Quanto tempo de oração?
  • CONHEÇA O BUDISMO

Quanto tempo de oração?

O budismo é livre e a recitação do Nam-myoho-renge-kyo deve ser feita com alegria e determinação. Não importa o tempo, mas a continuidade. Ter a convicção de que recitar daimoku transforma a tudo é a chave para construir uma vida de ilimitada boa sorte. E, quando você se permite viver nessa condição não quer mais sair dela; não quer mais parar de recitar daimoku.


Nichiren Daishonin, ao revelar o Nam-myoho-renge-kyo, foi cuidadoso e não deixou nenhuma instrução nas mais de mil páginas de seus escritos sobre a quantidade diária de daimoku a ser recitada. "O que Nichiren Daishonin afirma é que uma única recitação de daimoku contém ilimitados benefícios”, diz o presidente Ikeda


Porque cada pessoa é única, e respeitosamente o Buda sugere que adote o daimoku como prática saudável na vida diária, criando seu próprio ritmo: isso é a demonstração de máximo respeito ao indivíduo.


É você! Como não há regra fixa de tempo, recite até seu coração transbordar de satisfação — até o ânimo da sua alma ficar mais forte que a negatividade da sua realidade. Faça seu melhor e crie um ritmo diário conforme sua necessidade, desejo e decisão.


O presidente Ikeda diz: "O valor — ou se preferirem, a qualidade — de uma nota de 100 é superior a uma nota de 10. Naturalmente, a maioria das pessoas preferiria ter uma nota de 100. Concordam? Do mesmo modo, na fé, as orações sinceras e fortes são importantes. E, com certeza, possuir várias notas de 100 é ainda melhor! O mesmo ocorre com relação à fé — tanto a qualidade como a quantidade são importantes".


Vamos ser sinceros: qualquer coisa feita por obrigação ou para cumprir tabela não dá prazer. Portanto, daimoku deve ser cada um melhor que o outro: “O fervor na oração não é determinado pela quantidade nem pelo tempo de recitação de daimoku", diz o presidente Ikeda.


Como devo recitar? O presidente Ikeda responde: "A voz deve ser sonora, mas sem gritar ou sussurrar. É importante utilizar o bom senso e realizar as orações de uma maneira condizente com o ambiente e o horário para não incomodar outras pessoas. O tom de voz deve ser constante, com confiança e naturalidade. A pronúncia deve ser clara e precisa; e o ritmo ágil e compassado como o galopar de um corcel".


"Estabelecer metas de daimoku pode ser proveitosa, mas quando estiverem cansados ou sonolentos, somente murmurando sons incompreensíveis envoltos em um sono entorpecente, então é melhor parar de orar e ir para a cama. Após terem descansado, vocês conseguirão recobrar a concentração e as energias para continuar orando. Isso será de muito mais valia", afirma o presidente Ikeda.


Ele continua: "Sei que há ocasiões em que certos problemas requerem maior quantidade de recitação de daimoku. Mesmo nessas situações, devemos tomar cuidado com as condições de saúde. Contudo, nunca devemos considerar a saúde como uma justificativa para não recitarmos daimoku. É muito mais interessante orar com boa disposição do que fazer dessa prática um insuportável suplício".


Com forte fé, você decide, se desafia e recita daimoku a cada dia. "Com a convicção de alcançar uma condição de vida na qual todos os desejos são realizados, tanto na existência presente como na futura, vamos iniciar tudo com a oração! Orar incansavelmente, orar até conseguir — eis a regra básica da contínua vitória”, orienta o presidente Ikeda.


Apareceu um problema? Não se amedronte! Encha-se de entusiasmo e recite daimoku. “Transforme qualquer problema em oração e aprofunde sua fé mais e mais. É uma certeza que tudo se transforma em benefícios grandiosos”, disse Josei Toda.


O buda Nichiren diz: “Se recitar estas palavras [daimoku] uma vez, a natureza do buda de todos os seres vivos será convocada e se juntará ao seu redor”. Então, se um único Nam-myoho-renge-kyo contém “ilimitados benefícios”, imagine recitar mais um, e mais um, e mais um...


Não importa o tempo, mas dê o primeiro passo de qualquer batalha com a oração. "O mais importante é que nosso daimoku nos deixe tão satisfeitos e revigorados que quando tivermos terminado, possamos exclamar: 'Ah! como isso me fez bem!'. Ao reforçarmos esse sentimento dia após dia, naturalmente nos direcionaremos para o caminho mais positivo", finaliza o presidente Ikeda. 




Fonte: BS, ed. 2.191, 17 ago. 2013, p. A4; ed. 2.193, 31 ago. 2013, p. A4; ed. 1.516, 24 jul. 1999, p. A3

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO,SEIKYOFEED

• comentários •

;