O Gohonzon é somente um pedaço de papel?
  • DIÁLOGOS

O Gohonzon é somente um pedaço de papel?

O Gohonzon é uma bússola para a nossa vida

Com base na 3ª parte da segunda série de diálogos sobre a juventude entre o presidente Ikeda e os coordenadores da Divisão dos Estudantes Colegiais da Soka Gakkai, Hidenobu Kimura e Yoshiko Ueda, publicada na edição de 11 de fevereiro de 1998 do Koko Shimpo, jornal quinzenal dessa Divisão.


Nosso Gohonzon pode ser impresso, mas ainda retém seu poder inerente. Uma nota de R$10,00 é impressa, assim como são os certificados e também as cartas de recomendação para o Conselho de Ministros. Todos os documentos importantes são impressos, e cada um possui seu respectivo valor.


O papel é uma questão física, mas as palavras gravadas revelam o próprio espírito de Daishonin e sua essência. O buda Nichiren Daishonin, inscreveu sua própria vida com tinta no Gohonzon.


“Eu, Nichiren, inscrevi minha vida em sumi (tinta preta chinesa), assim, creia no Gohonzon com todo o seu coração.” [cita Daishonin]

O princípio budista de unicidade do corpo e da mente nos ensina que o físico e o espírito são unos. A vida se encontra em sua unicidade. O Gohonzon incorpora a vida do Buda. Portanto, quando oramos ao Gohonzon, não estamos orando para um pedaço de papel.


Os livros também são impressos; porém, quando lemos as palavras contidas nesses papéis, adquirimos conhecimento, fazemos novas descobertas e encontramos novas idéias.


Vamos dar outro exemplo. Suponhamos que encontrem uma placa com a inscrição “Estação de Tóquio. Essas palavras contêm todas as várias e diferentes funções da estação, incluindo suas funções de ponto inicial do trem-bala e de portão de entrada da cidade de Tóquio. É claro que a Estação de Tóquio existiria mesmo se não houvesse a placa nem as palavras, e suas variadas funções também continuariam existindo. No entanto, a placa e as palavras contidas nela conduzem facilmente as pessoas à Estação de Tóquio.


Vou dar-lhes um outro exemplo. Um telefone celular será inútil se não houver as estações-base que transmitem as ondas radiofônicas de um ponto ao outro. Da mesma forma, o Gohonzon é uma “estação base” que nos possibilita a comunicação com o universo.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 1.516, 24 jul. 1999, p. A3
TAGS:DIÁLOGOS

• comentários •

;