Nam-myoho-renge-kyo provoca um ''furacão de vitórias''
  • CONHEÇA O BUDISMO

Nam-myoho-renge-kyo provoca um ''furacão de vitórias''

Daimoku existe para arrancar na raiz as correntes do carma. É a oração da transformação real da família e da sociedade

Mova o universo!

A fé no Gohonzon é o megafone que amplifica sua voz ao recitar o Nam-myoho-rengue-kyo e o espalha pelo universo inteiro.“Assim como uma voz suave se transforma numa voz estrondosa pelo uso de um bom megafone, quando recitamos Nam-myoho-renge-kyo com sinceridade, movemos todo o universo”, assegura o presidente Ikeda.


Furacão arrasador

Daimoku é assim mesmo: deve ser feito com tal vigor que sopra para longe a negatividade e transforma a realidade. Quem recita daimoku como passatempo ou mecanicamente faz “uma oração fraca, vaga e sem convicção”. O Dr. Ikeda recomenda: “Como bons veteranos e novatos e bons amigos, incentivem-se mutuamente e com força e radiância provoquem um novo ‘furacão de vitórias’!”.


Fé indestrutível

A correta “postura de fé” é orar com ânimo e entusiasmo convencido de que a oração tem de mudar a realidade e por isso deve ser feita com atitude mental e pensamento firmemente concentrados.

Ore com a mesma força e foco de uma flecha em alta velocidade que atinge o ponto central de um alvo.


Mente renovada

Recitar daimoku abrange duas atitudes: (1) não ter dúvida de que o daimoku resolve tudo; (2) não ter dúvida de que a resposta depende da força da minha fé.


Ciclo da felicidade

É cíclico: quanto mais aumento minha confiança no daimoku, mais oro, mais sinto alegria em estar ali, mais faço a realidade mudar e mais contagio com minha alegria os amigos e os familiares. É um ciclo que se expande, se repete e aumenta.

Tenha certeza: todo daimoku feito corretamente tem resposta. E a resposta não são “coisas”, mas é o enriquecimento do coração que é a maior força do mundo e a fonte de tudo, de todas coisas.


Mudar o destino

Não se ora apenas para “se sentir bem”: isso ainda é egoísmo. Daimoku é feito para arrancar na raiz as correntes do carma. É a oração da transformação real da família e da sociedade.

Então, recite daimoku do jeito certo, conforme o Buda ensina: convicto de que não há oração sem resposta.


Não recue!

Não caia no “conto do vigário” dos derrotados que tentam convencer que “não tem jeito” ou que “está difícil mas podia estar pior”: isso é a própria escuridão fundamental.

Na hora de enfrentar desafios, ouça quem mais entende de vitória, o Buda: “Jamais desista de orar ao Gohonzon. Então, não haverá nada que o senhor não conquiste", afirma Nichiren Daishonin.


Tem jeito sim!

Troque o valor básico da sua vida: ao reagir, assente o pé na verdade de que “Tem jeito sim!”. Acredite com vigor: “Eu tenho jeito! Todos também têm! A força da minha voz recitando daimoku provoca um furacão de vitórias!”

Num diálogo, o presidente Ikeda aprofunda esse tema: “Precisamos orar ‘como se estivéssemos tentando produzir fogo de lenha encharcada ou água da terra ressequida’”.


Como fazer dar certo?

O jeito certo de orar daimoku é ter a convicção, a serenidade e a concentração que faz surgir fogo na madeira molhada.

Orar assim não significa ter uma atitude histérica nem uma oração “gritada”. É a confiança dos vitoriosos; a certeza dos monarcas. Não há o mínimo espaço para a dúvida e o coração está aberto: a cada momento a fé se aprofunda e a voz ressoa vibrante e energizada.


Cadê meu benefício?

No mesmo diálogo, disseram ao presidente Ikeda: “E mesmo assim há aqueles que dizem que embora estejam orando não veem nenhum resultado”.

O mestre respondeu: “Há uma distinção importante entre ‘daimoku de fé’ e ‘daimoku de prática’. O ato de recitar Nam-myoho-renge-kyo é o daimoku de prática, mas o resultado de nossos esforços variam grandemente dependendo se realmente temos confiança no benefício do Gohonzon. Oferecer ‘daimoku de fé’ é o que faz a diferença".


certeza da vitória

"Daimoku de fé" acontece no coração. É a luta espiritual contra a escuridão fundamental. É a batalha interna contra as forças destrutivas e negativas que tentam nos convencer de que “não tem jeito”.

Já o daimoku de prática é a materialização dessa fé e é composto da recitação e da propagação. Ou seja, está no Gohonzon! É o daimoku! É shakubuku. Ter como primeira reação essa fé faz você ter o mesmo coração e o mesmo estado de vida do Buda antes mesmo de recitar; e, ao sentar para fazer daimoku já desfruta de uma enorme alegria.

Lute até espantar a negatividade e tenha como valor primeiro que você é um grandioso ser humano (buda) e todos ao seu redor também são. Essa é a alegria da vitória.



Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.199, 12 out. 2013, p. A4

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;