Vamos falar sobre os benefícios do Gohonzon
  • CONHEÇA O BUDISMO

Vamos falar sobre os benefícios do Gohonzon

Recitar daimoku diante do Gohonzon com sinceridade dá acesso livre e rápido à fonte inesgotável de benefícios

A grande revolução do Budismo Nichiren está no legado do próprio Buda: o Gohonzon, o mais poderoso objeto de devoção e ponto de convergência da prática da fé. A recitação do Nam-myoho-rengue-kyo diante do Gohonzon, ambientada no cristalino mundo da SGI é caminho direto para a iluminação e fonte de inesgotáveis benefícios.


O que é o Gohonzon?

Gohonzon é o objeto de devoção para a observação profunda da mente. O presidente Ikeda explica:“A palavra japonesa honzon significa ‘objeto de devoção ou respeito fundamental’, ou seja, o objeto que respeitamos e para o qual nos devotamos tendo-o como a base fundamental da vida. Por isso, naturalmente, aquilo que estabelecemos como objeto de devoção tem impacto decisivo na direção da nossa vida”.


O Gohonzon é fruto da benevolência, seriedade e sabedoria de Nichiren Daishonin. Ele inscreveu o Gohonzon em 12 de outubro de 1279. O Gohonzon tem o formato de pergaminho e nele está escrito “Nam-myoho-renge-kyo Nichiren” em sua parte central.


Para quem não tem fé, o Gohonzon é apenas um papel comum. Mas para nós, que desejamos a felicidade e apaixonadamente promovemos o kosen-rufu, é o ponto central da vida. Saber o que está escrito nele não é condição essencial para se obter benefícios.


O importante é a fé pura e resoluta. Esse tipo de fé faz com que os efeitos surjam imediatamente, pois o Gohonzon é o objeto que representa a Lei contida na essência de todas as leis da natureza. Recitar o Nam-myoho-rengue-kyo diante do Gohonzon com sinceridade dá acesso livre e rápido à fonte inesgotável de benefícios.


O que Daishonin conseguiu com tal revelação?

Daishonin conseguiu a proeza de condensar a Lei essencial do universo num pergaminho. “Eu agora faço desta Lei, que é a fonte de todos os fenômenos, o objeto de devoção.” Ele perpetuou um ensinamento que possibilita as pessoas a manifestarem o estado de buda.


Simplificando...

Daishonin tinha benevolência à prova de todas as coisas e foi capaz de representar a própria Cerimônia no Ar descrita por Shakyamuni na forma de Gohonzon para que pessoas comuns, como nós, possam acessar rapidamente a mesma condição iluminada que a dele. Se diariamente recitar corretamente o Nam-myoho-renge-kyo diante do Gohonzon, naturalmente o estado de buda passa a tornar o estado básico de vida.


Diretamente com a Lei

Uma prática religiosa correta precisa pôr o indivíduo em contato direto com a Lei. E Nichiren tinha o desejo de dialogar, compartilhar e ensinar pessoalmente o caminho da iluminação para todas as pessoas de todas as épocas. Ele não aceitava que a felicidade absoluta precisasse de intermediários e queria mostrar um caminho direto e certeiro. “O Buda é uma pessoa que luta continuamente para abrir os olhos das pessoas e conectá-las diretamente com a Lei”, diz o presidente Ikeda. O Gohonzon é, então, como uma carta preparada pelo Buda diretamente para você. É como se o próprio Buda estivesse na sua frente, ensinando a ser um buda e a jamais desistir de lutar. “O presidente Toda reverenciava o Gohonzon como se o próprio Nichiren Daishonin estivesse diante dele” , complementa.


Sendo direto

Josei Toda, segundo presidente da Soka Gakkai, dizia de maneira direta: “O que vem a ser a iluminação nos Últimos Dias da Lei? É acreditar sinceramente no Gohonzon. A própria fé no Gohonzon é o mesmo que atingir a iluminação.” Mas que fé é essa? “É aquela fé na qual não importando o que aconteça se mantém firme sempre.”


