Avante! O segredo é não recuar
  • ARTIGOS

Avante! O segredo é não recuar

Discurso do presidente Ikeda proferido na 90ª Reunião de Líderes Comemorativa do Dia 3 de Julho, realizada em conjunto com a Convenção da Divisão dos Estudantes, Tóquio, 28 de junho de 1995.

Somente aqueles que experimentaram a rigorosidade do inverno conhecem, de fato, a alegria da primavera. O mesmo vale para tudo na vida.

O filósofo suíço Carl Hilty (1833– 1909) afirmou: “Só sabem o que é fundamentalmente alegria aqueles que passaram por muitos sofrimentos. Os outros conhecem meramente o prazer, que, de modo algum, vem a ser a mesma coisa”.¹ Aqueles que não experimentaram o sofrimento não podem saber o que é a verdadeira alegria — como isso é real!

Hilty também observou sabiamente: “A felicidade não tem relação com o fato de se ter poucas ou nenhuma dificuldade na vida, mas de sobrepujar todas elas gloriosa e vitoriosamente”.²

A felicidade na vida reside em triunfar sobre todos os obstáculos, afirma ele. Esse ponto de vista é inteiramente similar ao ensinamento budista de que os sofrimentos originados dos desejos mundanos são um trampolim para a iluminação.

Existem pessoas que tentam vencer na vida sem empreender nenhum esforço genuíno, que tentam lucrar e progredir sem efetuar esforço árduo algum. Elas alcançam a verdadeira felicidade? A falsa aparência no fim é desmascarada, e o fingimento tem alcance limitado.

Na natureza, o inverno sempre se torna primavera. O que é necessário para que o mesmo ocorra no mundo dos seres humanos?

Hilty declara: “Avante! — esta breve frase tem um efeito quase mágico cada vez que enfrentamos uma crise interna”.³ Perseverem diante de tudo; prossigam, não importando qual seja a dificuldade. Perseverar é o segredo de tudo, conclui ele.

Parafraseando Hilty, quando sua mente parecer prestes a adormecer, ou quando forem dominados por uma sensação de letargia digam a si mesmos: “Avante!”. Essa breve frase dará um choque de ânimo e fará despertar uma disposição salutar. O espírito elevado novamente fica livre para se mover em direção à verdade, ao que é justo e correto. Quando sentirem que estão sucumbindo a sentimentos de futilidade ou apatia, levantem-se e se forcem a seguir adiante!


“Seguirei este caminho!”

Todos nós enfrentamos problemas e nos deparamos com impasses de tempos em tempos — pode ser nas atividades da SGI, no trabalho ou nos relacionamentos. Esse é o momento de perseverar. Continuem avançando e conquistem a vitória. Não há outro caminho.

Pode haver momentos em que a vida, em si, pareça um fardo; e que nos sintamos presos ou pressionados por algo, passivos e vítimas das circunstâncias, e de alguma forma tenhamos a sensação de estar perdidos. É o momento certo para descartar nossa passividade e transformá-la em iniciativa, dizendo a nós mesmos: “Seguirei este caminho!”, “Cumprirei minha missão de hoje!”. Se decidirmos agir assim, a aurora da primavera genuína despertará em nosso coração e as flores começarão a desabrochar.

Perseverar, para nós, significa dar continuidade a nossos esforços para recitar Nam-myoho-renge-kyo e compartilhar o Budismo Nichiren com uma pessoa após outra. Nós, que conhecemos esta forma prática e segura de transformar o inverno em primavera, somos realmente afortunados.

Meu mais sincero desejo é que uma sólida correnteza de extraordinários líderes da SGI para o século 21 surja da Divisão dos Jovens. Movido pela forte esperança nesse sentido, gostaria de reiterar minha recomendação de que continuem buscando desafios.

O Sr. Toda costumava dizer: “Por que me tornei presidente da Soka Gakkai? Porque perdi minha esposa, perdi minha amada filha, e porque vivenciei todos os tipos de amargos obstáculos. É por essa razão que me tornei presidente” . Por ter suportado enormes adversidades, ele era qualificado a ser presidente — essa era a filosofia do Sr. Toda.


Experimentar adversidades nos permite aprofundar a fé

Ainda me recordo vividamente das palavras do industrial japonês [e fundador da Panasonic Corporation] Konosuke Matsushita (1894–1989), com quem dialoguei diversas vezes: “Sr. Ikeda, quão verdadeiro é o fato de que as pessoas devem batalhar durante a juventude e até mesmo procurar deliberadamente o trabalho árduo!”.

Atualmente, as pessoas tentam se esquivar do trabalho duro. Elas parecem achar que trabalhar arduamente esteja fora de moda, isto é, um desperdício de energia. Entretanto, este não é certamente o caso. Em suma, todos os nossos esforços são para nós mesmos.

Vivemos numa época em que as pessoas se entregam facilmente à autocomplacência e deixam tudo a cargo dos outros. Empenhar-se para desenvolver e treinar a si mesmo não é considerado importante. Porém, tal atitude tem levado muitos a perder o senso de propósito e de identidade.

Em virtude da predominância desse espírito, as pessoas determinadas a buscar ativamente o trabalho árduo conquistarão grande recompensa e benefício. Aqueles que se desenvolvem completamente e constroem um eu invencível serão vitoriosos.



Fonte: Com base no BS, ed. 2.322, 7 maio 2016, p. B3 e B4

Notas:

1. Traduzido do alemão. HILTY, Carl. Glück im Unglück (Happiness amid Misfortune), Neue Briefe (New Letters). Leipzig: J. C. Hinrichs’sche Buchhandlung, 1906. p. 57.

2. Traduzido do alemão. HILTY, Carl. Für Schlaflose Nächte (For Sleepless Nights). Leipzig: J. C. Hinrichs’sche Buchhandlung, 1908. p. 71.

TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;