"Eu triunfei. Não fui derrotado"
  • ARTIGOS

"Eu triunfei. Não fui derrotado"

Há 70 anos, o presidente Ikeda se encontrava pela primeira vez com seu mestre, Josei Toda

Seleção de trechos de discursos do presidente Ikeda publicada no jornal Brasil Seikyo.


Em 14 de agosto de 1947, o presidente da SGI, Daisaku Ikeda, encontrou-se pela primeira vez com o seu mestre Josei Toda. Este acontecimento mudou para sempre a vida desses dois líderes do kosen-rufu.


Entrei para a Soka Gakkai em 24 de agosto de 1947. Dez dias antes [em 14 de agosto], encontrei meu mestre, Josei Toda, pela primeira vez. Ele estava então com quarenta e sete anos e eu, com dezenove. Mais de meio século se passou. Tenho me dedicado totalmente a cumprir minha missão nesta existência em que encontrei a Lei Mística, que é tão difícil de encontrar, e tive a grande boa sorte de achar um mestre tão raro e excepcional. Venho me dedicando completamente ao caminho da unicidade de mestre e discípulo. Houve dias de tempestades, rajadas de vento e mares revoltos. Ainda assim, posso dizer com total convicção que vivi com o presidente Toda dias de felicidade sem igual.


como conheci meu mestre

Conheci Josei Toda quando me encontrava em plena busca espiritual. Ele respondeu às minhas perguntas [na ocasião] com a maior sinceridade e clareza, sem o menor traço de arrogância. Apesar de ter sido preso pelas autoridades militares sob as piores circunstâncias, jamais abandonou suas crenças. Vi nele o exemplo perfeito de um verdadeiro ser humano. Decidi que ele seria meu mestre e que o seguiria pelo caminho que ele me mostrasse. Naquele momento começou minha nova vida, eu havia renascido.


A convicção de Josei Toda

O poeta alemão Hermann Hesse (1877–1962) escreveu a célebre frase: ‘Do sofrimento surge a força e nasce a saúde... Os sofrimentos nos tornam mais fortes e tenazes’. Conheci Josei Toda, meu mestre da vida, em uma reunião de palestra no bairro de Ota. Quanta convicção ele transmitia em suas palavras! Como era lógica e coerente sua explanação da ‘Tese sobre o estabelecimento do ensino correto para a paz da nação’ (Rissho Ankoku Ron)! Decidi naquele mesmo instante tornar-me seu discípulo.


Desse dia [14 de agosto de 1947] em diante, meu juramento e meus esforços para realizar o kosen-rufu com o mesmo espírito e a mesma dedicação de meu mestre tornaram-se uma paixão flamejante que me consumiu totalmente e que arde cada vez mais. Essa solene cerimônia do dia 14 de agosto, ocasião em que me lancei na jornada do kosen-rufu mundial, está marcada indelevelmente em minha vida. Meu mestre abriu audaciosamente o caminho para a realização do grande desejo do kosen-rufu que consiste na essência do Budismo Nichiren e, após realizar o propósito maior de sua vida, retornou com suprema dignidade ao Pico da Águia.


Nós lutamos e vencemos

Como discípulo do Sr. Toda, tenho me dedicado continuamente à causa do bem e sido alvo de inúmeras calúnias e ataques, exatamente como o buda Nichiren Daishonin ensina. Da mesma forma que meu mestre, tenho avançado vigorosamente pelo caminho da justiça, sem um único dia de descanso. E meus companheiros têm-se dedicado junto comigo com o mesmo comprometimento. Nós lutamos e vencemos. Não temos nenhum arrependimento. Vivo cada dia sustentando como minha maior honra o fato de que se for encontrar com meu mestre em algum momento das três existências, poderei orgulhosamente apresentar-me perante ele como seu principal discípulo.


A essência do budismo

Eu triunfei. Não fui derrotado. Um discípulo deve triunfar resolutamente. Essa é a essência do Budismo Nichiren, da Soka Gakkai e também do espírito de unicidade de mestre e discípulo.


Em um discurso que proferi no Instituto de Educadores da Universidade Columbia, nos Estados Unidos (em junho de 1996), dediquei as seguintes palavras ao Sr. Toda: Praticamente tudo o que sou hoje, devo ao meu mestre Toda. A unicidade de mestre e discípulo é uma relação que existe unicamente entre os seres humanos. Nela se encontra a essência da existência humana. É meu desejo legar tudo o que possuo aos meus jovens sucessores. Quero confiar o futuro a eles. Espero que vocês, meus discípulos, compreendam plenamente esse meu sentimento.


A relação com o mestre é a mais importante que formamos na vida. Ninguém é mais feliz ou mais afortunado do que aqueles que avançam com seu mestre.


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.047, 14 ago. 2010, p. A12
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;