É com as adversidades que polimos a vida
  • ARTIGOS

É com as adversidades que polimos a vida

Discurso do presidente da SGI, Dr. Daisaku Ikeda, proferido numa Reunião de Líderes de Funabashi em 13 de julho de 1987 no Centro Cultural de Funabashi, Tiba.

Se praticamos este budismo para sermos felizes, por que temos de passar por momentos de dificuldades? Em seu discurso, o presidente Ikeda revela que, assim como um grande e belo diamante é produzido sob forte pressão, superar adversidades nos fortalece e nos torna verdadeiros campeões da vida.


Por que devemos nos deparar com as adversidades e suportá-las? O propósito da nossa prática budista é manifestar o estado de buda e este é o estado de felicidade absoluta. Se praticamos o Budismo de Nichiren Daishonin para conquistar a felicidade, por que então necessitamos enfrentar e ultrapassar os obstáculos? A resposta é porque precisamos passar pelo processo das dificuldades para fortalecer o indestrutível eu do estado de buda, assim como um diamante.

O diamante é considerado o rei das pedras preciosas; é o mais forte dos minerais e possui um brilho inigualável. Símbolo de pureza, seu nome se origina da palavra grega “adamas”, que significa “inconquistável” e “invencível”.

Como os diamantes são produzidos? Sabemos que eles são feitos a partir do carbono, assim como o grafite. No fundo do solo do planeta, esse material é exposto a forte calor e pressão, até ao ponto que se transforma na estrutura cristalina de um diamante.

Esse processo é semelhante à forma como nos desenvolvemos. Somente quando expostos à concentrada pressão das dificuldades e ao ardente calor das adversidades é que a essência de nossa vida — o forte eu — se transforma no indestrutível estado de buda como um diamante. É por meio das experiências em enfrentar essas dificuldades que adquirimos o “corpo de um diamante” ou o “corpo do buda”, que reluz o brilho da felicidade absoluta tão fortemente como o de um diamante, capaz de ofuscar qualquer tipo de sofrimento e desilusão.

Uma prática budista tranquila e sem intercorrências e também ausente de dificuldades não nos fortalece nem nos ajuda a polir a vida. Somente quando resistimos ao intenso calor e a forte pressão das grandes adversidades é que brilhamos como campeões da vida, resplandecendo a mais perfeita luz de um diamante.

Um estado de vida igual a um diamante faz cintilar um brilho puro, bonito e imperecível; é sólido e indestrutível, mesmo quando fustigado pelas turbulentas marés da sociedade e pelos obstáculos causados por forças corruptas da maldade. Atingimos esse estado de vida por meio da sincera recitação do Nam-myoho-renge-kyo e da dedicação à causa do kosen-rufu. Assim, nossa vida será eternamente una à Lei Mística e nos dedicaremos ao kosen-rufu livremente por toda a eternidade. Quando acreditamos no Gohonzon e o abraçamos, transformamos a nós próprios e continuamos a evidenciar esse supremo estado de buda, existência após existência.

Por favor, edifiquem uma vida resplandecente e indestrutível, assim como são os diamantes. Sem dúvida, todos os senhores se tornarão diamantes da felicidade que reluzem o extraordinário brilho do seu coração. Assim, jamais temam os obstáculos. Não se permitam ser derrotados pelas críticas; ao contrário, sejam gratos por todos os obstáculos, pois eles contribuem para o seu desenvolvimento.

Aqueles que mostram uma convicção ainda mais forte na fé e se empenham ainda com mais alegria na prática budista certamente terão uma vida de verdadeiros campeões, como os diamantes.

Adornem magnificamente essa preciosa vida com uma brilhante fé e amizade. Vivam seus dias irradiando a sublime luz da vida demonstrando a verdade dos ensinamentos e princípios do Budismo de Nichiren Daishonin.



Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.247, 11 de out. 2014, p. B2.

TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;