Promovam diálogos alegres
  • ARTIGOS

Promovam diálogos alegres

Sinceras conversas são meios para acender a chama da esperança no coração das pessoas. Essa é a essência do humanismo budista

Traduzido do editorial do Dr. Daisaku Ikeda, presidente da SGI, publicado na revista Daibyakurenge, edição de fevereiro de 2016.


A alegria de viver nasce do diálogo.

A futurista americana Hazel Henderson admirava a sua mãe como “professora da paz” porque ela sempre procurava as pessoas para conversar e era amada por todos ao redor pelo sincero respeito que lhes demonstrava. A Dra. Henderson disse: “Quero ser como a minha mãe!”.


Nada transmite mais afeto do que a voz que mostrar verdadeira consideração. Esse incentivo pode despertar tudo o que é bom e positivo no coração do outro. Uma vida é polida pela outra. Isto ocorre por meio do diálogo.


Como membros da família Soka, nós nos esforçamos constantemente com base na fé, “dia após dia, mês após mês”, para promover a benevolente propagação da Lei Mística — desenvolvendo o kosen-rufu — e para concretizar o ideal de Nichiren Daishonin de “estabelecer o ensinamento correto para a pacificação da terra”. É essa a razão pela qual nos desafiamos incansavelmente a falar com as pessoas sobre os princípios do Budismo de Nichiren Daishonin que difundem felizes dramas da revolução humana ao redor do mundo.


Daishonin observa que a Lei Mística tem o poder de permitir que todos os seres vivos dos dez mundos atinjam o estado de buda em sua presente forma. Ele compara isto a “fogo produzido por uma pedra tirada do fundo do rio, ou uma lanterna iluminando um lugar que esteve na escuridão por cem, mil ou dez mil anos”. Que comparação esclarecedora!


A essência dos nossos diálogos budistas é acreditar no potencial interno ou natureza de buda da pessoa com quem estamos conversando. Cada diálogo representa a causa para a revitalização extraordinária por meio da filosofia da dignidade da vida do Budismo de Nichiren Daishonin — como produzir fogo de uma pedra tirada do fundo do rio, ou iluminar uma caverna que esteve na escuridão por incontáveis eras.


Não há necessidade de se preocupar sobre como se apresentará ou o que irá dizer. A ardente chama da sua convicção certamente será transmitida para aqueles com quem se relacionar. Basta ser você mesmo, genuíno e natural, acender a radiante luz repleta de esperança de criar valor no coração das pessoas com a sua sinceridade.


Pode haver momentos, no entanto, que suas mais sinceras palavras encontrarão apenas a rejeição, ou a dolorosa ironia e o desprezo. Mas tudo isso corresponde à prática budista do bodisatva Jamais Desprezar.


Sem se deixar abater pelas mais severas perseguições, o bodisatva Jamais Desprezar continuou a demonstrar profundo respeito a todos com quem se encontrava e a se dedicar ao diálogo para despertá-los para a sua natureza de buda. Como resultado, conquistou imensuráveis benefícios. Quem vem se empenhando em dialogar com esse mesmo espírito, expandindo seu estado de vida, transformando o carma e preenchendo a vida com ilimitada boa sorte e benefício são os membros da SGI.


Um casal da província de Saitama, membros desde o início do nosso movimento em prol do kosen-rufu, venceu dolorosas dificuldades econômicas e uma grave doença por meio da inabalável fé e da prática. Eles agora declaram alegremente: “Todas as manhãs e noites, repletos de profunda gratidão, oramos pela felicidade e pelo bem-estar dos nossos vizinhos, conhecidos e amigos — citando cada um deles pelo nome em nosso coração. Ao falarmos com as pessoas sobre o budismo, mudamos a nós mesmos; qualquer pessoa também pode mudar, não importa quem seja. É por isso que continuamos plantando as sementes da Lei Mística”.


Uma violência brutal continua a atormentar o mundo, e gritos de ira, cheios de ódio e terríveis distorções, parecem cada vez mais constantes. É por isso que nós da SGI temos de propagar a nossa mensagem de paz e de humanidade ainda mais amplamente, em voz alta, e vigorosamente, respeitando e confiando nas pessoas e expandindo a nossa rede do bem.


Meu mestre, segundo presidente da Soka Gakkai, Josei Toda, disse: “Quando recitamos Nam-myoho-renge-kyo pela nossa felicidade e pela felicidade dos demais, nossa vida fica imbuída da Lei Mística, e queremos compartilhá-la com as outras pessoas e conduzi-las à felicidade também. É por meio dessa prática que podemos desenvolver a própria vida e a sociedade como um todo!”


Nós possuímos o daimoku do juramento seigan. Ao orarmos, manifestamos o estado de vida do buda e, nessa condição, encontramos e conversamos com as pessoas. Todas essas ações criam laços cármicos com o Budismo de Nichiren Daishonin. E mesmo quando a idade ou a doença nos impedem de estar fisicamente ativos, ainda podemos alcançar o coração das pessoas por meio do nosso daimoku.


Vamos desbravar uma história de diálogos de alegria, de maneira animada e profícua, que resplandecerão para sempre como a “lembrança de sua existência neste mundo humano”.


Abra vitoriosamente
uma vasta e elevada 
condição em sua vida. 

Ore, entre em ação, 
e compartilhe a alegria da fé

 
Fonte: 
Terceira Civilização, ed. 570, 20 fev. 2016, p. 6
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;