Prezar cada pessoa corresponde à verdadeira prática budista
  • ARTIGOS

Prezar cada pessoa corresponde à verdadeira prática budista

Estimar cada um é tradição inquebrantável da Soka Gakkai

Discurso do presidente Ikeda proferido durante uma reunião de líderes da área 2 de Tóquio, em 11 de outubro de 1987.

 

Nichiren Daishonin expressa: “Diz um provérbio popular que ‘um é mãe de dez mil’”.


Uma pessoa pode parecer pequena e insignificante, mas uma única pessoa é a “mãe”, ou fonte, capaz de empoderar multidões incalculáveis.


Daishonin afirma também: “Uma gota do grande oceano contém a água dos vários rios que nele deságuam”.


Um único indivíduo que tenha encontrado e despertado para a verdadeira e grandiosa Lei passa então a empreender ações corajosas para beneficiar os outros, encontrando-se e dialogando com todos. Jamais se esqueçam de que esse efeito cascata de uma pessoa para outra é fonte da ilimitada expansão do kosen-rufu e que, por meio desses firmes esforços, a história do kosen-rufu continuará se desenrolando infinitamente.


Prezar cada pessoa — essa é uma tradição inquebrantável da Soka Gakkai. Concentramos a atenção numa única pessoa que esteja sofrendo, dialogamos sinceramente com ela e fazemos tudo o que estiver ao alcance para encorajá-la. Em especial, vocês, nossos jovens, não devem perder de vista essa tradição.


Líderes que só proferem lindos discursos diante de grandes plateias mas deixam de fazer esforços mais “pé no chão”, como oferecer orientações e incentivos individuais, não são líderes de verdade, e jamais serão enquanto seguirem esse padrão de conduta. Se essa espécie de líderes vier a predominar em nossa organização, o espírito da Gakkai perecerá.


Devemos nos certificar de que o autoritarismo e as tramoias não se tornem uma tendência em nossa organização. Desejo que guardem essa mensagem profundamente: sem orientação e sincero empenho para apoiar cada pessoa individualmente não pode haver prática budista genuína.


A fórmula para a eterna expansão do kosen-rufu está na firme e incessante dedicação para beneficiar os demais e para promover diálogos — esforços que se propagam de uma pessoa para outra.


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.361, 25 fev. 2017, p. B4
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;