Cada pessoa tem uma natureza singular
  • ARTIGOS

Cada pessoa tem uma natureza singular

Discurso do presidente Ikeda daptado da obra Diálogo sobre a Juventude II, publicado em japonês em setembro de 2000.


Todos têm uma missão. Nascemos porque temos uma missão. Por isso, devemos viver e perseverar diante de quaisquer situações.

A palavra japonesa que designa “missão” significa “usar a própria vida”. Para qual propósito usamos nossa vida? Qual o propósito de termos sido enviados pelo universo para nascer neste mundo?

O budismo vê o universo como uma vida de proporções gigantescas. Se o compararmos com o vasto oceano, a vida de cada indivíduo é como uma onda desse oceano. Quando uma onda se forma, refere-se à “vida”; quando ela retorna para o oceano, representa a “morte”. Tanto na vida como na morte, a vida de cada indivíduo é una com o universo.

O universo inteiro sustenta e auxilia o nascimento de uma única vida. Todos vocês foram enviados para cá com as dádivas e louvores de todo o universo!

Todas as vidas são igualmente preciosas. Não há hierarquia entre os seres vivos. Cada ser tem uma natureza singular. A vida de cada pessoa é tão valiosa quanto o universo — a vida é una com o universo e tão importante quanto ele.



O melhor da vida

Nichiren Daishonin declarou: “A vida é o maior dos tesouros” (WND, v. I, p. 1125), “O Buda expressa que a vida não é algo que possa ser adquirido, nem mesmo pelo preço de um grande sistema de mundos” (WND, v. I, ¬p. 983). E, “Um único dia de vida é mais valioso que todos os tesouros de um grande sistema de mundos” (Ibidem, p. 955.)

Isto explica porque jamais devemos tirar a nossa própria vida, também, por que a violência é errada e por que não devemos ferir ou maltratar os outros: é pelo fato de nenhum de nós ter o direito de infligir danos à vida, um bem tão precioso.

A juventude é um período no qual refletimos sobre o significado de nossa existência. É como um “segundo nascimento”. Nosso primeiro aniversário é nosso nascimento físico. O segundo, nossa juventude, é a época de nosso “nascimento” como seres humanos no sentido real.

Por isso ela é dolorosa; requer o mesmo tipo de esforço e empenho que um filhote realiza para romper a casca do ovo.

O fator crucial consiste em nunca desistir durante esse processo. Lutando e se empenhando para encontrar o seu caminho, orem, reflitam, estudem, conversem com os amigos e enfrentem aquilo que é necessário ser feito agora. Se continuarem a desafiando a si mesmos, sem desistir, conseguirão enxergar qual é a sua missão, aquela que cabe unicamente a vocês cumprir.



Fonte: BS, ed. 2.322, 7 maio 2016, p. B3

TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;