O que pensar quando recitamos daimoku?
  • CONHEÇA O BUDISMO

O que pensar quando recitamos daimoku?

A pergunta é: o que devemos pensar enquanto recitamos Nam-myoho-renge-kyo?

O importante é não se preocupar com isso e recitar, por exemplo, com o mesmo coração puro e focado de uma mãe que quer proteger seu filho.


Fé é ter o Gohonzon e o Nam-myoho-renge-kyo como sua “primeira reação”. Essa é a estratégia perfeita que protege o coração da mãe, do filho, da família e ainda transforma o trabalho, revitaliza a sociedade e constroi a paz.

Nam-myoho-renge-kyo é o brilhante sol que conforta e alegra o coração das pessoas. "Por isso, não há o que temer. Desfrute plenamente cada momento com satisfação e tranquilidade", diz o presidente Ikeda.


Por que há tanto poder no daimoku? Porque “recitar Nam-myoho-rengue-kyo é o supremo ritmo que enche e transborda nosso corpo e nossa mente, do jeito que estão agora, com o poder da Lei Mística."


Expanda esse sentimento para cada um dos seus desafios e ore daimoku como “primeira reação” acreditando sinceramente que a resposta está no Nam-myoho-renge-kyo. "Recite daimoku diante do Gohonzon como se dialogasse com ele e transmita tudo que se passa com você [...] Nesse momento, determine que vencerá a todo custo e ore com a força do rugido do leão que move todo o universo a seu favor."


Orar daimoku é ter coragem. Por isso, diante das dificuldades não há porque focar a oração no medo — pelo contrário: a oração deve ser baseada na certeza da vitória. Seu pensamento sincero gera atitutes e resultados positivos.


O presidente Ikeda explica: “Não há nada de extraordinário em relação à oração; ela se resume em simplesmente desejarmos algo de todo o coração. O mais importante é o coração. Com relação a isso, é essencial que oremos com profunda fé, respeito e amor ao Gohonzon em nosso coração.”


Vamos usar Nichiren Daishonin como exemplo. Ele tinha profunda gratidão por sua mãe. Essa gratidão aumentou ainda mais quando a presenciou prolongar a vida por meio da prática sincera do Nam-myoho-renge-kyo.

E foi inspirado nessa vitória familiar, que ele incentivou sua discípula Toki que lutava contra uma grave doença.


Daishonin ensinou a ela a forma correta de orar: “Agora a senhora também está doente, e, por ser mulher, é mais do que oportuno instituir em sua vida uma sólida fé no Nam-myoho-renge-kyo”.

Ele a instruiu a ter como “primeira reação” a recitação entusiasmada do daimoku e buscar cuidados médicos adequados. Fielmente, Toki seguiu suas instruções e superou a grave doença: ela prolongou a vida por mais de vinte anos.


Problema por problema, tarefa por tarefa. Enfrente tudo recitando com coragem e vibração o Nam-myoho-renge-kyo confiante que essa é a estratégia infalível.

Ao agir assim sua vida é permeada pela Lei Mística e todos à sua volta se sentem seguros e alegres. E, expandir sua confiança e felicidade na Lei Mística é, em si, fazer shakubuku.


O segredo é dirigir-se ao Gohonzon com máxima sinceridade, sem rodeios. Seja você mesmo e tenha total confiança que recitar e propagar o Nam-myoho-renge-kyo é a própria boa sorte.



Fonte: BS, ed. 2.194, 7 set. 2013, p. A4; ed. 2.039, 12 jun. 2010, p. A3

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;