Torne-se feliz no local onde vive
  • ARTIGOS

Torne-se feliz no local onde vive

A verdadeira felicidade é conduzir um avanço de esperanças lutando contra as adversidades da realidade da sua vida, no lugar onde está

Discurso do presidente Ikeda proferido em 7 de dezembro de 1986 no Curso de Aprimoramento Conjunto no Bairro de Toshima, Centro Cultural Soka, Shinanomati, Tóquio.


No Ongui Kuden (Registro dos Ensinos Orais), Nichiren Daishonin explica a seguinte passagem do 28º capítulo, “Encorajamento ao Bodisatva Mérito Universal”, do Sutra do Lótus:

Esta pessoa se refere ao devoto do Sutra do Lótus. O lugar em que esta pessoa abraça e pratica o Sutra do Lótus é denominado Toukei Dojo (lugar de prática). Dojo (lugar) é onde vive a pessoa comum com seus dez estados de vida e não necessita se transferir para nenhum outro lugar. E a residência atual de Nichiren e seus seguidores que recitam Nam-myoho-renge-kyo, seja montanhas, vales ou desertos, todos são a “Terra da Luz Eternamente Tranquila”. Este é o significado de Dojo.

“Esta pessoa” se refere ao devoto do Sutra do Lótus, particularmente Nichiren Daishonin e, de forma geral, todas as pessoas que abraçam e põem em prática o Nam-myoho-renge-kyo dos Três Grandes Ensinamentos Fundamentais. O “lugar de prática” é justamente onde se abraça e se aprimora este ensinamento correto do budismo, o lugar em que nos esforçamos para atingir o estado de buda nesta existência.

Não há necessidade de se afastar deste mundo saha cheio de problemas e se transferir para nenhum outro lugar, como “A Terra da Felicidade” ou paraíso ideal. O lugar de prática não é outro senão aquele onde residem as pessoas comuns com seus dez estados de vida. E o lugar em que atualmente Nitiren Daishonin e seus seguidores recitam Nam-myoho-renge-kyo, seja nas montanhas, nos vales ou nos desertos, todos são a “Terra da Luz Eternamente Tranquila” ou, então, “A Terra do Buda”. Nichiren Daishonin se referiu a isso como Dojo (lugar). Essa passagem ensina que o lugar em que a pessoa se encontra pode se tornar a “Terra da Luz Eternamente Tranquila”, conforme a profundidade de sua determinação.


As pessoas muitas vezes tendem a pensar em felicidade como algo abstrato e distante da sua realidade. Elas imaginam, por exemplo, que seriam mais felizes se pudessem ir para outro lugar ou se pudessem desfrutar de uma vida diária mais prazerosa e plena se fossem trabalhar em outra empresa. Sempre sonham que a grama do outro lado é mais verde e manifestam expectativas com situações diferentes, especialmente se forem pessoas jovens.

Apesar de tudo, as pessoas possuem cada qual sua missão ou habitam diferentes lugares onde devem cumpri-la. É vitoriosa a pessoa que conseguiu conduzir todos os dias, com persistência, o fortalecimento de sua esperança, lutando de forma determinada contra as adversidades de sua vida, decidida a fincar profundamente as raízes aqui, neste mundo. O curso de uma vida jamais deve ser como as plantas aquáticas que não se assentam em lugar algum. Por isso digo “Cave debaixo de seus pés porque aí deve ter uma fonte” e “Tenha uma vida autêntica”.

Em suma, o senso de felicidade e o profundo senso de plenitude da vida estão dentro da própria vida. A Lei Mística é a Lei fundamental, e a prática da fé é a grande força motriz dessa percepção. Além disso, o local em que se realiza a prática da fé é a “Terra da Luz Eternamente Tranquila”, que é, ao mesmo tempo, a própria sociedade e pode ser transformada em “Terra da Própria Vitória e Felicidade”.



Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.227, 17 maio 2014, p. B1

TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;