Seja senhor da sua mente!
  • CONHEÇA O BUDISMO

Seja senhor da sua mente!

Ser senhor da sua mente é dedicar-se por inteiro, dando o seu melhor em cada coisa que faz. Seja num dia calmo, seja em meio ao turbilhão da vida diária, nada deve tirar de você a satisfação de viver.

A expressão “senhor (ou mestre) da sua mente” foi citada pelo buda Nichiren Daishonin: “O Sutra afirma que se deve tornar senhor da sua mente em vez de permitir à sua mente dominá-lo”.


“Permitir à sua mente dominá-lo” é iludir-se de que felicidade depende de fenômenos mutáveis: pessoas, situações ou até pensamentos e sensações internas. No que se basear, então?!

Por exemplo, se sua felicidade está atrelada ao humor de outras pessoas, a qualquer momento pode vacilar, pois o ânimo delas muda. Se sua satisfação está vinculada ao dinheiro, prepare-se: a qualquer momento você pode ficar infeliz uma vez que a vida monetária sua (e a de todos na Terra) pode oscilar.


Vamos imaginar que você não mais se baseie nos outros e decida viver inspirado no próprio eu. Isso também é arriscado porque seus pensamentos, sentimentos e sensações variam milhares de vezes ao dia.


Basear a vida nas circunstâncias externas, nas pessoas ou no próprio ego é o caminho da infelicidade porque tudo isso é impermanente, muda a todo momento.


Viva baseando sua mente (sua vida) em algo imutável. Assente sua fé num chão firme e nele reconstrua seu destino.

O que é imutável?

O que nunca muda é a Lei Mística, o Nam-myoho-renge-kyo.


É por isso que devotamos nossa mente à recitar e à propagar o Nam-myoho-renge-kyo.

Ao fazer isso tomamos contato com uma forte energia que harmoniza e revitaliza nosso cotidiano, pensamentos e relacionamentos.


O presidente Ikeda analisa: “A mente humana é sutil. Muda de acordo com o momento e em resposta a várias circunstâncias. Se fizermos da nossa mente, que está sempre mudando, a nossa mestra, será difícil seguir um caminho de avanço seguro e contínuo. Em vez disso, devemos nos basear na Lei. Devemos fazer da Lei nossa mestra e tomar como parâmetro e exemplo um praticante correto da Lei. O caminho para manifestar o estado de buda existe na atitude de buscar a Lei com um único e sincero desejo, e em ‘desejar ver o Buda’ com essa mesma pureza e seriedade”.


O presidente Ikeda afirma: “Há um poder extraordinário, uma atividade poderosa na ‘mente’ de uma pessoa que acredita no Gohonzon. Quando ativamos a energia fundamental de nossa ‘mente’, as engrenagens dos três mil mundos põem-se de imediato em movimento. Tudo muda. Qualquer situação cria esperança e gera o bem”.


A “mente” inspirada na prática budista está sempre em fusão com o “eu maior”, sempre otimista, desperta, gentil, harmoniosa e pronta para os desafios da vida.


Daniel Goleman, psicólogo e doutor pela Universidade Harvard, afirma em seu livro Foco que quando nossa mente está num estado ideal, fazemos as coisas dando o nosso melhor:

“Esse estado ideal do cérebro para realizar bem um trabalho é marcado pela harmonia neural — uma interconexão rica de diversas áreas do cérebro. Nesse estado, os circuitos necessários para a tarefa em questão estão altamente ativos enquanto os irrelevantes se mantêm inativos, com o cérebro precisamente direcionado às exigências do momento. Quando nossos cérebros estão nessa zona ideal, nos entregamos, desempenhando da melhor maneira possível qualquer que seja nosso objetivo”.


Ser mestre da sua mente é fazer cada tarefa dando o seu melhor inspirado na alegria de praticar e propagar o budismo. Com isso, a cada momento você manifesta “(1) a esperança inata que possibilita jamais ser derrotado, (2) o poder de viver sempre com vigor e sem medo, (3) a coragem de lutar contra as forças negativas que nos fazem sofrer e, ainda, (4) você abre o caminho da felicidade a todas as pessoas”, finaliza o presidente Ikeda.



Fonte: BS, ed. 2.219, 22 mar. 2014, p. A4

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;