Manifestar o estado de buda é ter liberdade
  • ARTIGOS

Manifestar o estado de buda é ter liberdade

O budismo nos capacita construir uma vida livre da falta de esperança

Extraído do discurso proferido pelo Dr. Daisaku Ikeda na 6ª Reunião de Regional, em 1996.


Permitam-me compartilhar com vocês uma passagem do Gosho - uma famosa passagem de Abertura dos Olhos que já citei diversas vezes:

"Eu e meus discípulos, ainda que ocorram vários obstáculos, desde que não se crie a dúvida no coração, atingiremos naturalmente o estado de buda. Não duvidem, mesmo que não haja proteção dos céus. Não lamentem a ausência de segurança e tranquilidade na vida presente. Embora tenha ensinado dia e noite a meus discípulos, eles nutriram a dúvida e abandonaram a fé. Os tolos tendem a esquecer o que prometeram quando chega o momento crucial".

"Atingiremos naturalmente o estado de buda" - Daishonin nos assegura que se continuarmos a lutar nesta existência atingiremos o estado de buda. Assim, ele nos pede que lutemos para atingir esse estado de vida nesta existência sejam quais forem as dificuldades que possam enfrentar.

Daishonin escreveu em outro Gosho, "A vida é como um sonho. Não se pode saber se viveremos até amanhã." Esta é a verdade, e não há nada que possamos fazer. Mas manifestar o estado de buda nesta existência significa criar uma personalidade totalmente livre para toda a eternidade. Esse é o objetivo da fé. A nossa vitória nesta existência é determinada pelo fato de atingirmos ou não esse estado de ser.


Transformar o próprio estado interior de vida não é algo que possa ser feito por meio da ciência, da economia ou da política. Somente o Budismo de Daishonin nos capacita a fazê-lo. E tivemos a boa sorte de encontrar esse budismo nesta existência.

Uma vez que atingimos o estado de buda nesta existência aqui neste planeta, poderemos nascer em uma terra do Buda em outro lugar além da Terra. Esta Terra não é o único lugar onde os seres humano vivem. Existem infinitas terras em todo o universo. Mas este mundo saha cheio de discórdias em que estamos agora é o pior de todos.

Em Abertura dos Olhos, Daishonin nos instrui a não duvidar do grande benefício do Sutra do Lótus; pois, a longo prazo, sem dúvida seremos protegidos. Mesmo que soframos algum contratempo, diz ele, sempre poderemos transformar o veneno em remédio. Daishonin também nos diz para não nos sentirmos desencorajados se nossa vida não tem conforto nem tranquilidade.

Se não fosse assim, nunca seríamos testados nem poderíamos criar nossa fortaleza interior. Se uma pessoa come e dorme sempre que quer, acaba ficando mimada e preguiçosa.

Somente alcançamos um estado de vida brilhante e indestrutível como o diamante lutando contra os obstáculos e dificuldades. É por isso que Daishonin declarou: "Deve-se considerar os obstáculos como a verdadeira paz e conforto." A nossa prática budista acarreta muito mais trabalho árduo e esforço, mas há também a alegria da revolução humana que jamais poderia vir de uma vida cheia de prazeres fúteis. É por isso que Daishonin adverte rigorosamente que jamais devemos nos esquecer da promessa que fizemos quando surgirem os momentos cruciais.



Fonte: Brasil Seikyo, ed. 1.409, 12 abr. 1997, p. 4

TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;