Uma vida engajada que transforma o mundo
  • CONHEÇA O BUDISMO

Uma vida engajada que transforma o mundo

Há um imenso poder de transformação quando mudamos nossa postura diante da vida

Vida boa é vida engajada; é luta sem fim para realizar grandes sonhos que façam bem para muitas pessoas.


Gente feliz tem senso de realização porque se dedica até o fim a compartilhar alegria e bem-estar com o máximo de pessoas.


Conheça a expressão “kosen-rufu”, termo utilizado pela primeira vez no Sutra do Lótus há mais de 2,5 mil anos que representa o ardente desejo do Buda de disseminar amplamente o princípio da transformação da vida e da sociedade. A maneira de propagar a Lei Mística é por meio de um engajamento no qual a transformação pessoal ao recitar daimoku e fazer shakubuku revoluciona o ambiente familiar, social e até a nação inteira.



Psicólogo analisa as condições do bem-estar


O Prof. Dr. Martin Seligman, psicólogo norte-americano, assegura que ter uma vida realizada é fazer “florescer” o caráter visando o bem-estar pessoal e coletivo. Isso se dá, ensina ele, quando a pessoa se dedica a mudar sua postura mental e torna sua vida realizada e engajada a um bem-maior.


Os pontos principais que resumem o pensamento de Seligman são: positividade e otimismo, engajamento, relacionamentos saudáveis, vida com significado, conquista de objetivos e abundante vitalidade.



Mudança mental e altruísmo


As descobertas do Dr. Seligman tiveram origem na sua convicção de que há um imenso poder de transformação quando mudamos nossa postura diante da vida.


Em 1997, o psicólogo se encontrou com o presidente Ikeda, que afirmou num artigo:


“Em essência, a teoria do Dr. Seligman é que as pessoas podem mudar sua vida. De que maneira? Mudando seu modo de pensar. Durante nosso diálogo, o Dr. Seligman comentou que, após a Segunda Guerra Mundial, a psicologia concentrou-se principalmente naqueles que tinham profundos problemas psicológicos. Entretanto, ele explicou que aspirava a uma ‘psicologia positiva’, que desse às pessoas comuns coragem, esperança e força. O Dr. Seligman confessa que ele próprio era pessimista por natureza, o que sem dúvida o estimulou a procurar uma forma de aprender a ser otimista”.


Uma vida plenamente feliz consiste em enorme energia e otimismo seguida, sempre, de um esforço contínuo para compartilhar o bem-estar.


O próprio Dr. Seligman comenta: “Uma vida boa consiste em obter felicidade usando seus pontos fortes de caráter todos os dias nas principais atividades da sua vida. Um vida significativa tem, ainda, mais um componente: usar essas mesmas forças para compartilhar conhecimento, energia e bondade”.


Ao professor, o presidente Ikeda explicou que o modo de vida ensinado na SGI [o kosen-rufu] é ainda mais abrangente do que qualquer outro.


“Devotar-se ao kosen-rufu significa viver cada dia de forma honrada. Não existe uma vida mais grandiosa que a dedicada ao kosen-rufu” Dr. Daisaku Ikeda (BS, ed. 1.816, 22 out. 2005, p. A3)



Kosen-rufu — engajamento, realização, otimismo e compaixão


O budismo nasceu com Shakyamuni há cerca de 2,5 mil anos e desde lá nos ensina sobre “kosen-rufu”, um modo de vida engajado que transforma a si e ao ambiente.


O Buda descreveu a lei fundamental da vida e despertou para a verdade máxima: devemos nos dedicar diuturnamente ao enriquecimento do mundo interior [coração] por meio de um contínuo esforço para respeitar, encorajar e compartilhar a felicidade com todas as pessoas. Kosen-rufu significa, então, utilizar-se de todos os meios para disseminar amplamente essa Lei que faz todos felizes.


Nichiren Daishonin, mais de 1,7 mil anos depois de Shakyamuni, se deparou com uma sociedade que havia deturpado o objetivo do Buda fazendo da felicidade absoluta [estado de buda] algo além do alcance das pessoas comuns por causa da complexidade da prática budista e da corrupção do clero.


