Prática da fé para conquistar a felicidade
  • CONHEÇA O BUDISMO

Prática da fé para conquistar a felicidade

Você não muda algo para ser feliz. Você é feliz para mudar tudo

"Prática da fé para conquistar a felicidade" é a segunda Diretriz Eterna da Soka Gakkai.


A verdadeira felicidade não é a mera satisfação de desejos pessoais, nem apenas a conquista de objetivos. Ser feliz de verdade é desfrutar a ilimitada alegria da Lei Mística. Sendo feliz, você é capaz de mudar sua realidade. A felicidade absoluta é possível — é um direito de todo ser humano.


Dois tipos de felicidade

Vamos relembrar! Você já deve ter visto aqui no SeikyoPost que existem dois tipos de felicidade: A absoluta e a relativa. A felicidade absoluta garante a conquista da relativa. Isso porque a relativa está dentro da absoluta. Já a absoluta não está dentro da relativa.


Felicidade relativa

O presidente Toda afirmou: “Felicidade relativa é realizar os desejos tais como ganhar bastante dinheiro, casar com uma mulher ideal, ter bons filhos, adquirir a casa própria ou ter boas roupas. Conseguir esses tipos de desejos chama-se felicidade relativa. Embora não sejam grandes realizações, as pessoas pensam que alcançaram a felicidade”.


Felicidade absoluta

“A felicidade absoluta chama-se iluminação. Então, em que consiste a felicidade absoluta? É sentir profunda alegria e satisfação só pelo fato de estar vivo. Não haverá mais dificuldade financeira, a vida transbordará de boa saúde, harmonia familiar, sucesso no trabalho, enfim, sentir plena satisfação em tudo o que vê, em tudo o que ouve. ‘Ah! Como sou feliz!’ Quando isso ocorrer, este mundo mundano transforma-se na terra pura da iluminação e isto se chama felicidade absoluta.”


Então, como conquistá-la?

"O senso de felicidade relativa deve ser conduzido para tornar-se senso de felicidade absoluta. Isso se consegue somente com a prática budista, e nenhuma outra é capaz de realizá-la”, explica o presidente Ikeda.


Não cai do céu

A felicidade não é concedida por nada externo. Não se deve orar e esperar que ela caia do céu. Ela não surgirá num tempo futuro por merecimento, depois de se acumular muitas causas positivas e boas ações. A felicidade absoluta existe no presente momento, no aqui e no agora. E o melhor, depende da própria pessoa da forma como ela é.


Paz e felicidade

O presidente Ikeda continua: “Ter fé significa viver de forma fiel a nós mesmos, como somos, e atingir um estado em que podemos dizer francamente: ‘Ah!, esta é a verdadeira satisfação’, ‘Minha vida é uma grande vitória’. Isto é paz e felicidade”.


A causa da transformação

Muitos conceitos pregam que a felicidade vem após um longo processo. Mas, do ponto de vista do Budismo Nichiren é o ponto de partida. A felicidade capacita a pessoa a transformar o ambiente. É a causa da transformação e não o efeito.


Não confunda

O presidente Ikeda comenta: “Atingir o estado de buda é confundido com atingir um objetivo, mas não é assim. Essa forma de pensar é um equívoco. O estado de buda é a própria esperança — esperança de avançar eternamente se autodesenvolvendo, produzindo transbordante realização e crescente serenidade e satisfação, com o espírito progressivo de sempre empenhar-se para concretizar um maior crescimento e auxiliar cada vez mais as pessoas a se tornarem felizes”.


Ponto-chave da felicidade

A felicidade é determinada pela relação da energia vital da pessoa com o ambiente.

Feliz é quem domina e transforma o seu ambiente. O infeliz é dominado e transformado por ele.


Produzir energia vital

Alguém que realiza o shakubuku possui a energia vital forte o suficiente para transformar qualquer ambiente. Uma pessoa dominada por seu ambiente vive na negatividade e é limitada pelos problemas. Ela sente-se incapaz de propagar o budismo e está sempre ressentida e aguardando que alguém a salve.


Então, felicidade não é demonstrada pelas suas conquistas pessoais. É por meio do seu estado de vida que a felicidade é percebida naturalmente pelas outras pessoas, gerando comentários: “Como essa pessoa é diferente!” “Sinto-me bem quando estou perto dela!”


E os objetivos pessoais?

Os objetivos pessoais são conquistados de forma plena quando são baseados no kosen-rufu. O determinante é a resposta para uma simples pergunta: “Para que eu quero isso?” Se for para satisfazer o ego, é egoista e cairá na armadilha da “generosidade humilhante”. Se for para o kosen-rufu, você é um buda.


A conquista total e duradoura dos objetivos pessoais surge como consequência de um estado de vida elevado — da felicidade absoluta. A transformação do estado de vida é a transformação da realidade.


Os objetivos pessoais são muitos e variados. Desejá-los como mortal comum é limitante e nem todos serão alcançados. Entretanto, desejá-los como um buda garante a satisfação total. Isso porque um buda possui sabedoria e energia vital transbordante, capaz de mudar qualquer destino e ambiente. Para se tornar um buda, basta concretizar a revolução humana, que é a transformação interior.


Sabedoria e energia vital

“Quando possui ‘sabedoria’ e ‘energia vital’ originadas da prática da fé, uma pessoa torna-se capaz de conduzir toda a sua vida para uma direção melhor e cada vez mais sólida. Isto não é ilusão — é vitória e mais vitória que ocorre realmente. O verdadeiro e sábio praticante é aquele que consegue introduzir a si mesmo nesse ritmo”, explica o presidente Ikeda.


Felicidade absoluta garante a relativa

A felicidade absoluta é inseparável do ambiente. Isso é excelente! Pois, se você alcançar a felicidade, ao mesmo tempo, o ambiente mudará. Mude seu interior que o exterior muda simultaneamente. Conquistar a felicidade absoluta é conquistar a relativa. “O budismo é o corpo e a sociedade a sombra.”


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.094, 6 ago. 2011, p. A6
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;