disposição e os risos alegres”.


Questões da vida

As pessoas praticam o budismo pelo desejo de transformar os problemas. Existem questões como um filho que se recusa a ir à escola; conflitos conjugais; um membro da família que adoece. Tudo isso existe para que se possa progredir.

Num casamento, por exemplo, há conflitos e questões que precisam ser ajustadas ao longo do tempo. Porém, há quem diga que 99% dos casamentos não seja bem-sucedido, em virtude dos problemas do cotidiano. Sobre isso, o presidente Ikeda explica: “De fato, muitas famílias que aparentam estar bem têm na verdade inúmeros problemas. O ensaísta francês Montaigne disse: ‘Não há menos tormento na administração de uma família do que de um Estado inteiro`. Ter energia para discutir é sinal de boa saúde! Quando, num relacionamento, duas pessoas têm a mesma condição de vida, é natural que entrem em conflito de vez em quando”.


Amplo estado de vida

Ele continua: “Porém, se um lado começar a achar que o outro é infantil e não sabe nada, ambos terão provavelmente sérios confrontos, pois seu estado de vida é muito diferente. Seria maravilhoso se vivêssemos com alegria, desfrutando a vida a tal ponto de considerar os resmungos de nosso parceiro como sinal de boa saúde e prova de que ainda está ativo. Quando desenvolvemos um amplo estado de vida, até mesmo o som desagradável de uma crítica soa como o doce canto de um pássaro”.


A benevolência na família

O presidente Ikeda conclui: “O que importa é o amor, a benevolência. Compreendendo isso, tudo que temos a fazer é recitar o daimoku visando a um supremo objetivo e empenharmo-nos pela verdadeira felicidade".


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 2.093, 23 jul. 2011, p. A6
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;