As dificuldades da vida possuem um profundo significado
  • ARTIGOS

As dificuldades da vida possuem um profundo significado

Deparar-nos com dificuldades é indispensável para fortalecermos nossa vida

“Vocês dois [irmãos Ikegami] têm mantido a fé no Sutra do Lótus; por isso, agora, estão se libertando dos graves crimes que cometeram no passado. Por exemplo, as imperfeições do ferro tornam-se aparentes quando ele é forjado. Quando uma rocha é submetida ao fogo, ela simplesmente se transforma em cinzas, mas o ouro se torna ainda mais puro. Esta provação [o fato de o pai os ter deserdado], mais do que qualquer outra coisa, comprovará a fé genuína de vocês, e as dez filhas demônios do Sutra do Lótus [divindades protetoras do budismo]⁷ com certeza os protegerão.” (CEND, v. I, p. 520 / Carta para os Irmãos)


A Soka Gakkai vem promovendo o kosen-rufu exatamente como Nichiren Daishonin instrui em seus escritos, combatendo nesse processo os “três obstáculos e quatro maldades” e os “três poderosos inimigos”.


As dificuldades ocorrem porque nossa prática é correta. Como indicam as palavras “O sábio se alegra, ao passo que o tolo recua” (CEND, v. I, p. 666), o que importa é se encaramos corajosamente os desafios que surgem em nosso caminho ou nos encolhemos de medo e fugimos deles. O que importa é nossa atitude na fé no momento crucial.


Ao praticarmos este budismo, podem emergir situações que nos levem a questionar ou duvidar do poder da fé. Mas fatos que escapam da compreensão meramente intelectual podem revelar importantes verdades sobre a nossa vida quando examinadas com os olhos do Buda. Nessa perspectiva, as várias dificuldades da vida sempre possuem um profundo significado.


O profundo significado das adversidades enfrentadas em prol do budismo


Nichiren Daishonin afirma aos irmãos Ikegami, os quais se viam cercados de problemas por todos os lados, que em virtude da forte fé deles estavam se libertando dos efeitos do mau carma decorrente da ofensa de caluniar o budismo em existências passadas.


Como Daishonin explica por meio de uma analogia, quando o ferro é aquecido e forjado repetidamente, as impurezas que poderiam tê-lo enfraquecido vêm à superfície. Nesse contexto, forjar o ferro corresponde a enfrentar dificuldades como praticantes da Lei Mística.


Nichiren Daishonin diz em seguida que as pedras, quando são expostas ao fogo, reduzem-se a cinzas, mas o ouro, ao ser aquecido, se transforma em ouro puro, e acrescenta: “Esta provação, mais do que qualquer outra coisa, comprovará a fé genuína de vocês” (CEND, v. I, p. 520) — ou seja, revelará o verdadeiro valor deles como genuínos discípulos.


A mensagem essencial aqui é que devemos basear nossas ações na fé sincera. Quando fazemos isso, as funções positivas do universo nos protegem. Como essas funções atuam para amparar nossa vida, não há como não vencermos na luta contra nosso carma.


Daishonin expressa que os obstáculos que os irmãos Ikegami enfrentavam surgiram precisamente porque a fé deles era forte. Quando discípulos legítimos se empenham com fé genuína, as forças protetoras entram em ação. Deparar-nos com dificuldades no curso desses esforços é indispensável para fortalecermos nossa vida e consolidarmos uma condição de felicidade eterna.


Todas as adversidades que enfrentamos no decorrer dos nossos esforços na prática budista e nas atividades da Soka Gakkai possuem um significado. A vida daqueles que se dedicam incansavelmente em prol do kosen-rufu emite um brilho perene, como a excelente espada tão cintilante e forte tal qual um diamante.


A prova da extraordinária vitória do discípulo


Durante a Segunda Guerra Mundial, Makiguchi sensei esteve em Fukuoka, Japão, para participar da primeira convenção de Kyushu. Isso se deu em 1941.


Pouco antes do início da reunião, um membro foi correndo ao encontro de Makiguchi sensei informar que três agentes da Polícia Secreta do Japão — conhecida como Polícia do Pensamento da época da guerra — estavam presentes. O presidente Makiguchi assegurou-lhe que tudo transcorreria bem e entrou tranquilamente no local.


Mesmo quando as reuniões de palestra eram realizadas sob a vigilância da Polícia Superior Especial, ele continuava se pronunciando em defesa daquilo que acreditava ser certo. Minha esposa, Kaneko, testemunhou isso pessoalmente quando criança.


Recusando-se a se deixar intimidar pelas autoridades, o Sr. Makiguchi se devotou totalmente à ampla propagação do ensinamento correto nos Últimos Dias da Lei. Sua luta incorpora a própria essência do espírito da Soka Gakkai.


O que importa é seguir em frente com fé inabalável, pois se desistir no meio do caminho se desviará do caminho da verdadeira felicidade.


Os irmãos Ikegami gravaram no coração a orientação rigorosa, porém benevolente, de Daishonin e ultrapassaram a provação da deserção do irmão mais velho, Munenaka, pelo pai duas vezes. No fim, obtiveram a prova de uma gloriosa vitória, conduzindo até mesmo o pai à prática do Budismo de Daishonin.


A alegria de Nichiren Daishonin pela conquista de seus discípulos foi imensa.


A adversidade é que nos habilita a atingir o estado de buda


[Em Um Barco para Atravessar o Mar dos Sofrimentos] Daishonin aponta: “Nos Últimos Dias da Lei, o devoto do Sutra do Lótus aparecerá infalivelmente. Quanto piores forem as adversidades que recaírem sobre o devoto, maior será a alegria que ele sentirá devido à forte fé. O fogo não arde mais intensamente quando a lenha é adicionada?” (CEND, v. I, p. 33).


Em perfeita consonância com essas palavras, a Soka Gakkai vem avançando munida da ardente decisão de jamais ser derrotada. O bravo espírito de luta de considerar adversidades como medalhas de honra é a alma da SGI.


Em Registro dos Ensinamentos Transmitidos Oralmente, Daishonin declara: “Dificuldades surgirão, e estas devem ser acatadas como [paz e tranquilidade]” (cf. OTT, p. 115).


Makiguchi sensei declarou: “Quanto maiores nossos obstáculos, maior nossa certeza de atingir o estado de buda”. E Toda sensei afirmou: “Em suma, problemas nos permitem crescer e nos desenvolver; pessoas desonestas possibilitam que ampliemos e elevemos nossa condição de vida. Quando adotamos uma perspectiva positiva, somos capazes de viver com força e confiança”.


Todas as pessoas e sociedades têm de lidar com problemas e dificuldades. A total ausência de adversidades é algo impossível. Mas são esses desafios que nos tornam genuinamente fortes. Precisamos lutar e vencer com base na fé, sentindo-nos ainda mais felizes quanto mais árdua for a situação, assim como Daishonin.



Fonte:

Brasil Seikyo, Edição 2414, 07/04/2018, pág. B3 / Encontro com o Mestre


TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;