O mais alto elogio à Divisão Feminina!
  • ARTIGOS

O mais alto elogio à Divisão Feminina!

Em discurso, Dr. Ikeda enaltece as mulheres da Soka Gakkai por permanecerem engajadas na batalha pela paz e pela justiça

Discurso proferido na 6ª Reunião Nacional de Líderes, realizada em conjunto com as Convenções das Regiões de Tohoku e Tyugoku no Auditório Soka da Amizade Internacional em Sendagaya, Tóquio, no dia 25 de maio de 2006. Também estiveram presentes representantes da SGI de doze países e territórios, incluindo o Brasil.


No início deste mês, em 3 de maio [2006], encontrei-me com o príncipe Charles Napoleão, atual chefe da família Bonaparte, que me visitou no Auditório Memorial Makiguchi de Tóquio — um espaço dedicado aos grandes heróis Soka. Nessa ocasião, o príncipe trouxe uma medalha com caixilho — medalha da Legião de Honra, uma das distinções estabelecidas por seu ilustre parente, Napoleão Bonaparte (1769–1821). Essa medalha em especial foi concedida a um soldado enquanto Napoleão era vivo, e é portanto muito preciosa.

Recebi também uma gravura dos representantes da SGI-França em comemoração do dia 3 de Maio, Dia das Mães da Soka Gakkai. Essa gravura mostra Napoleão concedendo a Legião de Honra a uma soldado. O nome dela é Marie-Jeanne Schellinck. Inspirada pelos ideais da Revolução Francesa, ela fez a sua parte, determinada a lutar por seus queridos compatriotas e tornar esses ideais realidade.


Qual o propósito de termos nascido, e para que vivemos?

As pessoas possuidoras de um claro entendimento de seu propósito ou missão são fortes. Elas têm força e meios para vencer as piores tempestades.

Posteriormente, Schellinck entrou para o exército de Napoleão e continuou a lutar com indomável espírito e convicção. Ela participou em doze campanhas de Napoleão, sofrendo vários ferimentos de espada.

[Marie-Jeanne Shellinck (1757–1840) nasceu na Bélgica e participou do movimento para libertar sua terra natal. Ela depois combateu nas forças revolucionárias francesas. Também participou da campanha de Napoleão na Itália, da Batalha de Austerlitz, da Batalha de Jena e em muitas outras campanhas. Viveu até os 83 anos.]

Napoleão não podia menosprezar o sincero esforço dessa mulher. Ele se dirigiu até ela e, diante de todos os soldados, concedeu-lhe pessoalmente a Legião de Honra, dizendo: “Curvem-se diante desta mulher excepcional. Ela é uma das glórias de nosso império”. Isso aconteceu há aproximadamente dois séculos, em junho de 1808. É um evento emocionante que simboliza a poderosa capacidade de Napoleão de conquistar o coração dos soldados que uniram seu destino ao dele e que lutaram ao seu lado.


"Obrigado por todos os seus generosos esforços"

A Divisão Feminina da Soka Gakkai está firme e corajosamente engajada na suprema batalha pela paz e pela justiça que é o kosen-rufu. Isso é realmente louvável. A Soka Gakkai pôde continuar seu seguro e incontido avanço graças exatamente ao fato de a Divisão Feminina ter tanta integridade e estar avançando com brilhante entusiasmo e energia. Se elas não merecem ser elogiadas, então, quem merece?

Creio que todos os homens aqui presentes deveriam se levantar e, assim como as tropas de Napoleão, curvar-se aos membros da Divisão Feminina numa demonstração de consideração e estima, dizendo-lhes: “Obrigado por todos os seus generosos esforços em prol do kosen-rufu, da Soka Gakkai, da paz mundial e da vitória da verdade e da justiça”.

Shakyamuni e Nichiren Daishonin também faziam altos elogios e respeitavam muito as mulheres que se devotavam à propagação da Lei. Seguindo essa tradição budista, estou sempre enfatizando a necessidade de valorizar as mulheres. No mundo do Budismo de Nichiren Daishonin, não há nenhuma distinção entre homens e mulheres. A importância ou o valor da pessoa também não é definido pela posição que ela ocupa na Soka Gakkai. As pessoas que estão realmente lutando pelo kosen-rufu são as mais dignas de respeito.


Uma líder sábia e maravilhosa

Ontem [24 de maio, 2006], recebi do Quênia as notícias de que um grupo de alunos Soka que estão atualmente morando, trabalhando e estudando nesse país encontrou-se e teve um agradável e valioso diálogo com a Dra. Wangari Maathai, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz e ativista ambiental. Eu também me encontrei com a Dra. Maathai e pareceu-me de imediato que ela é uma líder sábia e maravilhosa.

[A Dra. Maathai recebeu o Prêmio Nobel da Paz de 2004. Ela se encontrou com o presidente Ikeda em fevereiro de 2005, em Tóquio. Em fevereiro de 2006, visitou a Universidade Soka em Hatioji, onde proferiu uma palestra. O grupo de alunos Soka que moram no Quênia visitou o escritório do Movimento do Cinturão Verde, da Dra. Maathai, em Nairóbi, no dia 16 de maio.]

Os alunos mostraram à Dra. Maathai um exemplar da revista mensal SGI Graphic em que foi publicado nosso encontro e, enquanto virava as páginas da revista, ela apontava para as fotografias que mostravam os membros da Soka Gakkai e dizia com um grande sorriso a todos que estavam na sala: “Olhem para eles! Estão sempre tão felizes! Aonde quer que fôssemos, eram as pessoas mais felizes! É extraordinário! Como eles conseguem isso?”


Especialistas em sorriso, felicidade e esperança

A Dra. Maathai, cujo sorriso brilhante cativou o mundo, fez os mais altos elogios aos sorrisos das mulheres Soka. Nossos membros das Divisões Feminina e Feminina de Jovens são as mais importantes especialistas do mundo em sorriso, felicidade e esperança.

[Nessa ocasião, a Dra. Maathai comentou que o líder da SGI é um homem magnífico e elogiou os membros da Soka Gakkai, dizendo ser pessoas excelentes, falando ainda de sua esperança de que o líder da SGI visite o Quênia algum dia e veja o trabalho que seu grupo está realizando. Ela enviou votos de boa saúde para o Sr. e a Sra. Ikeda e a todos os membros da Soka Gakkai e também ao corpo docente e aos alunos da Universidade Soka. Ela enviou ainda uma mensagem de solidariedade e amizade.

[Respondendo ao oferecimento de exemplares dos diálogos do Sr. Ikeda com vários líderes mundiais, a Dra. Maathai disse: “Apreciaremos a leitura desses livros. Vamos compartilhá-los com outras pessoas. Vamos deixá-los em nossa biblioteca para que outras pessoas também possam compartilhar da sabedoria do Dr. Ikeda e das pessoas com quem ele dialogou”.]



Fonte: Brasil Seikyo, ed. 1.851, 15 jul. 2006, p. A3

TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;