Apresentei o budismo, mas a pessoa não quer praticar. E agora?
  • DIÁLOGOS

Apresentei o budismo, mas a pessoa não quer praticar. E agora?

Tudo se resume em vocês compartilharem confiantemente com seus amigos sua convicção e experiência na prática da fé

Sessão de perguntas e respostas com os participantes do Curso de Aprimoramento dos Jovens da SGI.

Apesar de nosso tempo de hoje estar limitado devido a sua programação do curso de aprimoramento, gostaria de dedicar alguns momentos para responder a quaisquer perguntas que tiverem, já que vocês vieram de tão longe. Se tiverem algo que gostariam de perguntar, por favor, não façam cerimônia.


Integrante da DMJ da SGI-Costa do Marfim: Estamos realizando um sincero diálogo para apresentar nossos amigos ao budismo. O que devemos dizer às pessoas que afirmam “Eu entendo o que você está dizendo, mas não quero participar”?

Pres. Ikeda: A chave para isso está na oração. O importante é orar ao Gohonzon com firme determinação. Não há nada mais poderoso do que a oração. E isso não é mera teoria. Sem oração, todos os nossos esforços não nos levarão a lugar nenhum. Quando conversamos com as pessoas com base em nossas sinceras orações, as coisas seguramente começarão a mudar. Cada um tem também seu tempo. Chegará um dia o tempo de essa pessoa despertar para o correto ensinamento do budismo. Se orarmos por essas pessoas, isso com certeza acontecerá. Não devemos ficar impacientes. Por favor, tenham paciência e perseverança. A paciência é essencial para a vitória.

E quando houver pessoas que não derem uma resposta conforme a que esperamos, isso não quer dizer que elas estão nos dando a maravilhosa oportunidade de orarmos muito mais daimoku?! (risos)

Todo o benefício desse daimoku também virá para nós. Nenhum esforço que empreendemos em prol do kosen-rufu é desperdiçado. Não existe algo tal como uma “perda”. As atividades da SGI nada mais trazem que um “ganho positivo”.


Membro da DFJ da SGI-Austrália: Por favor, o senhor poderia nos dizer alguns dos pontos que devemos ter em mente quando formos conversar com outros jovens de nossa idade a respeito da grandiosidade do Budismo de Nichiren Daishonin?

Pres. Ikeda: O importante é conversar com eles com sinceridade. Pode ser a primeira vez que a pessoa esteja ouvindo sobre o budismo. Portanto, é importante que vocês falem de uma maneira genuína e de coração aberto, de tal forma que seja de fácil compreensão. Falem com convicção sobre a grandiosidade do budismo e da fé. E mostrem-lhes a prova real que tiveram por meio da fé; falem sobre viver uma existência de profunda convicção e sobre como vocês criaram uma vida de valor em que avançam com coragem e ilimitada esperança rumo ao futuro.

Tudo se resume em vocês compartilharem confiantemente com seus amigos sua convicção e experiência na prática da fé. Isso planta as sementes da felicidade e da esperança na vida das pessoas com quem vocês conversarem. Essas sementes por fim criarão raízes, germinarão e conseqüentemente desabrocharão. Até que isso aconteça, é suficiente que vocês continuem a orar e a aguardar pelo tempo.



Fonte: BS, ed. 1.690, 1 mar. 2003, p. A4

TAGS:DIÁLOGOS

• comentários •

;