Vencer a batalha contra nós mesmos
  • ARTIGOS

Vencer a batalha contra nós mesmos

O fator fundamental para conquistar a vitória é vencer a si próprio

É essencial vencer na vida. Por meio da vitória é que se consegue a felicidade e a glória. Se os senhores são derrotados, trazem a miséria não somente para si próprios mas para aqueles que os cercam.


A história do kosen-rufu será criada somente escalando e conquistando as montanhas da vitória uma após outra. Na prática budista não há meio-termo. Há somente uma sucessão interminável de avanços e desafios.


O fator fundamental para conquistar a vitória é vencer a si próprio. Podemos resumir o clássico chinês sobre a estratégia militar, A Arte da Guerra, de Sun Tzu, basicamente em dois pontos: vencer a si próprio e entender a psicologia humana.


Nós, que cremos no Budismo de Nichiren Daishonin, temos acesso à estratégia máxima — a estratégia do Sutra do Lótus. Por essa razão, gostaria de dizer aos membros da Divisão dos Jovens em particular: “Comecem travando uma batalha contra si próprios!” Agindo assim, espero que todos vocês tornem-se grandes líderes da fé que sejam bem versados nas questões do coração. As armas são essenciais em qualquer batalha. A nossa grande arma é a fé. Sinceridade e integridade são também importantes. Seja em nosso trabalho, introduzindo outros ao budismo, seja na área diplomática, a sinceridade é o meio pelo qual podemos conquistar o coração dos outros. E é essa sinceridade que fornece a chave da verdade, da vitória final. Manifestar sinceridade requer uma incrível dedicação e esforço, sem mencionar a oração. A luta de Nichiren Daishonin foi uma grandiosa batalha em prol da humanidade. A respeito de sua estada de dois anos no Monte Minobu, Daishonin, recordando as batalhas que enfrentou até então, escreveu: “Já sinto que alcancei a vitória.”


Acho essas palavras profundamente comoventes.


Lutemos! Vamos lutar!

Dezesseis de março de 1958 foi o dia da Cerimônia do kosen-rufu, quando o segundo presidente Josei Toda confiou a nós, membros da Divisão dos Jovens, o futuro do movimento pelo kosen-rufu.


Nesse dia, quando ele estava se preparando para nos deixar as diretrizes finais, o presidente Toda clamou: “Lutemos! Vamos lutar, está certo?” Seus olhos brilhantes e a força com a qual ele expressou essas palavras contradiziam sua condição física debilitada. Que palavras verdadeira e magnificentes ele nos legou!


Creio que seu clamor contém muitos significados: Incita-nos a lutar pelo kosen-rufu, a lutar contra o autoritarismo e a lutar para salvar as pessoas. O fervor de suas palavras acendeu uma chama dentro de mim que queima até hoje e provavelmente continuará assim por toda a eternidade.


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 1.511, 12 jun. 1999, p. C1
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;