Ter bons relacionamentos exige coragem
  • DIÁLOGOS

Ter bons relacionamentos exige coragem

Se acreditarmos na natureza de buda de outra pessoa e a respeitarmos, a natureza de buda dela responderá à nossa

Parte da entrevista do presidente Ikeda à equipe editorial do jornal Seikyo Shimbun, com orientações para os jovens, publicada em 16 de fevereiro de 2012.


Como vencer problemas de relacionamento?

Seikyo Shimbun: A partir das conversas com os jovens, parece que muitos estão sofrendo com problemas de relacionamento de vários tipos, como não se dar bem com os outros colegas na escola ou no trabalho.


Presidente Ikeda: Todo problema é muito real e urgente à pessoa envolvida. Quando ela conta um problema é porque confia em vocês. Espero que a ouçam atentamente e respondam com empatia e solidariedade, colocando-se no lugar dela. É essencial que respeitem a privacidade dela, mantendo sigilo sobre o assunto e, dependendo do problema, às vezes pode ser apropriado levá-la a buscar orientação de alguém de confiança e mais experiente na prática da fé.


Na vida, podem existir pessoas das quais não gostamos ou com as quais não nos damos bem. Eu também encontrei pessoas desagradáveis e rancorosas. Nem mesmo amigos próximos entram em acordo sempre. Nossas relações com os familiares também podem não ser agradáveis. E, mesmo na Organização, acontece de as pessoas não combinarem.


O budismo ensina o princípio dos quatro e dos oito sofrimentos. Os quatro primeiros são os sofrimentos fundamentais do nascimento, envelhecimento, doença e morte. Com os quatro sofrimentos adicionais, temos os oito sofrimentos, e um desses últimos quatro é o sofrimento de lidar com pessoas que odiamos.


Em algum momento todos nós vivenciamos dificuldades nas relações humanas, e temos de estar prontos para lidar com elas.


Então, se estão passando por esse problema agora enquanto são jovens, vejam como parte do processo de aprendizagem e amadurecimento, adotem ampla visão de longo prazo e usem isso em seu benefício. Dessa forma, farão de seus problemas a base para seu crescimento pessoal.


Ter de conviver com pessoas das quais não gostamos é somente um dos oito sofrimentos, isto é, apenas uma pequena fração da condição humana como um todo. Seria uma grande perda, portanto, permitir que problemas de relacionamento consumam a própria vida e prejudiquem seus estudos e esforços para melhorar a si mesmo nessa fase crucial e extraordinária da juventude. Os jovens jamais devem perder a firme determinação de estudar e se desenvolver, não importando o que digam ou façam.


Os jovens precisam ser sábios e fortes

Seikyo Shimbun: Hoje, vemos muitos casos de a internet ser usada para vitimar ou tirar proveito da criança e do adolescente. Existem seres cruéis e sem escrúpulos em todo lugar.


Presidente Ikeda: Isso é verdadeiro. Nichiren Daishonin alerta: “Amigos cruéis se utilizarão de palavras persuasivas, enganarão e elogiarão, falando de maneira inteligente, ganhando assim o controle sobre a mente das pessoas ignorantes e desinformadas e destruirão o bom espírito que há nelas”.


Nada é mais trágico que a mente pura ser corrompida por indivíduos desonestos e sem princípios.

Os jovens precisam ser fortes. Ter uma filosofia na vida e estabelecer laços de apoio mútuo com pessoas genuínas e de bom coração é muito importante.

Vocês precisam ter a capacidade de reconhecer o que está errado ou o que é prejudicial e se manter longe dessas coisas. Se forem totalmente ingênuos, não serão capazes de defender o que é certo ou proteger o que é bom. Isso é fundamental.


Ao mudar a sua atitude, o outro também mudará

Presidente Ikeda: Nenhum de nós é perfeito, e enfrentamos problemas de vez em quando. Mas o importante é que vocês se esforcem para se tornar atores brilhantes no palco do drama da vida.


Na década de 1950, o Sr. Toda fez um treinamento com os membros da Divisão Feminina de Jovens, o Kayo Kai, e eles leram o romance O pequeno lorde. O protagonista da obra é Cedric, um rapaz americano. Após a morte de seus pais, Cedric é enviado à Inglaterra para viver com seu avô, membro da aristocracia. O arrogante e mal-humorado avô é gradualmente aquecido pela bondade inata e pela sinceridade de Cedric. Apesar de todos temerem o velho homem e não gostarem dele, Cedric acreditou no potencial e no bom coração de seu avô. E tanto que persistiu, tratando-o com respeito e amor, acabou conquistando seu coração endurecido.


O Sr. Toda comentou a história: “A confiança de Cedric no avô cura o coração endurecido daquele homem, mesmo já idoso, e transforma toda a situação”.


Quando se trata de relações humanas, nossa atitude pode mudar a atitude do outro. No escrito Registro dos Ensinamentos Transmitidos Oralmente, Daishonin diz: “É como quando a gente se olha num espelho e faz uma reverência: a imagem no espelho também nos faz reverência”. Se acreditarmos na natureza de buda de outra pessoa e verdadeiramente a respeitarmos e a valorizarmos, embora ela pareça resistir, a natureza de buda dela responderá à nossa. Os arrogantes que desrespeitam os outros acabarão perdendo a confiança e o respeito das pessoas à sua volta. Se respeitarmos a todos e sempre tentarmos descobrir o que podemos aprender com elas, nossa vida será rica e mais agradável. Seremos respeitados pelos outros e, em troca, assim como o exemplo do nosso reflexo se curvando diante de nós no espelho, teremos uma vida vitoriosa.


Sua forte fé transforma qualquer pessoa em aliada

Seikyo Shimbun: Algumas pessoas facilmente perdem a confiança quando as relações humanas não vão do jeito que esperam.


Presidente Ikeda: É por isso que é importante orar. É o poder da nossa profunda e forte determinação no momento da recitação do Nam-myoho-rengue-kyo que traz harmonia para as pessoas em nosso ambiente transformando-as em força positiva para criação de valores. Além disso, orar para a felicidade e bem-estar dos outros é a ação de um buda. Não há estado mais nobre de vida.


O Sr. Toda sempre nos lembrava de que no Sutra do Lótus consta: “Embora o demônio e os associados a ele estejam lá, todos protegerão a Lei Mística”. Se você tem forte fé, pode transformar qualquer um em seu aliado que apoiará a nobre causa da felicidade humana, o kosen-rufu.


Isso realmente funciona. É por essa razão que nada é melhor do que orar!”. Por meio da recitação do Nam-myoho-renge-kyo, transformamos um relacionamento numa relação budista de sorte e qualquer pessoa em influência positiva.


Seikyo Shimbun: Existe o sofrimento de conviver com pessoas maledicentes, que falam mal de nós pelas costas.


Presidente Ikeda: Nunca tenha medo disso. Mesmo as maiores personalidades do mundo foram criticadas e desprezadas. Daishonin descreve Hei no Saemon, que foi o principal instigador das perseguições contra ele, como um de seus “melhores aliados na obtenção do estado de Buda”. Referindo-se a esse comentário, o Sr. Toda declarou: “Nunca temam os inimigos. Seus ataques são apenas ventos rodopiantes que nos ajudam a manifestar o estado de buda”. Independentemente do que digam, vamos continuar a levar adiante a missão do Buda ao lado daqueles que estão sofrendo, orientando-os no caminho da genuína felicidade”.



Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.127, 14 abr. 2012, p. B1
TAGS:DIÁLOGOS

• comentários •

;