A religião nasceu da oração
  • ARTIGOS

A religião nasceu da oração

Tudo se inicia a partir do ser humano e termina com o ser humano

A religião nasceu da oração. A fé nasceu do anseio pela felicidade. Mesmo aqueles que se dizem ateus oram por algo. “Quero sair deste sofrimento”; “Quero ter uma vida melhor”; “Quero proteger minha família” — desejar fortemente por essas coisas com certeza é algo natural e inerente a qualquer ser humano. A oração do budismo existe justamente para que essas orações e essa situação almejada possam entrar em perfeita sintonia e serem concretizadas com base na lei da vida.


O budismo buscou em profundidade a “grande lei da vida”, a base essencial de todas as leis que compõem os fenômenos materiais e espirituais e a revelou para as pessoas: a Lei Mística. Ela não é visível aos olhos, mas Nichiren Daishonin a representou em forma de Gohonzon para extrairmos e evidenciarmos a força da Lei Mística que permeia a tudo.


O presidente Toda nos ensinou a respeito do Gohonzon: “É inapropriado dizer dessa maneira, mas podemos compará-lo a uma verdadeira ‘máquina de fazer felicidade’”. Com base nos inabaláveis poderes da fé e da prática, se manifestam os ilimitados poderes do Buda e da Lei.


A mais suprema crença

O budismo ensina a realizar nossa transformação interior para alcançarmos uma condição de vida mais elevada. O ponto extremo disso é a “iluminação nesta existência” e a “revolução humana”.


Tudo se inicia a partir do ser humano e termina com o ser humano. O ser humano é em si o grandioso solo e podemos dizer que a religião é o solo do coração. Os empreendimentos da sociedade são como as árvores, matas e flores que nasceram sobre esse solo. O importante é esse solo ser cultivado de maneira correta e possuir uma vigorosa energia vital saudável e rica.


Nichiren Daishonin ensinou uma frase de Tiantai [estudiosos do budismo] a seu discípulo Shijo Kingo: “Uma pessoa aceita por causa do seu poder de fé e continua por causa do seu poder de oração”.


A fé é a mais suprema crença e o que existe de mais nobre e forte neste mundo. Quanto mais difíceis as circunstâncias, mais as pessoas de fé se alegram e se enchem de coragem para desafiá-las determinando dentro de si: “É a oportunidade de realizar minha revolução humana!”. A fé é, sem dúvida, infinita esperança.


Fonte:
Brasil Seikyo, ed. 2.249, 25 out. 2014, p. A2
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;