O Gohonzon é o objeto de devoção no Budismo de Nichiren Daishonin
  • ARTIGOS

O Gohonzon é o objeto de devoção no Budismo de Nichiren Daishonin

A Lei fundamental do universo é o Gohonzon

Com base na 3ª parte da segunda série de diálogos sobre a juventude entre o presidente Ikeda e os coordenadores da Divisão dos Estudantes Colegiais da Soka Gakkai, Hidenobu Kimura e Yoshiko Ueda, publicada na edição de 11 de fevereiro de 1998 do Koko Shimpo, jornal quinzenal dessa Divisão.


O caractere hon de honzon denota a verdade fundamental da vida e do universo, e zon significa veneração e reverência a essa verdade suprema.


Portanto, se uma pessoa abraça como objeto de suprema adoração algo que não é a verdade fundamental do universo, sua vida será confusa e sem rumo. Por exemplo, há pessoas que consideram o dinheiro, os meios de comunicação de massa, a ciência e a tecnologia, ou as altas qualificações acadêmicas como objetos de suprema adoração.


No Budismo de Nichiren Daishonin, a Lei fundamental do universo é venerada como o supremo objeto de devoção. Essa Lei é também a essência de nossa própria vida.


Essa questão pode ser um pouco difícil de ser compreendida; no entanto, quando oramos ao supremo objeto de adoração — o Gohonzon — o princípio budista de “fusão da realidade e da sabedoria” é colocado em prática. A “realidade objetiva” do Gohonzon e a “sabedoria” de nossa mente fundem-se no nível mais profundo. Em outras palavras, a oração constitui uma fusão da Lei fundamental do universo e de nossa mente.


Podemos comparar isso com as engrenagens de uma máquina. Quando uma pequena engrenagem encaixa seus dentes aos de uma engrenagem maior, conseguirá se movimentar com uma força extraordinária, o que não faria por si própria. Da mesma forma, quando fundimos o microcosmo de nossa própria vida à vida do universo, somos capazes de manifestar uma ilimitada força que nos permitirá superar quaisquer dificuldades. Todos os deuses budistas, budas e bodisatvas das dez direções — as funções protetoras do universo — serão ativadas para que possamos concretizar nossas orações.


A fonte de todas as mudanças

O Nam-myoho-renge-kyo é o som do grandioso ritmo do universo, a fonte propulsora de toda a atividade universal, e também o coração e a essência do universo.


A Lei Mística é a fonte de todas as mudanças. É por isso que quando recitamos a Lei Mística — o Nam-myoho-rengue-kyo — conseguimos ativar as forças do Universo para nos apoiar. O ritmo do Nam-myoho-renge-kyo foi denominado como o ritmo do próprio universo. Algum tempo atrás, o poder de recitar o daimoku para ativar as funções protetoras do universo foi enfocado em um filme.


Exatamente como somos

[Uma colegial nos escreveu dizendo que não sabe como orar e pede uma orientação sobre o modo adequado de fazê-lo.]

Basicamente, seja você mesma. Esse é o ponto mais importante. Respeite o Gohonzon como a base de sua vida, procure-o e exponha seus problemas assim como uma criança procura a mãe. Quando estiver sofrendo ou sentindo-se triste, não há necessidade de forçar-se a mostrar uma expressão alegre ou fingir que está tudo bem; apenas recite daimoku exatamente como está, e solte seus sentimentos.


Nichiren Daishonin afirma: “A fé não é algo extraordinário”. E nos clama: “Da mesma maneira que os pais se recusam a abandonar os filhos, ou que uma criança que se nega a deixar a mãe, devemos confiar no Sutra do Lótus". Em outras palavras, tudo o que temos de fazer é orar sinceramente ao Gohonzon e confiar plenamente que nossos desejos serão satisfeitos. Tal oração com certeza nos fortalecerá.


Não há nada extraordinário com relação à oração; ela se resume em simplesmente desejarmos algo de todo o coração. O mais importante é nosso coração. Com relação a isso, é essencial que oremos com profunda fé, respeito e amor ao Gohonzon em nosso coração.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 1.516, 24 jul. 1999, p. A3
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;