O sábio se alegra, já o tolo...
  • CONHEÇA O BUDISMO

O sábio se alegra, já o tolo...

Diante das sucessivas batalhas o sábio enfrenta tudo com jovial coragem

Isso é unicidade!

Há 4 anos, o presidente Ikeda se dirigiu aos discípulos da seguinte forma na mensagem de ano-novo: “Meus admiráveis companheiros e preciosos amigos, vamos, neste ano também, avançar com mais saúde e vivacidade, repletos de vigor, jovialidade, harmonia e união".


Ele se refere a cada discípulo carinhosamente como “admirável companheiro e precioso amigo”. Isso é unicidade! É ter o Mestre a todo momento como sua fonte de coragem para, como ele diz, “avançar”. Não há morosidade no mundo da SGI — apenas avanço e mais avanço.


Mas como?

Como tornar-se a pessoa que o mestre almejou que sejamos? Tornando-se um sábio.


Ele [presidente Ikeda] cita um trecho do Gosho: “Algo inusitado também ocorre quando uma pessoa comum atinge o estado de buda. Neste momento, os Três Obstáculos e as Quatro Maldades aparecerão infalivelmente, e o sábio se alegrará e o tolo se acovardará".


Todos manifestam!

O presidente Ikeda também afirma: “Qualquer pessoa que abraça o Sutra do Lótus atinge o estado de buda”.


Todos os membros da SGI, portanto, são pessoas comuns que manifestam o estado de buda e é natural se depararem com obstáculos e maldades.


Obstáculos e maldades

No mundo caótico em que vivemos, não é muito “normal” uma pessoa do povo tornar-se sábia, feliz e inabalável. Há, sim, oposição. Muitas vezes de onde menos se espera. Nesse momento, mantenha-se firme e se alegre.


O sábio tem jovial coragem

O presidente Ikeda atesta:

“Tanto a vida como a sociedade são palcos de uma sucessão de batalhas contra adversidades. Contudo, independentemente do que o confronte, um sábio enfrenta tudo com jovial coragem e avança vigorosamente pelo caminho da grandiosa revolução humana superando e vencendo de maneira resoluta cada desafio”.


Quero vencer!

Uma pessoa que resolve ser feliz e tomar as rédeas do destino enfrentará a realidade. E sua arma é a sabedoria: encarar problemas com sincera alegria faz a situação mudar. Medo, tristeza e covardia diante de obstáculos fazem a situação piorar.


O sábio e o tolo – 1

Ser sábio é ter consciência de que obstáculos são prova viva da transformação — por isso a pessoa se alegra. Tolice é encarar problemas (algo natural) como fonte de tristeza, de lamentação ou pânico.


O sábio e o tolo – 2

O sábio avista o obstáculo e a maldade e respira fundo reunindo coragem e energia e diz empolgado: venham! O Mestre orienta que “os oponentes nos tornam mais fortes”.


Já o tolo, busca explicações cármicas e faz conjecturas com fatos passados; e se borra de medo e estrangula sua energia vital.


O sábio e o tolo – 3

O sábio sabe que está no caminho certo e que problemas (mesmo os mais cruéis) são, em si, o passo final da sua revolução humana: é por isso que ele se alegra.


Já o tolo se desespera e esquece toda a batalha que travou. Sua visão turva e sentimentos negativos tomam conta da sua mente.


O sábio e o tolo – 4

O sábio tem compaixão mesmo quando passa por dificuldades. Ele pensa: estou feliz porque sei que transformarei todos os meus problemas e eles serão a prova real do budismo!


Já o tolo tem visão curta e fica envenado pela lamentação. Consta no Gosho que “ser tolo é animalidade”.


O presidente Ikeda complementa: “Dos três venenos, esse estado (animalidade) corresponde ao da estupidez. Em termos humanos, aqueles nesse estado estão, em essência, tão apegados às suas circunstâncias imediatas que perdem de vista os princípios fundamentais que governam todas as coisas”.


O sábio e o tolo – 5

O sábio é leal ao juramento que fez, nunca trai e se responsabiliza pela mudança dele mesmo e de todos à sua volta. É um grande ser humano!


Já o tolo não é confiável porque, na hora crucial, quando aparecem problemas, se desespera, trai, esquece o juramento seigan, usa as pessoas como meios e pensa só em si mesmo, em sobreviver: “O que é costumeiro no tolo é esquecer nas horas cruciais o que prometera nas horas normais”.


O sábio e o tolo – 6

O sábio leva cada dificuldade e desafio ao Gohonzon e ora confiante. Não há medo nem tristeza nem autopiedade. É otimista, alegre, faz shakubuku.


Leon Tolstoi afirma que “um homem verdadeiramente sábio está sempre alegre”.


Já o tolo não sabe o que fazer com os problemas. Na sua mente, o futuro fica estreio e o passado se se agiganta e se torna penoso.


O presidente Ikeda mostra a solução para isso e explica que “o Budismo Nichiren é a força que cria pessoas verdadeiramente sábias e promove a união entre elas”. A SGI é a religião mundial de sábios bodisatvas.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 2.210, 11 jan. 2014, p. A4
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;