Transformação do destino
  • CONHEÇA O BUDISMO

Transformação do destino

Confira o resumo das matérias de estudo do Exame de Budismo para Admissão 2016

Os problemas da vida, de sofrimentos e dificuldades, são os mais variados. Há aqueles que aparecem em decorrência de ações e decisões que tomamos na vida presente, mas há outros que não encontramos uma causa aparente. O budismo considera que estes tipos de sofrimentos são manifestações na presente existência dos resultados de ações realizadas por si mesmo em vidas passadas (carma do passado).

Carma” é originalmente um termo que significa “ação”. Já as “ações em vidas passadas” que possuem o poder de influenciar a felicidade ou a infelicidade nesta existência são denominadas de “carma do passado”. O carma do passado engloba tanto o “bom carma” como o “mau carma”, mas ele é na maioria das vezes associado ao “mau carma” que acumulamos em vidas passadas e causa os sofrimentos nesta existência.

Todavia, seguindo essa lógica, mesmo descobrindo a causa dos sofrimentos no presente, não é possível transformá-la imediatamente nesta existência. Portanto, não haveria outro caminho a não ser liquidar cada crime do mau carma ao longo de sucessivos ciclos de vida e morte em existências futuras. Assim, essa ideia de “carma do passado” é um conceito que leva facilmente ao pensamento fatalista de uma vida sem esperança.


O princípio da transformação do destino do Budismo de Daishonin significa transformar o mau carma fundamental da descrença e da calúnia à Lei correta, ainda nesta existência, por meio da prática de acreditar, proteger e propagar essa Lei correta. O âmago dessa prática é o daimoku do Nam-myoho-renge-kyo.

O surgimento da vida do estado de buda, como o Sol em nosso interior, por meio da fé abraçando o Gohonzon e do empenho na recitação do daimoku para si e para os outros, faz com que as inúmeras ofensas do passado desapareçam tal como a geada e o orvalho.


Mesmo nos empenhando na prática da fé, há ocasiões em que nos deparamos com sofrimentos e dificuldades na vida. Além disso, quando lutamos pelo kosen-rufu, surgem dificuldades decorrentes de impedimentos e maldades que aparecem para deter o nosso avanço.

Daishonin ensina que o fato de encontrarmos com tais dificuldades e transformarmos o próprio destino é, na verdade, o benefício do princípio chamado de “amenização do efeito cármico”. Literalmente, o princípio de “amenização do efeito cármico” (tenju kyoju) significa “transformar o pesado e receber o leve”. Daishonin ressalta o seguinte sobre os benefícios de amenizar o efeito cármico: “O sofrimento do inferno se desvanecerá instantaneamente” (Amenização do Efeito Cármico, CEND, v. I, p. 207).

Os sofrimentos e dificuldades são importantes oportunidades para apagar o carma do passado e forjar a vida.


Uma pessoa, que apesar de enfrentar sofrimentos e dificuldades, transforma o seu destino perseverando na prática da fé observará uma grande mudança no sentido de sua vida.

O Sutra do Lótus expõe o princípio de “carma adotado por desejo próprio” (ganken ogo). O ideograma para gan significa “nascer com o desejo” e go quer dizer “nascer com carmas acumulados”. Os bodisatvas nascem pela força de seu desejo, e as pessoas comuns nascem por meio de seus carmas.

Este princípio indica que bodisatvas, com grandiosa boa sorte e virtude acumuladas por meio de exercícios budistas, se voluntariaram a nascer nesta era maléfica, manifestando seu próprio desejo; abandonaram suas límpidas retribuições dos seus carmas, com o intuito de salvar as pessoas sofridas desta era maléfica.

A partir da análise do sentido das adversidades deste ponto de vista, uma pessoa que supera as dificuldades por meio da fé entenderá que o fato de viver os sofrimentos nesta era maléfica não é de forma nenhuma o seu destino, mas, sim, o resultado do juramento seigan de bodisatva para salvar as pessoas, compartilhando sofrimentos e mostrando com o seu exemplo a forma de superá-los.



Fonte: Os Fundamentos do Budismo de Nichiren

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO,EXAME DE BUDISMO

• comentários •

;