Mães e mulheres do Brasil
  • ARTIGOS

Mães e mulheres do Brasil

sorriam e avancem destemidamente (PARTE 2)


Com alegria,

O povo prospera radiantemente

No Brasil.

Todos são saudáveis.

Todos são felizes.


A maestra central é a mãe que conduz a orquestra da alegria e da paz

Atividade do Ikeda Kayo Kai no Soka Bunka Center, em Shinanomati, Japão (set. 2015)

O Dr. Austregésilo Augusto de Athayde (1898–1993), jornalista, ex-presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL) e membro da comissão que redigiu a Declaração Universal dos Direitos do Homem e em cujos debates desempenhou papel importante, contou-me sobre sua mãe. Ele estava com mais de 90 anos e se lembrou de que sua mãe fora uma mulher alegre e nunca deixou de sorrir. “Por que ela manteve seu espírito jovial? É porque criou com prazer doze filhos, netos (o dobro do número de filhos) e também criou filhos de desconhecidos. Ela deu às pessoas a razão de viver e fez disso a razão da sua existência. Por isso, ela viveu com jovialidade até o último momento da sua vida”, disse o Dr. Athayde.

Discutimos, o prof. Athayde e eu, que nenhum ser humano pode ser discriminado, independentemente da sua origem e condição, pois todos são dignos seres humanos. Falamos sobre o caminho que conduziria as pessoas a evidenciar seu infinito potencial e expandir radiantemente a sua dignidade. E a força motriz que conduz a esse caminho é o incentivo das mães e mulheres que expandem a alegria de viver.


Paz, natureza e vida

Minha esposa e eu conhecemos muito bem uma mulher de Quioto que imigrou para o Brasil com vinte e poucos anos ao lado do marido. Ela superou a asma e, com essa experiência de vida e com um pedaço de papel contendo algumas palavras em português nas mãos, visitou amigos residentes a dezenas de quilômetros de distância. Ela saía com os três filhos pequenos para incentivar os companheiros falando convictamente sobre a filosofia oriental que expõe a teoria de “transformar o veneno em remédio”.

Por meio de seus incentivos e de suas companheiras, hoje, a legião de mulheres que se empenha em prol da sua felicidade e das outras se espalha por todo o território brasileiro.

Uma dessas mães vivia em profundo abismo com uma dívida colossal devido à falência da fábrica do marido e com a própria doença, diagnosticada incurável com o risco de amputar uma perna. Porém, ela transformou seu carma, venceu e construiu uma família harmoniosa. Com sua experiência, incentivou e reanimou centenas de pessoas, contribuindo para a construção de uma sociedade harmoniosa. Ela afirma: “O ingrediente principal e necessário para ser feliz é a coragem. E é importante semear a semente da esperança no coração das pessoas com base na filosofia e continuar observando e cuidando delas até o fim”.


O maior depósito da vida no mundo

O admirável

Paraíso da vida,

Assim é a Amazônia.

Todos resplandecem

A digna missão.


Dono de um proeminente território, o Brasil possui três importantes áreas verdes onde a grande natureza resplandece. No norte, a Amazônia; no centro, o Pantanal; e no sul, as Cataratas do Iguaçu.

A floresta tropical úmida da Amazônia é um bioma muito diverso e o lar de um terço das espécies existentes no planeta. É considerada o maior depósito da vida no mundo onde cada ser é ligado ao outro e se apoiam mutuamente de forma infinita.

“Lutemos para preservar a paz, a natureza e a vida!” Este é o clamor do grande poeta amazonense Thiago de Mello, com quem mantenho forte laço de amizade por muito tempo. Meus estimados amigos empenharam esforços para a preservação do meio ambiente e, paralelamente, correram para esclarecer ao povo sobre a sua importância.


Radiante como o Sol

A vitória-régia é uma planta aquática, da família Nymphaeaceae ou Nenúfar, típica da região amazônica. Possui uma grande folha em forma de círculo, que fica sobre a superfície da água e pode chegar a 2,5 metros de diâmetro e suportar até 40 quilos se forem bem distribuídos. Sua flor de coloração branca a amarela expele uma fragrância noturna adocicada que se sobresai ao rio lamacento.

“Vitória-régia” significa “rainha da vitória”. Minha esposa e eu consideramos esse nome como o título concedido às invencíveis mães brasileiras que se empenham persistentemente para manter uma ligação de vida a vida, haja o que houver.

A poetisa brasileira Cora Coralina (1889–1985) deixou, entre outras, inúmeras diretrizes para os jovens: “Amem a vida”, “Jamais desistam de lutar”, “Eliminem palavras e ideias pessimistas”, “Acreditem no valor inerente ao homem”.

Sem dúvida, são palavras que fluíram de um “coração radiante como o sol”.

Vamos fazer brilhar, hoje também, o mesmo “coração radiante como o sol” para não nos arrependermos futuramente e vamos confiar, com muito ânimo, nos companheiros brasileiros que iniciam mais um novo dia.

Louvo a glória do

Grande Brasil,

Que enfeita

A história com

A grandiosa vitória.



Fonte:

BS, ed. 2.225, 26 abr. 2014, p. B2



TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;