Orar, agir e dialogar
  • ARTIGOS

Orar, agir e dialogar

O que é preciso para promover um bom diálogo?

O texto tem trechos do discurso proferido pelo presidente da SGI, Daisaku Ikeda, por ocasião do Conselho Nacional de Dirigentes Representantes realizado no dia 26 de setembro no Centro Cultural Soka em Shinanomachi, Tóquio.


O objetivo do Budismo de Nichiren Daishonin é o kosen-rufu — o estabelecimento do ensinamento correto para a pacificação da terra. Para atingi-lo, é essencial expandirmos os laços de amizade com o maior número de pessoas.


Além disso, fortalecer o alicerce da Soka Gakkai — a organização que surgiu da vontade e da ordem do Buda — é construir a base para estabelecer a paz da nação e adquirir a boa sorte para o futuro eterno de nossa vida. Isso será proporcional à seriedade com que atuamos em prol do kosen-rufu e essa boa sorte envolverá também as nossas futuras gerações. Tudo isso está claramente exposto nos escritos de Nichiren Daishonin.


De toda forma, vamos transmitir a nossa convicção no budismo com alegria, prazer e satisfação. Vamos orar, agir e dialogar — eis o melhor exercício para o fortalecimento da nossa vida. Portanto, vamos ampliar a rede de amizade e confiança por meio do corajoso diálogo. Não há tesouro mais nobre do que a amizade e a confiança.


O que é preciso para promover um bom diálogo? O presidente Toda disse: “A cordialidade, o bom senso e o discernimento são alguns requisitos para criar um bom diálogo. Além disso, é preciso ter uma correta convicção filosófica. O fator determinante é o caráter pessoal”.


Nós abraçamos a verdadeira filosofia de vida que é capaz de proporcionar felicidade a toda a humanidade. Nas atividades da Soka Gakkai temos a oportunidade de polir o nosso caráter.


É importante conversar

Durante a guerra, quando as autoridades militares fecharam seu cerco obscuro sobre o Sr. Makiguchi, ele deu continuidade às suas atividades de propagação e a seus diálogos para transmitir a grandiosidade do Budismo de Nichiren Daishonin até o fim. Ele foi preso em Shimoda, na Península de Izu, após ter realizado uma longa jornada de Tóquio até lá para encontrar-se com as pessoas e dialogar com elas.


“A voz executa o trabalho do Buda.” Como é importante conversarmos com as pessoas, engajarmo-nos em diálogos! Armados de paciência e trajando o “manto da cortesia e da tolerância” vamos insistir em sempre falar com os outros com uma voz clara e vibrante. Vamos dialogar de forma calorosa e alegre. Vamos realizar diálogos que inspirem e incentivem; diálogos transbordantes de filosofia. São esses diálogos que abrirão o caminho para um mundo realmente mais humano. E vamos nos empenhar ao máximo para ligar esses diálogos à contínua vitória de nosso movimento.


Ouça as pessoas

Não pode ser chamado de diálogo quando uma pessoa constantemente interrompe enquanto a outra está tentando expressar sua opinião, e então formula conclusões radicais. Mesmo que vocês achem que o que alguém está dizendo é um pouco esquisito, em vez de fazer constantemente objeções, deveriam ter a mente ampla para tentar entender seus pontos de vista. Então, a pessoa se sentirá segura e poderá ouvir o que têm a dizer. Nesse sentido, um buda é realmente um mestre no diálogo. Shakyamuni e Daishonin tinham personalidades calorosas que apenas por encontrá-los já proporcionavam às pessoas um sentimento de imensa alegria. Provavelmente por isso, muitas pessoas tinham um imenso prazer em ouvir suas palavras.


O diálogo é o eterno e imutável espírito do budismo. Lançar diretrizes de cima não é diálogo. O diálogo surge quando abrimos o coração, percorremos juntos o caminho da vida e trabalhamos em conjunto.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 1.865, 28 out. 2006, p. A2 
Brasil Seikyo, ed. 1.579, 11 nov. 2000, p. A4 
Brasil Seikyo, ed. 2.100, 17 set. 2011, p. A6
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;