Buda é quem vence a negatividade
  • ARTIGOS

Buda é quem vence a negatividade

Se você luta com espírito e ação corajosos até vencer, manifesta a condição de buda

Discurso do presidente da SGI, Daisaku Ikeda durante o Curso de Aprimoramento para integrantes da Divisão dos Educadores da Soka Gakkai, integrantes da Divisão Feminina da BSGI e representantes da Itália e da Província de Niigata, realizado no dia 4 de agosto de 1994. Essa reunião foi promovida no Centro de Treinamento de Nagano, no Japão. O discurso foi publicado no jornal Brasil Seikyo de 13 de agosto de 1994.


O que é um buda? E como Shakyamuni atingiu o estado de buda?

Hajime Nakamura, um dos mais importantes budólogos do mundo, e que também colaborou com o Instituto de Filosofia Oriental, disse, a respeito desse assunto: “Mesmo após atingir o estado de buda, Shakyamuni continuou um ser humano.”

Mesmo após ter atingido o estado de buda, Shakyamuni experimentou a dor e o sofrimento. Ele conheceu a doença. E continuou a ser tentado por forças negativas.

O professor Nakamura continua:

A essência do budismo deve ser então identificada como a prática de rejeição à tentação. O esforço incessante e assíduo é a prática para atingir o estado de buda. Quando se atinge a iluminação (satori) uma pessoa não assume alguma forma diferente de existência chamada “buda”.

As “tentações” de que o professor Nakamura fala são influências negativas e maus amigos (akutishiki). São forças que obstruem a prática budista, que levam à infelicidade, que destroem a harmonia dos crentes, e que nos tentam a abandonar a fé.

A pessoa que luta implacavelmente contra essas influências malignas e continua a conduzir os outros para a felicidade é um buda. Um buda não é alguma forma de existência distinta e especial. A pessoa que luta com espírito e ação corajosos e que continua a batalha contra as forças negativas até vencer é um buda.

O estado de buda existe na fé de uma pessoa que se dedica à prática budista e luta para alcançar o kosen-rufu. Uma pessoa que falha em lutar nos momentos cruciais é hipócrita e covarde. O estado de buda não se manifesta nesse tipo de pessoa; neste caso, só existe o estado de Inferno.

É impossível que alguém atinja alguma iluminação especial sem prática, sem lutar incansavelmente pelo kosen-rufu.


Todos vocês estão agora se empenhando nas atividades, tornando seus os sofrimentos dos outros. Este é realmente o comportamento do Buda. Nichiren Daishonin diz que “aquele que persevera através de grandes perseguições e abraça o sutra do início ao fim é um emissário do Buda”. Uma vez que estamos nos empenhando para concretizar o kosen-rufu, com certeza encontraremos perseguições. E é exatamente a presença de grandes obstáculos que serve para fortalecer a nossa fé e evidenciar o estado de buda inerente dentro de nós.


O budismo distingue entre ensinar de acordo com o pensamento do Buda (zuijii) e ensinar de acordo com o pensamento dos outros (zuitai). Ensinar de acordo com o pensamento do Buda significa ensinar o budismo exatamente como ele é, sem levar em conta a capacidade das pessoas. Ensinar de acordo com o pensamento dos outros significa adaptar os ensinamentos para igualá-los aos interesses das pessoas e sua capacidade de compreensão.

O Sutra do Lótus é a verdade máxima que está de acordo com o pensamento do Buda. Todos os sutras anteriores ao Sutra do Lótus são provisórios e estão de acordo com o pensamento das pessoas. Os ensinamentos que estão de acordo com o pensamento dos outros não têm força para capacitarem as pessoas a atingirem o estado de buda. O ensinamento de Daishonin é supremo porque foi exposto de acordo com o pensamento do Buda.

Abandonar este espírito essencial e adotar o pensamento dos outros significa a extinção do Sutra de Lótus. Isso é uma depravação e, como destrói a fé na Verdadeira Lei, é realmente um fato terrível.

É impossível levar os seres humanos ao estado de buda com uma filosofia que esteja de acordo com o pensamento dos outros. Esses ensinamentos tampouco são capazes de salvar as pessoas ou torná-las felizes. E se o budismo não pode fazer isso, que finalidade eles têm?

O único objetivo dos ensinamentos que estão de acordo com o pensamento das pessoas é levá-las ao Sutra do Lótus, que está de acordo com o pensamento do Buda.



Reclamar não ajuda. Lamentar não produz benefícios. Quando enfrentamos problemas, a forma de despertar a coragem de alguém é pensar positivamente. Se se estabelece um objetivo positivo — aprender algo novo, recuperar a saúde, ter dinheiro — a coragem, a esperança e a sabedoria brotarão para enfrentar o desafio. Para nós que abraçamos a Lei Mística, é ainda mais certo que podemos transformar o veneno em remédio.

TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;