Perspectivas positivas
  • DIÁLOGOS

Perspectivas positivas

O presidente da SGI, Dr. Daisaku Ikeda, e a futuróloga Hazel Henderson, em Cidadania Planetária — Seus Valores, Suas Crenças e Suas Ações Podem Criar um Mundo Sustentável, p. 127-131, dialogam sobre a importância de cada um evidenciar sua individualidade e reconhecer a dos demais para que a sociedade se torne um local de coexistência pacífica. Veja abaixo o texto extraído e adaptado do livro

Ikeda: Dentre os muitos livros de sua autoria, há uma divertida previsão do futuro que a senhora escreveu com seu neto Brendan. A história se passa no ano 2050, quando Brendan, com 60 anos, está morando em Xangai. Ele escreve uma carta para a senhora contando como os problemas ambientais foram solucionados a ponto de Xangai ter um céu límpido e azul.

Henderson: Sim. Na verdade, trata-se de um artigo que integra o livro Imagine, com quarenta ensaios, editado por Marianne Williamson. Fala de como estará a natureza daqui a cinquenta anos. Eu e Brendan conversamos sobre isso por telefone. Ele se preocupa muito com as mesmas coisas que me interessam. Já que, provavelmente, não estarei viva no ano 2050 (nessa história, eu morro em 2023), ele escreve a carta recordando os vários diálogos que tivemos.

Ikeda: Na última vez que nos encontramos, a senhora mostrou-me uma fotografia de Brendan. Deu para notar que ele compartilha seu interesse pelo mundo com todo entusiasmo. Esperamos muito dele.

Henderson: Obrigada. Devemos assegurar que o mundo seja um lugar melhor quando Brendan e sua geração crescerem. A razão pela qual escrevi esse ensaio com ele foi para proporcionar às pessoas uma visão clara e concreta de como as coisas podem funcionar. Precisamos de uma história razoável sobre como é possível chegar lá. Achei muito viáveis as propostas positivas apresentadas em nosso diálogo.

Ikeda: As discussões a respeito do meio ambiente tendem a parecer pessimistas. Mas a senhora, mesmo criticando dura­mente a política e a economia atuais, nunca perde o otimismo.

Henderson: A revista The New Scientist, de Londres, apresentou em detalhes, numa edição especial, três perspectivas de desastre total — aquecimento global, poluição e escassez de alimentos. Os futurólogos usam os cenários sombrios por causa da gran­de incerteza diante de nós e porque a ação humana é sempre a chave para a mudança. Mas eu me cansei das perspectivas negativas; elas, algumas vezes, deixam as pessoas tão assustadas que nem sabem o que fazer. É por isso que proponho as pers­pectivas positivas, embora esteja ciente dos aspectos negativos.

Creio que meu otimismo é expressão da energia vital e da disposição que todos os seres humanos e todas as formas de vida compartilham.

Ikeda: É uma observação de grande significado. O economista John Kenneth Galbraith disse que as pessoas que creem poder contribuir com algo puro e bom para o mundo fazem um esforço muito mais decidido que aquelas que não acreditam nisso. Ele está convicto de que os cidadãos positivos e construtivos devem ser otimistas, entusiastas, sociáveis e dinâmicos.

(...)

Henderson: Há diferentes papéis para diferentes pessoas e todas possuem uma distinta personalidade ou modo de lidar com os desafios da vida. Seja qual for o carma da pessoa, é preciso respeitar isso e compreender que ela faz parte de um grande continuum.

Ikeda: O budismo ilustra isso por meio do conceito de que um belo jardim de felicidade e coexistência pacífica é possível se todas as árvores que dele fazem parte — a cerejeira, a ameixeira, o pessegueiro e o damasqueiro — manifestarem plenamente sua individualidade em vez de sentirem inveja e competirem umas com as outras. Nesse sentido, são pontos de extrema importância manifestar a individualidade na consciência da aliança como também reconhecer a individualidade dos outros membros.

 

 

TAGS:DIÁLOGOS

• comentários •

;