Daishonin voltou-se ao objetivo do fundador e tornou novamente acessível a qualquer pessoa manifestar estado de buda. Ele revelou a Lei Mística — o Nam-myoho-renge-kyo —, como prática a ser feita e propagada amplamente [kosen-rufu].


A SGI, 700 anos depois de Daishonin, revitalizou por completo seu budismo adotando para si o kosen-rufu: disseminar ao mundo o Nam-myoho-renge-kyo por meio do contato de pessoa com pessoa.


A visão moderna dos Três Mestres Soka inseriu no cotidiano a revolução humana: um contínuo processo de profunda transformação pessoal com impacto na vida dos outros e no ambiente. A meta número um da SGI é tornar real o kosen-rufu — fazer florescer a felicidade absoluta em cada habitante do planeta e com isso criar uma nova sociedade pacífica, justa e harmoniosa.


“O kosen-rufu é um movimento revolucionário que tem por objetivo fazer com que o espírito da compaixão budista se torne a base da sociedade. É uma batalha contra a natureza maligna do poder que desdenha as pessoas e as despreza” Dr. Daisaku Ikeda (BS, ed. 1.999, 15 ago. 2009, p. A3)



Um sonho que vale a pena compartilhar


Somente pessoas de nobre e forte caráter conseguem tornar real um empreendimento tão ousado quanto o kosen-rufu. A SGI existe para capacitar todo indivíduo a adquirir essa força.


Para disseminar o princípio do respeito absoluto pela vida ensinado pelo Buda, é preciso coragem, engajamento total, energia, sabedoria, resiliência e a incrível capacidade de combater a negatividade da sociedade por meio do diálogo e da vitória pessoal. O presidente Ikeda é o mestre do kosen-rufu porque treina pessoa por pessoa a “florescer” essa enorme força espiritual.


Cada membro da SGI é o ponto central do kosen-rufu e tem a missão de transformar a própria vida e revitalizar seu cotidiano. Assim, cada um dissemina os “valores Soka” em sua área de atuação: na política, na economia, na arte, na cultura, na educação, enfim, em todos os setores.


“O kosen-rufu é a suprema forma de diplomacia. Nós precisamos, acima de tudo, ter uma energia vital forte e magnética que atraia o coração das pessoas e coragem e perseverança para articular com determinação a filosofia e a verdade da SGI. [...] O comportamento como ser humano e o caráter — e não a posição social nem os títulos — são o que propulsionam o kosen-rufu” Dr. Daisaku Ikeda (BS, ed. 1.839, 15 abr. 2006, p. A4)



Todos conseguem mudar o mundo


Uma vida dedicada ao kosen-rufu é completa. Faz bem para a pessoa e provoca a felicidade absoluta na família e na sociedade.


A SGI conduz cada indivíduo a ter engajamento, realização, transformação interna, felicidade, otimismo, assimilação de valores nobres, enriquecimento do caráter, abundante energia vital, relacionamentos saudáveis, dedicação ao bem maior, força mental para vencer obstáculos, resiliência, compaixão pelas pessoas, encorajamento; enfim, a lista de atributos é enorme. E tudo isso se dá em atividades que todos conseguem realizar: estudo constante, reuniões pequenas, diálogos, visitas, encorajamento, recitação do gongyo e do daimoku, shakubuku, etc.


O presidente Ikeda vem há décadas se dedicando sem recuo à ampla propagação do princípio central do budismo: a dignidade absoluta da vida. Ele, com isso, já transformou muitos aspectos do mundo e vem ensinando seus discípulos a também fazê-lo.


Sua forma de realizar a ampla propagação [kosen-rufu] é acreditar nas pessoas, tratá-las com total respeito, agir por elas, elogiá-las, criar condições para que floresçam.


De forma prática, o presidente Ikeda solidificou e expandiu a SGI para 192 países e territórios como uma estrutura mundial da revolução humana e do empoderamento.


Uma única pessoa que se levanta firmemente comprometida com o kosen-rufu vence, espalha essa felicidade amplamente para outras pessoas e transforma o mundo.




Fonte: Brasil Seikyo, Ed. 2321, 30 abr.  2016 / Conheça o Budismo


TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;