O estado de buda vai sempre além
  • CONHEÇA O BUDISMO

O estado de buda vai sempre além

Nenhuma explicação substitui a experiência do estado de buda

Imagine alguém que não queira morrer de sede. Antes de qualquer explicação sobre a água, ele quer bebê-la até que esteja satisfeito. A partir daí, compreenderá tudo o que lhe for explicado. Para o estado de buda existem várias descrições, mas nenhuma explicação substitui a experiência de viver tal condição. Uma vez que habitamos esse estado, podemos compreender tudo. E o foco do Budismo de Nichiren Daishonin praticado na SGI está em realizar o kosen-rufu a partir da iluminação de cada pessoa.


A iluminação

O principal significado de Buda é “O Iluminado”.


A iluminação é quando “a luz da sabedoria ilumina todo o universo e erradica a escuridão fundamental inerente na vida humana. O espaço vital do Buda entra em fusão com o universo. A vida se torna o cosmos e, num único instante, o fluxo vital estende-se e abarca todo o passado e todo o futuro”, explica o líder da SGI, Daisaku Ikeda.


Ele continua: “No mundo atual, a pessoa que expressa a natureza de buda é imediatamente vista como uma pessoa de bom senso. Ela se relaciona bem com todos, possui um forte senso de responsabilidade e forte fé, é gentil com os outros e raciocina de modo flexível. E, o mais importante, possui benevolência, sabedoria e criatividade imensas".


Vivenciar é o que importa

A descrição do estado de buda vai além das palavras. A melhor descrição feita até hoje é somente uma análise parcial dos atributos do estado de buda. Para compreendê-lo é preciso vivenciá-lo. Atingir o estado de buda agora, em meio à vida diária, é o objetivo da prática do budismo.


Nós podemos!

Nichiren Daishonin escreveu: “O estado de buda é o mais difícil de manifestar. Porém, como o senhor possui os nove outros estados, deveria também acreditar que possui o estado de buda”.


Acreditar nisso deixa tudo mais fácil. O grande impedimento da prática consiste em não acreditar que se pode atingir, não se sentir merecedor. Esse impedimento é conhecido como “buscar a felicidade fora de si mesmo”. Então, como não acredito que posso, não desejo atingir o estado de buda. O desejo que conduz à iluminação é fundamental para a prática da fé.


Por que o desejo é fundamental?

Um buda entende outro buda. A descrição do estado de buda até existe, mas é incompreensível para alguém dominado pela escuridão fundamental. É difícil descrever a iluminação em palavras, porém, o desejo de uma pessoa pode ser transmitido com facilidade e, então, compreendido pelos outros. Afinal, o desejo é algo comum a todos os estados, inclusive o de Buda.


O grande desejo

Todas as formas de vida existentes no universo, independentemente de sua condição temporal, são, em essência, direcionadas para a natureza de buda. Isso significa que o grande desejo é viver numa condição de felicidade absoluta. Esse grande desejo é mais forte que o amor, o ódio, a razão etc. Ele está dentro de todas as pessoas, lá nas profundezas e, com frequência, encoberto por funções de outros desejos e da ignorância.


O nome do grande desejo

Esse grande desejo inerente a todos é o grandioso desejo pela felicidade de todas as pessoas. Isso é a manifestação humanística da vida do Buda. Por isso, todos podem compreendê-lo e abraçá-lo. O nome dado a esse grande desejo é kosen-rufu.


O que o estado de buda tem de especial?

Em qualquer estado de vida temos esse grande desejo. Entretanto, no estado de buda, temos a firme determinação de torná-lo realidade, independentemente do que aconteça. Isso diferencia o estado de buda dos outros nove. Um buda é movido pelo juramento de “tornar todas as pessoas iguais a mim, sem nenhuma distinção entre nós”.


