Você é vidro ou algodão?
  • CONHEÇA O BUDISMO

Você é vidro ou algodão?

O vidro é um material frágil. Se manuseado de maneira errada pode cair, rachar ou se partir em mil pedaços. Podemos fazer uma paralelo com as relações em sociedade nos dias de hoje: frágeis e fragmentadas. 


Se relacionar é quase sempre um exercício de sabedoria e compaixão. E quando praticamos o budismo entramos em contato com uma nova perspectiva de olhar para os fatos, visão esta que mostra o significado profundo de tudo o que acontece em nossa vida, e independente de crenças o valor de nossa existência se encontra em nossa atitude do dia a dia. 


Para ilustrar, vamos usar um episódio relatado pelo Dr. Daisaku Ikeda com o seu mestre, Josei Toda:


"Jamais me esquecerei do dia 3 de maio de 1951. Nessa data, Josei Toda tomou posse como segundo presidente da Soka Gakkai. No fim da cerimônia, ele regeu uma canção com tanto vigor que o jarro e o copo sobre a mesa se chocaram e quebraram. O presidente Toda imediatamente nos ensinou o seguinte:


'O jarro pode alegar: 

- Quebrei porque o corpo de vidro bateu em mim. 

O copo, por sua vez, pode retrucar: 

- Quebrei porque o jarro de vidro bateu em mim. 


De fato, eles quebraram porque ambos possuíam inerente um elemento para que isso ocorresse. 

O que teria acontecido se o choque fosse entre algodão e um copo de vidro? 

Eles nunca se quebrariam. 


Na fé é o mesmo. Muitos pensam que são infelizes por causa de outras pessoas. Isso está errado. Se nos tornarmos algodão, ninguém nos quebrará. É inútil culpar os outros. Precisamos mudar nosso próprio destino'.


Valendo-se desse incidente que ocorreu bem diante de nossos olhos, o Sr. Toda nos ensinou, de forma fácil e direta, como a filosofia budista é profunda.


O mesmo se aplica à nossas relações. As circunstâncias não são as responsáveis pelos nossos sofrimentos. É importante que [...] tenham força suficiente para permanecerem inabaláveis quando algo desagradável ocorrer."


A analogia do Sr. toda foi simples, mas carrega uma enorme reflexão sobre a maneira como lidamos e reagimos às circunstâncias do cotidiano. Será que estamos sendo como o vidro nos fragmentando e tornando cada vez mais frágeis as nossas relações? Ou estamos sendo como algodão? Oferecendo alento e neutralizando a vulnerabilidade das pessoas de nosso convívio?

Fonte: Terceira Civilização, Ed. 486, 01 fev 2009/Pequenos, Grandes Valores

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;