Faça sua localidade florir
  • ARTIGOS

Faça sua localidade florir

Companheiros em todo o mundo que estão unidos a nós pelo espírito de “diferentes em corpo e unos em mente”

Traduzido do editorial do Dr. Daisaku Ikeda, presidente da SGI, publicado na revista Daibyakurenge, edição de fevereiro de 2015.


Em nossos lares, de manhã e à noite, ressoa o som revigorante do gongyo — quão dinâmico é este ritmo da felicidade! Em um de seus escritos, Nichiren Daishonin cita uma passagem do grande mestre Dengyo: “Se a família louva diligentemente os ensinamentos, os sete desastres certamente serão banidos”.


O gongyo é um hino à alegria de viver em harmonia com a Lei Mística, a lei suprema do universo.

O verso do capítulo A Extensão da Vida (16º) do Sutra do Lótus [Ga-shi-dô-an non] que recitamos no gongyo, significa:

Embora os seres humanos Presenciem o fim de um kalpa E tudo seja consumido Por um grande fogo, Esta minha terra Permanece segura e tranquila, Constantemente repleta De seres humanos e celestiais.

Local da nossa missão

Não importa quão obscura e conturbada seja a época, nós, da SGI, sempre iniciamos o dia com a cerimônia do gongyo. Assim, ativamos as funções protetoras dos budas e divindades celestiais do universo, dissipamos todo o sofrimento e infelicidade e nos dedicamos a construir um reino do qual podemos dizer, “esta minha terra permanece segura e tranquila”, começando no respectivo local de nossa missão.


Daishonin cita essas palavras [do grande mestre Tiantai]: “Por ser a Lei suprema, a pessoa é digna de respeito; e como a pessoa é digna de respeito, a terra é sagrada”. Aqueles que abraçam a Lei Mística e a tornam a base de suas ações são pessoas preciosas que podem evidenciar a nobre natureza de buda dentro de sua própria vida e fazer com que a dos demais brilhe sem limite. Onde quer que essas pessoas estejam, elas respeitam e apoiam umas às outras, criando preciosos laços. Tal solidariedade dá origem à constante construção de uma preciosa terra indestrutível que incorpora o ideal de Nichiren Daishonin de “estabelecer o ensinamento correto para a pacificação da terra”.


Incontáveis nobres homens e mulheres da SGI, anônimos, têm ganhado confiança em suas localidades, empreendendo inacreditáveis esforços para promover a compreensão do nosso movimento, às vezes perseverando sobre calúnia e insultos como os descritos no Sutra do Lótus. Os dramas de seus triunfos estão gravados eternamente pelo mundo todo.


"Não aceitarei a derrota!"

Há uma integrante da Divisão Feminina de Amakusa, na província de Kumamoto, Kyushu [das quatro principais ilhas do Japão é a que está localizada mais ao sul], que jamais esquecerei. Ela tem contribuído de forma notável para o kosen-rufu em sua localidade. Em seus muitos anos de prática, triunfou superando sofrimentos e obstáculos inimagináveis, incluindo ostracismo dos vizinhos por causa de sua fé, maus-tratos de sacerdotes locais da Nichiren Shoshu e danos materiais causados por um tufão destrutivo.


Mantendo uma dedicação incansável em promover diálogos budista com aqueles ao seu redor, ela diz: “Quero eliminar a miséria e o sofrimento da minha amada localidade e permitir que todos se tornem felizes. Sou um bodisatva da terra que nasceu para este propósito. Basta me observar conduzir a minha vida dedicada ao meu juramento! Não aceitarei a derrota! Ainda que haja pessoas que se oponham à minha prática, tenho muita gratidão a elas, por me permitirem fortalecer a minha fé, e estou ainda mais motivada em ajudá-las a atingir o estado de buda!” Seus filhos e os membros da Divisão de Jovens de sua região são os sucessores de seu nobre espírito.


Dezesseis anos atrás (em 1999), Taiwan foi atingido por um terremoto de magnitude 7,6. Na época, com orações pela segurança de todos, com minha própria caligrafia, inscrevi estas palavras: “Esta minha terra permanece segura e tranquila, constantemente repleta de seres humanos”, e as enviei aos membros que estavam se dedicando no resgate e socorro naquele local.


Jamais me esquecerei desta orgulhosa história dos nossos membros de Taiwan que, com um invencível espírito de luta e união, mudaram aquela difícil situação — transformando veneno em remédio — e fizeram contribuições tão maravilhosas para reconstruir suas comunidades.


Uma rede mundial pela paz

Faz setenta anos desde que meu mestre, o segundo presidente da Soka Gakkai, Josei Toda, levantou-se sozinho em meio à devastação do Japão pós-guerra e começou sua batalha contra as forças demoníacas que ameaçavam a sobrevivência da humanidade. Hoje, nossa rede dedicada à paz mundial e à felicidade da humanidade abarca todo o globo.


Meu mestre clamou para aqueles que lutam com sinceridade em prol da expansão do nosso movimento pelo kosen-rufu:

Seja sempre honesto e sincero em suas relações. Com base no princípio de “três mil mundos num único momento da vida”, se você manifestar sua natureza de buda, o estado de vida da outra pessoa também mudará. Se você agir e falar incansavelmente, poderá transformar sua comunidade em um reino de paz e felicidade que é “seguro e tranquilo”.


Nada é mais incentivador do que saber que temos companheiros em todo o Japão e ao redor do mundo que estão unidos a nós pelo espírito de “diferentes em corpo e unos em mente”, e que um fluxo constante de seres humanos de valor — que continuarão a tornarem-se “mais azul que o anil” — está surgindo. Orando juntos, incentivando e apoiando uns aos outros, vamos corajosamente enfrentar o desafio deste ano de tornar nossas localidades “seguras e tranquilas”.


Fonte: Terceira Civilização, ed. 558, 14 fev. 2015, p. 6
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;