O que acontecerá se algumas vezes não realizarmos o gongyo?
  • ARTIGOS

O que acontecerá se algumas vezes não realizarmos o gongyo?

"Não há motivos para se preocuparem com isso", cita Daisaku Ikeda

Com base na 3ª parte da segunda série de diálogos sobre a juventude entre o presidente Ikeda e os coordenadores da Divisão dos Estudantes Colegiais da Soka Gakkai, Hidenobu Kimura e Yoshiko Ueda, publicada na edição de 11 de fevereiro de 1998 do Koko Shimpo, jornal quinzenal dessa Divisão.


Se não conseguirmos realizar o gongyo uma vez ou outra, isso com certeza não apagará todos os nossos esforços anteriores. Não há motivos para se preocuparem com isso. Se estiverem atrasados para a escola e não houver tempo, não devem sentir-se apreensivos por estarem deixando de realizar o gongyo. Em tais casos, por exemplo, se suas mães estiverem praticando e orando para vocês, suas orações irão protegê-los. O mais importante é que, enquanto cultivarem uma sincera fé no Gohonzon, a boa sorte que acumularam permanecerá gravada em sua vida.


Não devem sentir-se culpados quando não conseguirem realizar o gongyo. É claro que isso não significa que devem negligenciá-lo. Se pensarem que não precisam realizar o gongyo, seu coração irá, pouco a pouco, distanciar-se da oração. Apesar disso, pelo fato de a fé existir na vida diária, não há necessidade de exagerarem a ponto de atrasar-se na escola por causa do gongyo.


Atitude em relação à fé

Ainda que estiverem muito atarefados e não conseguirem realizar o gongyo regularmente, o importante é não desistirem por completo. Se permitirem que isso aconteça, a chama da fé se extinguirá de seu coração. Por favor, não abandonem a prática do gongyo. A oração nos proporciona uma satisfação espiritual e fortalece nossa convicção; portanto, isso é algo que definitivamente completa a vida de cada um de nós.


Gongyo ou daimoku?

As pessoas que não têm tempo para realizar o gongyo, ou tem dificuldade em realizá-lo [no início da prática budista, por exemplo], devem orar daimoku. Usando a analogia de uma refeição, o daimoku poderia ser comparado ao prato principal, enquanto o gongyo, ao acompanhamento. É claro que o melhor é ter os dois, mas o daimoku vem primeiro. Por favor, orem — mesmo que um único Nam-myoho-renge-kyo. Nichiren Daishonin declara que mesmo um único daimoku contém infinitos benefícios. Se conseguirem realizar gongyo e um pouco de daimoku, sentirão uma satisfação ainda maior. É claro que é desnecessário dizer que o ideal é realizar o gongyo da manhã e o da noite.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 1.516, 24 jul. 1999, p. A3
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;