As dificuldades nos dão força e benevolência para ajudar os outros
  • ARTIGOS

As dificuldades nos dão força e benevolência para ajudar os outros

Extraído da mensagem do presidente Ikeda enviada às representantes que participaram da 13ª Conferência do Grupo de Enfermeiras da Divisão das Senhoras na SGI do Japão.


No dia 16 de junho de 1963, às 12h30, a astronauta soviética Valentina Tereshkova tornou-se a primeira mulher a viajar para ao espaço. Tereshkova, corajosa astronauta de um radiante sorriso que cativou o mundo 35 anos atrás, hoje é simpatizante da SGI. Falei sobre ela na Nova Revolução Humana e na série "Recordações de meus Encontros com Grandes Personalidades".

Valentina Tereshkova

Tereshkova foi lançada na espaçonave soviética Vostok6, orbitando a Terra 48 vezes em um período de duração de 70h50min., ou aproximadamente três dias. Sua voz foi transmitida do espaço para as pessoas do mundo todo ao exclamar, usando seu código de identificação: "Sou eu, Gaivota!".

Quando minha esposa e eu nos encontramos com Tereshkova, ela se recordou do sentimento de profundo amor e afeição que tomou seu ser quando viu o nosso lar, a Terra, do espaço. Cada continente e oceano, exclamou, possuía sua própria beleza.

Antes de se tornar astronauta, Tereshkova era uma jovem comum, empregada de uma tecelagem. Somente quando conseguiu desafiar corajosamente todos os obstáculos e superar o rigoroso treinamento físico é que ela firmemente pôde se tornar astronauta e realizar seu sonho de viajar pelo espaço. Ela desconhecia a atitude derrotista de simplesmente desistir ao falhar. Confessou que jamais foi o tipo de pessoa que se acomoda na areia da praia, esperando ociosamente o tempo melhorar; ela acreditava que é preciso lutar pelo futuro e superar com coragem todas as dificuldades.


De onde ela extraiu sua força? Tereshkova respondeu que aprendeu com sua mãe, a quem descreve como "minha heroína". Quando tinha apenas 27 anos, sua mãe perdeu o marido na guerra, ficando com três filhos para criar sozinha: a pequena Tereshkova, com três anos, sua irmã mais velha e seu irmão mais novo. No entanto, a mãe não permitiu que as adversidades a derrotassem. Em louvor ao espírito resoluto de sua mãe, Tereshkova dedicou-lhe a seguinte estrofe de autoria do poeta russo Nicolai Nekrasov(1821-1878):

Existe uma garota que vive em

uma vila russa

Sua face irradia uma silenciosa

determinação

Cada movimento seu possui uma

graciosa força

Seu andar e seu olhar são os de

uma rainha

...

em temer a desventura, ela se

lança para salvar outras vidas

Capaz de segurar as rédeas dos

cavalos selvagens

E se lançar inteira em uma casa

em chamas.2.

Sempre senti que esse poema também descrevia exatamente a beleza e a força do Grupo de Enfermeiras.

Tenho certeza de que todas as senhoras enfrentam diversos desafios em sua vida diária. Sei que muitas estão trabalhando arduamente não somente em sua profissão como também estão ocupadas criando seus filhos. Sei também que algumas das senhoras são as únicas praticantes do budismo em sua família. Porém, tenho a plena convicção de que todos os seus presentes obstáculos e esforços - embora muitas vezes em excesso comparando-se às pessoas comuns - com certeza se tornarão uma fonte de força e benevolência, capacitando-as a abraçar muitas pessoas calorosamente e trabalhar em prol delas.

Dizem que Florence Nightingale possuía uma personalidade que brilhava por ter suportado inabalavelmente tempestades após tempestades de obstáculos. Sua presença era tão forte que mesmo sem pronunciar uma única palavra, ela encorajava seus pacientes, evitando que eles caíssem no desespero.

A fé é a principal fonte de esperança para toda a humanidade. Cultivando uma forte fé, espero que cada uma das senhoras se fortaleça a fim de vencer todos os obstáculos e viver com coragem e alegria.


Os laços de amizade entre Tereshkova e os membros da Divisão das Senhoras permanecem firmes. A ex-astronauta insiste em que jamais devemos nos permitir que esta bela Mãe Terra azul seja poluída pela cinza obscura da guerra nuclear, e clama às mulheres da "Espaçonave Terra" para que se unam na busca da paz.

Em termos práticos e reais, como emissárias celestiais que se dedicam, dia e noite, à proteção da vida, todas as senhoras do Grupo de Enfermeiras estão contribuindo para a paz. Tereshkova é presidente [na época] do Centro Russo para a Cooperação Cultural e Científica Internacional. Outro dia, ela me enviou uma mensagem dizendo que eu construí uma ponte dourada de amizade entre a Rússia e o Japão, reforçando a nossa eterna amizade.



Notas:

1. Traduzido do japonês, Valentina Tereshkova, Tereshikowa Jiden(Autobiografia de Valentina Tereshkova). Tóquio, Godo Shuppan, 1965, p. 145.

2. Ibidem, p. 65-66.

3. Cf. Gregorio F. Zaide, Jose Rizal: Life, Works, and Writings(José Rizal: Vida, Obras e Escritos). Manila, C. F. Villanueva Bookstore, 1957, p. 260.

4. Traduzido do japonês. Mansaku Itami, Itami Mansaku Essei Shu(Ensaios de Mansaku Itami). Tóquio, Chikuma Shobo, 1979, p. 79-80.


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 1.488, 12 dez. 1998, p. 3

TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;