Viver uma existência verdadeiramente feliz
  • ARTIGOS

Viver uma existência verdadeiramente feliz

Não há forma melhor de viver do que encarar os desafios

Com base no discurso do líder da SGI, Daisaku Ikeda, proferido na Reunião de Líderes de Divisão, em 28 de junho de 1993, em Tóquio.


Liev Tolstói declarou: “Regozije-se! Regozije-se! Nosso trabalho e nossa missão de vida são uma alegria. Regozije-se do céu, das estrelas, da relva, das árvores, dos animais e dos semelhantes”.

“Regozije-se!” — essa foi a suprema conclusão que o escritor e pensador russo chegou em sua existência.

Viver com alegria por toda a existência é a característica de um estado de vida elevado, de força e de felicidade. Uma existência que encara tudo com crítica e lamentação é miserável mesmo que, aparentemente, transmita uma ideia de bem-estar.

Em 1901, Tolstói foi excomungado pela Igreja Ortodoxa Russa. Na época, tinha 72 anos, uma idade já avançada. Os representantes da igreja pensaram que uma medida punitiva humilharia Tolstói, visto que era admirado por todo o mundo. Porém, ele não se abalou com a tática adotada pelas autoridades da igreja e apenas observou suas ações com serena dignidade.

“Regozije-se! Regozije-se!” — sua convicção se manteve firme. A chama de espírito de luta ardia ainda mais forte dentro dele.

A vida de Tolstói não era ausente de desafios e problemas. Ele sofrera para escrever, com a infelicidade de sua família e com a doença. Porém seu espírito sempre e a todo instante buscava criar alegria.

Essa maneira de viver é também a de um praticante budista.


Sabedoria e alegria

Nichiren Daishonin declarou: “Nam-myoho-renge-kyo é a maior de todas as alegrias”. Uma vida dedicada ao kosen-rufu é de suprema alegria. Daishonin também escreveu:

“Sinto imensa alegria mesmo estando exilado”; “Quanto mais as autoridades do governo me atacam, maior é a minha alegria”; “Quanto piores forem as adversidades que recaírem sobre o devoto, maior será a alegria que ele sentirá devido à forte fé”.

Quando as dificuldades surgiam, o Buda dizia: “O sábio se alegra, ao passo que o tolo recua”.

Quanto mais desafios enfrentamos, maior deve ser a nossa alegria e mais firme a nossa determinação para derrotá-los — esta é a essência do Budismo de Nichiren Daishonin e a maneira mais valorosa para se edificar uma existência.

Uma vida sem alegria é miserável. Aqueles que se enfraquecem diante das adversidades, que são sempre negativos, que estão sempre com aspecto sem energia, que não fazem nada além de criticar e reclamar, não estão vivendo como Daishonin ensina em seus escritos.

Aqueles que encontram alegria em tudo e que transformam toda circunstância em alegria são genuínos especialistas na arte de viver.

Os indivíduos verdadeiramente grandiosos são distinguidos pelas suas habilidades para suportar as críticas e as calúnias, edificando existências de plena realização.

Encarar tudo com alegria — quando vocês evidenciam essa alegria, serão capazes de criar o verdadeiro valor, elevando o espírito das pessoas que estão ao seu redor e fazendo surgir o sorriso no rosto delas.

O mais importante para os líderes é, acima de tudo, constantemente pensar em como podem fazer com que as pessoas avancem com alegria.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 2.243, 13 set. 2014, p. B3
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;