Vamos treinar indivíduos talentosos
  • ARTIGOS

Vamos treinar indivíduos talentosos

Líderes devem lutar decididamente para preservar o mundo encorajador da Soka Gakkai e fazê-lo viver no coração de cada um

Com base em discurso proferido em uma conferência de líderes da Divisão Feminina realizada em Shinjuku, Tóquio, no dia 10 de fevereiro de 2006, com a presença da Sra. Kaneko e várias representantes do exterior.


Tenho dedicado todos os meus ganhos e energia a apoiar a Soka Gakkai e nossos preciosos membros com a finalidade de construir sólida base para o kosen-rufu. Estamos entrando agora no último estágio para assegurar essa base. Devemos empreender uma “revolução da liderança” para garantir a força e o eterno crescimento da Soka Gakkai.


Quando as pessoas se encontram numa posição mais elevada e param de ser desafiadas ou questionadas pelos que estão a sua volta, elas com frequência se tornam arrogantes e corruptas e tentam aparentar serem boas aos olhos dos outros. Os líderes da Soka Gakkai devem exercitar uma rigorosa autodisciplina para evitar isso. Não importando o que aconteça, líderes devem se empenhar pelo bem da organização e dos membros.


Se surgirem líderes interesseiros e arrogantes, é vital que vocês falem e corrijam-nos. E os dirigentes devem incentivar os membros a dizerem o que estão pensando. Se os dirigentes oprimirem os membros, acabarão afastando as pessoas talentosas e capazes. O primeiro presidente da Soka Gakkai, Tsunesaburo Makiguchi, insistia em que a organização devia ser liderada de baixo para cima. Os líderes não devem simplesmente falar aos membros ou dar-lhes ordens. É vital que os membros compartilhem abertamente seus pensamentos e opiniões com a liderança. Somente quando prevalecer um ambiente assim é que nossa organização terá um renovado progresso.


“Silêncio não é prudência, é covardia”,1 advertiu a poetisa e ativista espanhola dos direitos humanos Concepción Arenal (1820–1893). Não há nenhuma necessidade de se conter. Não falar é covardia. Nada mudará para melhor a menos que digam o que tem de ser dito. Espero que defendam a reforma e que corrijam rigorosamente qualquer líder corrupto ou degenerado. Isso é de extrema importância para estabelecer uma firme base para o futuro da Soka Gakkai.


A ativista americana dos direitos civis Virginia Durr (1903–1999) declarou: “Parece-me que essa tolerância ao mal criou um mal ainda pior”.2 E foi sua convicção de que, não importando o que acontecesse, ela continuaria a combater as pessoas que cometiam injustiça.3


É vital ser implacável contra a injustiça

Os membros da SGI são pessoas confiáveis e de bom coração. Assim, há sempre pessoas astutas e desonestas prontas para se aproveitarem deles. Por favor, nunca sejam enganados por essas pessoas. Não sejam tolos nem permitam que continuem com suas intrigas. É vital ser implacável na luta contra a injustiça e a corrupção; de outra forma, as pessoas boas e decentes sofrerão. Devemos manter uma vigorosa ofensiva contra as pessoas corruptas e inescrupulosas. Essa atitude é a forma mais elevada de justiça; é o mais grandioso bem. Também é importante agir de forma rápida e decisiva nessa batalha. A hesitação apenas ajuda a difusão do mal. Não menosprezem nem o menor sinal de advertência. Os líderes devem lutar decididamente para preservar o puro mundo da Soka Gakkai.


Há pessoas que conquistaram destaque social graças ao apoio da Soka Gakkai e depois se deixaram levar pela ambição pessoal e pelos interesses, ficando contra os companheiros e traindo-os. O filósofo e orador Sêneca, da antiga Roma, disse: “A ingratidão é, de fato, um vício abominável, e é intolerável”.4


Passei a vida combatendo essas pessoas ingratas e ao mesmo tempo protegendo o presidente Toda e trabalhando para tornar realidade todos os seus planos e ideais. Assim como há apenas um sol no céu, eu lutei ao longo dos anos com a convicção de que para mim há apenas um mestre, o Sr. Toda. Triunfei sobre cada obstáculo e adversário que procurou bloquear o caminho do kosen-rufu. É por isso que a Soka Gakkai prosperou e se tornou a organização que é hoje.


De acordo com os ensinamentos do Buda

Em O Verdadeiro Aspecto de todos os Fenômenos, Daishonin escreveu:

“Empenhe-se nos dois caminhos da prática e do estudo. Sem esses dois, não pode haver budismo. Deve não somente perseverar mas também ensinar aos outros. Tanto a prática como o estudo surgem da fé”.


Vamos avançar com alegria e coragem assim como Daishonin nos pede, seguindo o nobre caminho da fé, prática e estudo. E vamos treinar muitos indivíduos talentosos ao longo do caminho.


Compartilhar o budismo com os outros é extremamente difícil. Mas, mesmo que não vejamos resultados imediatos, não há nenhuma necessidade de ficarem desanimados. O Sr. Toda disse: “Capacitar as pessoas a se libertarem do sofrimento eternamente e no nível mais fundamental é um esforço extraordinário que não pode ser alcançado com a simples motivação. Não há tarefa mais importante que essa nem mais desafiadora”. Com o orgulho de estarmos realizando o mais nobre e sagrado trabalho do Buda, vamos continuar a nos empenhar com toda alegria, convicção e disposição para dialogar com as pessoas tendo por objetivo a expansão da esfera de felicidade, paz e esperança.


Em uma carta enviada para a monja leiga Senniti, Daishonin escreveu:

“Fortaleça sua fé mais do que nunca. Qualquer pessoa que ensine os princípios do budismo aos outros atrairá o ódio dos homens e das mulheres, dos monges e das monjas. Deixe que digam o que quiserem. Confie nos ensinos dourados do Sutra do Lótus, do buda Shakyamuni, de Tiantai, Miao-lo, Dengyo e Chang-an. É isso o que significa a expressão ‘praticar de acordo com os ensinamentos do Buda’”.


Sejam quais forem os obstáculos que enfrentarmos, não devemos nos intimidar nem retroceder. Quando entramos em contato com o decidido espírito de Daishonin, a ilimitada coragem interior brota em nossa vida. Precisamos continuar a avançar de acordo com os escritos de Daishonin, os ensinos dourados de Daishonin. “Praticar de acordo com os ensinos do Buda” é o firme caminho que leva à vitória.


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 1.846, 3 jun. 2006, p. A5
TAGS:ARTIGOS

Notas:

1. Concepción Arenal, Obras completas (Obras completas), in Biblioteca de autores españoles (Biblioteca de autores espanhóis). Madrid, Ed. Atlas, 1994, vol. II, pág. 220.
2. Virginia Foster Durr, Freedom Writer: Virginia Foster Durr, Letters from the Civil Rights Years (Escritora livre: Virginia Foster Durr, cartas dos anos dos direitos civis). Patricia Sullivan, ed. Nova York, Routledge, 2003, pág. 162.
3. Cf. pág. 416.
4. Seneca, Moral Essays (Ensaios Morais), in Seneca in Three Volumes (Sêneca em três volumes). John W. Basore, trad. Cambridge, Harvard University Press, 1964, vol. III, pág. 517.

• comentários •

;