Por que o Gohonzon é representado pela escrita?

A escrita é a melhor maneira de expressar e transmitir o sentimento do coração. O presidente Ikeda salienta que “O atributo invisível do coração ou da mente pode ser melhor expressado por meio das palavras. Daishonin diz: ‘As palavras expressam e transmitem, por meio da voz, os sentimentos que abrigamos no coração.’ As palavras podem ser registradas e transmitidas por meio da escrita também. Os sutras registram e transmitem na forma escrita a vida do Buda.”

Emprestar a voz

A forma gráfica é a única capaz de representar o Buda em sua totalidade. Segundo os escritos, um buda é dotado de 32 características. Dentre elas, a “voz pura e de longo alcance” é a única invisível e permanece latente até que o praticante empreste o som da sua própria voz para dar forma concreta à voz do buda. Ao recitar o “daimoku de juramento”, emprestando a voz, é a chave para entrar em fusão com Gohonzon.


O Gohonzon poderia ser uma pintura, uma estátua ou imagem?

Não. O efeito não seria o mesmo. O presidente Ikeda explica: “A forma de apreciar uma pintura ou uma escultura é muito subjetiva, difere de pessoa a pessoa. É uma tendência do ser humano deixar-se atrair pela forma ou expressão estética que tem ante os olhos, e isso é um obstáculo para entender a verdade que essa forma representa. Os sutras registram e transmitem na forma escrita a vida do Buda.”


O comportamento diante do Gohonzon

É fundamental orar com fé de que você tem poder igual ao do Buda e com o sentimento de promover o kosen-rufu, isto é, propagar o budismo para a felicidade de outras pessoas. O kosen-rufu é a representação concreta do Nam-myoho-renge-kyo como centro da vida, porque se reconhece o estado de Buda na vida de todas as pessoas. Kosen-rufu é o viver, o exercício diário de um buda, é executar o conteúdo do Gohonzon, é manifestar o poder do Gohonzon na vida diária.


Orar com a mesma intenção do Buda

Recitar daimoku sem a intenção do kosen-rufu é como acumular uma grande riqueza sem usufruí-la. Dedicar-se ao kosen-rufu é empregar a força do Gohonzon de forma máxima na vida diária. Apegar-se unicamente às questões pessoais é limitar esse poder.


Ações concretas

“O Gohonzon incorpora a benevolência do Buda. Porém, se orarmos diante dele sem agir concretamente em prol do kosen-rufu, a imensa benevolência de Nichiren jamais permeará nossa vida. Somente quando manifestamos o 'mesmo espírito de Nichiren' e nos tornamos 'discípulos de Nichiren', ou seja, quando nos levantamos com a mesma determinação de Nichiren pelo kosen-rufu, é que essa imensa benevolência flui em nossa vida como um grande rio”, diz o Mestre.


Fé ideal

Orar diante do Gohonzon com uma fé ideal abre os canais dos benefícios e da energia vital abundante. A fé ideal é acreditar que todas as pessoas são a manifestação do Nam-myoho-renge-kyo. É acreditar que todos têm o estado de buda! Isso gera um comportamento natural de respeito máximo, assim como Nichiren. Praticar assim amplia a vida ao não permitir uma prática restrita a si mesmo. É tal como assumir um comportamento coerente com o que está escrito no pergaminho. “A configuração do Gohonzon sugere a igualdade e a nobreza de todas as pessoas. O Gohonzon tem o poder de gerar harmonia e cooperação, e de acabar com divisões e conflitos”, cita o presidente Ikeda.


Fonte que jamais seca

“O benefício do Gohonzon é inesgotável. É tão ilimitado e absoluto que não dá sequer para compará-los aos benefícios que recebemos ao longo de nossa prática até o presente momento. A mudança do destino da humanidade é o benefício supremo do Gohonzon, e o que torna isso possível é a fé da Soka Gakkai”, finaliza Ikeda sensei.


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.036, 22 maio 2010, p. A6
Brasil Seikyo,
ed. 2.327, 11 jun. 2016, p. A8
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;