Daimoku é fonte de coragem e sabedoria
  • ARTIGOS

Daimoku é fonte de coragem e sabedoria

Nam-myoho-renge-kyo é a fonte de força para continuar a viver

“Vença em tudo! Budismo é vitória ou derrota!” — este rugido do leão do meu venerado mestre ainda ressoa dentro do meu coração.


Vamos vencer em absolutamente tudo! Pelo kosen-rufu e pela felicidade de nós próprios!

O bloco é a linha de frente da expansão do movimento pelo kosen-rufu. Então, o que é necessário fazer para criar um modelo de bloco? Quando assumi a função de responsável pelo Bloco Katsushika, estabeleci um compromisso com todos: empenhar dedicados esforços para que os nossos membros viessem a realizar o gongyo perfeitamente.


Artes marciais como o judô ou o kendô possuem fundamentos básicos e o fundamento básico da fé para conquistar a felicidade se encontra no gongyo.


Embora aparentemente, num primeiro momento, não seja possível verificar a diferença entre quem realiza gongyo e daimoku diariamente com seriedade e outro que o faz de maneira displicente, após três, cinco e sete anos, essa distância vai se tornando rigorosamente evidente.


A força motriz de tudo, tanto da transformação do destino como da revolução humana, é a realização do gongyo e a recitação do daimoku.


A força da determinação (ichinen) é ilimitada. Vamos visar o nosso máximo, alcançar o topo da montanha mais alta que existe! Ao decidir dessa maneira e orar nesse sentido, uma força extraordinária emana de dentro da nossa vida.


Propagar o budismo e proteger os companheiros

Nichiren Daishonin afirmou: “Manifeste profunda fé polindo seu espelho dia e noite. Como deve poli-lo? Não há outra forma senão recitar o Nam-myoho-renge-kyo”.


A postura com a qual uma pessoa realiza o gongyo transparece na sua maneira de viver. Um gongyo forte, vigoroso, vibrante, imbuído de profunda sinceridade movimenta até mesmo as divindades celestiais.


Em um dos trechos que recitamos diariamente do capítulo “A Extensão da Vida” (Juryo) do Sutra do Lótus consta: “Isshin-yokken-butsu, fuji-shaku-shin-myo” (“Quando ver o Buda é seu único pensamento, não hesitando mesmo que isso custe a própria vida”).


Movido por um ardente espírito de procura, não hesita nem mesmo em perder a vida em prol da Lei — eis a essência da fé.


Propagar o budismo e proteger os companheiros enquanto desafia todos os tipos de adversidades. É neste coração dedicado à incansável batalha que brilha o estado de buda. Em conclusão, não existe outro caminho a não ser recitar o daimoku.


Na nossa prática budista, a recitação do daimoku é a prática mais fácil de se realizar e, ao mesmo tempo, a prática mais difícil. Fato é que o daimoku é exatamente a fonte da força para continuar a viver e também a fonte da coragem e da sabedoria.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 2.246, 4 out. 2014, p. A2
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;