O grande desejo nos outros estados

Nos demais estados, existe o grande desejo, só que ele não é definido pelo desejo de salvar todas as pessoas e, sim, como qualquer outra coisa. Isso é viver na ilusão. Por exemplo, alguém no estado de Ira acredita que viver esse grande desejo é a inveja, é superar os outros a todo custo.


Um caminho prático

Uma pessoa que faz desse grande desejo do Buda o seu desejo e se empenha com seriedade para cumprir sua promessa, sem nunca retroceder na fé, manifesta o estado de buda. O presidente Ikeda afirma: “O budismo resume-se na prática. Isso significa fazer uma determinação pessoal e atuar prontamente para concretizá-la, independentemente dos obstáculos que surgirem. Se não estamos nos esforçando para abrir o caminho que está a nossa frente, então, o que estamos fazendo não pode ser chamado de prática budista. Só poderemos entrar no caminho do estado de buda se realizarmos incansáveis esforços com base na mesma determinação do Buda”.


Mas e o meu carma?

O carma não impede a iluminação. O Buda despertou para o presente. Uma pessoa iluminada é alguém com a força de mudar o presente. O passado não existe mais, e o futuro ainda não veio.


O que o presente tem de especial?

O presente é efeito do passado, ao mesmo tempo em que é a causa para o futuro. E ele existe neste instante, não precisa esperar. Dominada pela escuridão, a pessoa acredita que o presente é somente efeito do passado. Ela ignora o potencial de mudança existente nas causas do presente. Por isso, vive sendo arrastada pelo carma negativo.


O poder da causalidade da Lei Mística

Se uma pessoa pode realizar qualquer causa no presente, ela pode realizar a causa da iluminação. Por que não fazer a melhor delas? Isso é sabedoria. Uma vez que a causalidade da Lei Mística ou a verdadeira causa se manifesta no presente, mudamos o passado, o presente e o futuro.


Os efeitos do passado não desaparecem, mas perdem a força de mantê-lo numa condição de sofrimento e se tornam motivo de transformação da sua condição de vida. Isso é transformar o veneno em remédio.


Os obstáculos e as maldades

Uma vez que a causa feita no presente não corresponde mais ao efeito proveniente do passado, gera transformação. Tal transformação acarreta em obstáculos. Obstáculos e maldades surgem para equilibrar a vida e indicam que algo está mudando, no caso do estado de buda, para melhor. Por isso, o sábio se alegra. Do ponto de vista da iluminação, os obstáculos e as maldades são motivos de alegria, não de sofrimento. Uma vez que denotam mudança, eles são amenizados. É a famosa amenização do efeito cármico.


Efeitos negativos no estado de buda se tornam causas positivas. Por isso, é amenizado. Não voltam mais. Só se passa por isso uma única vez e sem demora.


Voltando ao desejo

Você pode pensar: “Sabendo de tudo isso, não consigo sentir esse desejo pelo kosen-rufu do fundo do meu coração. O que fazer?” Em resposta a essa questão, existe o juramento. O juramento tem o poder de manifestar o grande desejo do Buda em nossa vida. Não importa como você se sinta agora ou em que condição esteja, o juramento pode ser feito agora.


Caminho direto para a iluminação

A unicidade de mestre discípulo e o juramento seigan formam o caminho direto para a iluminação. Nichiren diz: “Meu desejo é que todos os meus discípulos façam um juramento...”


Uma vida invencível

O presidente Ikeda finaliza: “Nossa vida pode ser tão fugaz como uma gota de orvalho ou tão insignificante como uma partícula de pó. Mas, dedicando-nos à realização desse ‘grande juramento’ [do Buda] nesta existência, nossa vida se fundirá com o vasto oceano do Sutra do Lótus e continuará por toda a eternidade. Ela se tornará una com a terra da Lei Mística, invencível e eterna. Foi-nos assegurada a incrível condição de vida do estado de buda”.


Fonte:
Brasil Seikyo,
ed. 2.060, 20 nov. 2010, p. A6
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;