Não sei o que mentalizar quando recito daimoku
  • CONHEÇA O BUDISMO

Não sei o que mentalizar quando recito daimoku

À medida que aprofundamos a fé, nossa capacidade de concentração também aumenta

Como é maravilhoso encontrar um ensinamento que revela o poder de nossas orações para concretizar objetivos. O Budismo Nichiren revela a Lei fundamental para todas as pessoas melhorarem sua vida em meio à realidade.


Nichiren Daishonin declara: “Mesmo que alguém errasse ao apontar para a terra, ou fosse capaz de atar o firmamento; mesmo que o fluxo e o refluxo da maré cessassem; e o Sol nascesse no oeste, jamais ocorreria de as orações do devoto do Sutra do Lótus ficarem sem resposta”.


Em relação à forma correta de orar, o presidente Ikeda afirma: “Não há nada de errado em ter constantes pensamentos durante a oração. Como seres humanos, isso é natural. O importante é olhar para o Gohonzon da forma como somos.


Não existem regras que ditam como devemos orar. Não há necessidade de sermos algo que não somos. Uma oração forçada e rígida não criará nenhum efeito real. À medida que aprofundamos a fé, nossa capacidade de concentração também aumenta.


Os pensamentos e ideias que vêm à nossa mente enquanto estamos orando são questões que nos preocupam, então, em vez de considerá-los como fatos externos, devemos orar para a solução de cada um deles com sinceridade, independentemente do que sejam. Não devemos orar apenas por problemas grandes, mas sim orar para todas as questões que enfrentamos, vencendo cada uma delas e fortalecendo assim nossa fé. É claro que não há necessidade de ficar tenso ou nervoso durante a oração.


Não há limite para quantas questões podemos orar. Isso significa que quanto mais desejos temos, mais sincera e profunda deverá ser nossa oração. É como se você quisesse comprar muitas coisas. Para isso, seria preciso muito dinheiro. Budismo é razão”.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 2.419, 12 maio 2018, p. C4
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;