Despertem um amplo consenso global para a paz e o diálogo
  • ARTIGOS

Despertem um amplo consenso global para a paz e o diálogo

Discurso proferido no Encontro dos Alunos do Século XXI da Escola Soka de Tóquio, realizada junto com a cerimônia de entrega de títulos do Distrito Khangalas, na República de Sakha, da Federação Russa, e da Faculdade Feminina Soka Ikeda de Artes e Ciências e também a Escola Secundária de Matrícula Sethu Bhaskara, ambas de Chennai, na Índia. A reunião foi realizada no ginásio da escola em Kodaira, Tóquio, no dia 16 de setembro de 2001.

Laços que geram a paz

Leon Tolstoi

Antes de falecer, o gigante da literatura russa, Leon Tolstoi (1828–1910), escreveu uma carta ao líder espiritual da Índia, Mahatma Gandhi (1869-1948). Nessa carta, que poderia ser lida como um preceito para a posteridade, Tolstoi escreveu com vigor da absoluta inaceitabilidade do uso da violência, considerada do ponto de vista do mais nobre princípio da vida — o amor pela humanidade. Ele incentivou firmemente o jovem Gandhi, declarando que a ação não-violenta que ele promovia era o movimento mais importante do mundo, e que ele prognosticava uma época em que as pessoas do mundo inteiro se uniriam nesse esforço em prol da paz.

Nós também estamos percorrendo esse caminho grandioso e verdadeiro.

Uma bela canção de Sakha que enaltece a importância da amizade para a paz traz os seguintes versos:


Paz, uma maravilhosa palavra,

Os povos do mundo esforçam-se para ouvir,

Como se fosse um hino.

Quando milhões de corações se unem,

Aqueles que iniciam as guerras da ruína com certeza vacilarão.

Chegou a época de despertar um amplo consenso sobre a paz e o diálogo no mundo inteiro.


Retroceder é ser derrotado

Rabindranath Tagore (1861–1941), o eminente poeta indiano que também fundou sua própria escola, escreveu: “A liberdade do homem é nunca estar livre de problemas, mas sim a liberdade de assumir o problema para seu próprio bem, de tornar o problema um elemento de alegria.” 1 Tornar o problema um elemento de alegria — esse é o espírito de um leão.

Rabindranath Tagore

Soube que no Distrito de Khangalas, em Sakha, que me tornou seu cidadão honorário no dia de hoje, há uma rua com o nome de um herói, Konstantin Neustroev-Ursik. Ele foi um jovem defensor que doou a própria vida à revolução para libertar o povo há aproximadamente 120 anos. Tolstoi descreveu-o em um de seus romances. Creio que as últimas palavras de Neustroev-Ursik têm muito em comum com o espírito da Escola Soka. Suas últimas palavras foram: “Eu era um trabalhador comum. Mas nunca traí minha bandeira. Eu acredito nessa bandeira. E hasteio a bandeira da vitória bem alto!”

Recusar-se a trair — esta é a diferença entre uma pessoa de virtude e uma pessoa vil e inescrupulosa. Vamos então reunir novamente a eterna paixão da juventude com a qual cantaremos para sempre nossa canção escolar e viver de forma vitoriosa, livres de quaisquer arrependimentos! Vamos viver com coragem e determinação, vamos viver como leões!

Retroceder é ser derrotado. Avançar sempre, continuar a seguir em frente independentemente do que aconteça — assim é viver de forma grandiosa.



Nota:

1. Rabindranath Tagore, The English Writings of Rabindranath Tagore, vol. 2, Sisir Kumar Das, ed. Nova Délhi, Sahitya Akademi, 1996, p. 305


Fotos:

Leon Tolstoi - Site Homo Literatus

Rabindranath Tagore - Site The Hollywood Reporter


Fonte:

BS, ed. 1.644, 16 mar. 2002, p. A3

TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;