Os otimistas vivem mais e melhor
  • CONHEÇA O BUDISMO

Os otimistas vivem mais e melhor

O budismo explica que, em essência, o corpo e a mente existem em completa unicidade. Um não existe sem o outro. O que se passa em um é simultaneamente experimentado pelo outro: esse é o princípio de unicidade de corpo e mente (shikishin funi).


"Unicidade de corpo e mente” ou não dualidade de corpo e mente. Princípio budista segundo o qual dois fenômenos distintos, o corpo (os aspectos físicos) da vida e a mente (aspectos espirituais) são essencialmente não duais. São duas fases de uma mesma realidade. Nem corpo nem mente são entidades separadas.


Num diálogo com dois médicos, o presidente da SGI, Dr. Daisaku Ikeda, questiona: “O corpo e a mente de fato estão intrinsecamente ligados, não estão?”

O Dr. Shihei Morita responde: “Sim, penso dessa forma. O estresse também pode estar profundamente relacionado com úlceras do estômago, úlceras duodenais, enxaquecas, distúrbios do sistema nervoso autônomo, pressão sanguínea alta [hipertensão], irregularidade nas batidas do coração [arritmia], e asma, como também depressão, neurose de angústia e várias fobias".


Permitir que o estresse prejudique sua vitalidade e autoconfiança provoca uma série de doenças. O contrário também acontece. O presidente Ikeda afirma que “Esperança é fonte de energia vital. A morte da esperança equivale à morte do espírito. Nada neste mundo é tão forte quanto a esperança e o senso de missão”.


Voltando ao diálogo, o presidente Ikeda pergunta quais tipos de pessoa estão propensas a serem afetadas pelos estresse.

O Dr. Morita responde: “Essas pessoas tendem a ser sérias, ultrarresponsáveis, inflexíveis, perfeccionistas, não possuem hobbies, preocupam-se em como são vistas pelos outros e não conseguem expressar opiniões e sentimentos”. Crenças mentais que tendem ao egoísmo tornam a pessoa frágil para lidar com o estresse e isso afeta o corpo.


Pessoas bem preparadas convertem estresse em energia positiva, em combustível para vencer o próximo desafio. “Os que realizam o máximo em quaisquer circunstâncias dominam o estresse. São pessoas que criam valor e não lamentam”.

Para o budismo, estar bem preparado e fazer o máximo é recitar com ânimo o Nam-myoho-renge-kyo com senso de responsabilidade de resolver o desafio diante de você.


O Dr. Dr. Toyofuku dá mais uma prova da importância de se capacitar mentalmente para enfrentar os desafios: “Acredita-se que o pensamento positivo estimule a produção de endorfina no cérebro e fortaleça o sistema imunológico”.

Isso quer dizer que uma condição mental otimista, esperançosa e corajosa tem impacto simultâneo no corpo.


O presidente Ikeda explica: “A vida é inerentemente dotada com a extraordinária capacidade para converter algo negativo em positivo. Fundamentalmente, a vida é criada pela própria determinação interior, pela mente da pessoa. Isso é ainda mais verdadeiro para quem tem fé".


O budismo expõe os mecanismos admiráveis da mente humana e desvenda sua força misteriosa e sua relação de unicidade com o corpo. O buda Nichiren Daishonin afirma que “explicar as maravilhas da mente é o objeto fundamental de todos os sutras e tratados".


O otimismo budista não é leviano nem anestesiante. É uma fé lúcida com senso de responsabilidade diante da realidade, calcada numa filosofia inteligente que explica, automotiva e impulsiona a pessoa a agir e a transformar a situação. E o conversor do sofrimento em iluminação é a recitação do Nam-myoho-renge-kyo ao Gohonzon com o sincero desejo de ser feliz e conduzir todos à felicidade.


O impacto da determinação mental é incrível; ele é capaz de revitalizar seu corpo, o ambiente e até transformar o mundo. O presidente Ikeda finaliza: “Enquanto avançamos unidos aos outros em busca de nossa revolução humana — pelo caminho insuperável da alegria e do autoaprimoramento — aprofundamos a nossa sabedoria e nossa benevolência com o passar do tempo. Esse é nosso estilo de vida na SGI".



Fonte: BS, ed. 2.293, 26 set. 2015, p. C2 e C3

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;