A satisfação de realizar algo
  • JUVENTUDE

A satisfação de realizar algo

No trecho extraído e adaptado do livro Be Brave — Voem pelos Céus da Esperança (p. 45-51), Daisaku Ikeda explica às crianças a importância de ter objetivos e de realizar esforços para concretizá-los

Quando sentem que mais se divertem? Claro, existem muitas maneiras de nos divertirmos. Uma delas é quando definimos uma meta e nos esforçamos ao máximo para alcançá-la, mesmo que seja difícil. Certamente, esses são os momentos em que nos sentimos mais vivos e satisfeitos. Isso é a verdadeira diversão.

Aqueles que chegam às Olimpíadas têm que passar por um treinamento árduo e sem interrupções. Mas o olhar deles está voltado para a vitória e eles sabem que estão dando tudo o que podem. Então, sentem-se muito satisfeitos. Por terem esse orgulho e essa alegria, conseguem suportar o treinamento árduo.

Alguns de vocês, no entanto, podem ter estabelecido uma meta, mas não conseguiram mantê-la por muito tempo. Eu entendo bem esse sentimento, mas, mesmo que isso dure poucos dias, tudo bem. Quando desafiam algo, mesmo durante três dias, alcançarão três dias de crescimento. Devem se sentir bem consigo mesmos por terem cumprido o objetivo por três dias. Não há necessidade de se sentirem mal por terem parado, apenas recomecem. Se repetirem isso dez vezes, completarão um mês inteiro!

Aqueles que conseguem renovar a determinação e tentar mais uma vez são os mais admiráveis, são vencedores. O importante é continuar a desafiar a si próprio e não desistir.

Nelson Mandela (1918-2013), ex-presidente da África do Sul e meu respeitado amigo, foi realmente uma pessoa de grande coragem. Ele persistiu em todos os desafios. Mandela era dez anos mais velho que eu e lutou para proteger os direitos humanos até falecer aos 95 anos.

Ele era um homem que jamais vacilou em sua determinação. Esteve na prisão por mais de 27 anos. São dez mil dias. Mas jamais desistiu de tentar alcançar a liberdade e a igualdade para todas as pessoas. Tudo isso num país onde a maioria negra foi maltratada e discriminada por muito tempo.

O Sr. Mandela adorava o poema intitulado Invictus. “Invictus” é uma palavra do latim e significa invicto, imbatível ou, simplesmente, o espírito de jamais desistir.

Em 1995, um ano depois de Mandela se tornar presidente, a Copa do Mundo de Rúgbi foi realizada na África do Sul. A equipe da África do Sul foi incentivada pelo Sr. Mandela. Nos atletas, ardia o espírito de “invictus”. Eles superaram corajosamente muitos obstáculos. E continuaram vencendo os times que diziam ser melhores que eles até conquistarem a taça.

Os jogadores ficaram muito felizes por vencerem pelo presidente Mandela e pelo povo sul-africano por meio do espírito invencível.

Aqueles que continuam a desafiar a si mesmos, mesmo que percam às vezes, certamente terminarão como campeões.

(...)

Estejam vocês estudando ou lendo, ter o espírito de continuar um pouco mais irá beneficiá-los no futuro. Quando sentirem vontade de desistir, incentivem-se a estudar mais cinco minutos ou ler apenas mais uma página.

Alguns estudos científicos recentes dizem que é muito bom para nosso cérebro quando sentimos uma sensação de realização depois de trabalhar duro para fazer algo. Isto é, quando desafiamos algo novo, nosso cérebro se torna ainda mais forte e aguçado.

Tenho continuado a escrever os romances em série Revolução Humana e Nova Revolução Humana [agosto de 2012]. Quero deixar registrada a grande história do meu mes­tre e encorajar meus companheiros. Escrevo uma página após a outra, uma parte depois da outra. No momento, o número de partes de ambas as séries totaliza mais de seis mil e quatrocentas. E estou determinado a continuar escrevendo, o melhor que posso, e transmitir o bastão Soka para vocês, meus jovens amigos.

De qualquer forma, uma juventude verdadeiramente divertida e gratificante é aquela que você cria por meio do seu próprio espírito de desafio.

Tente fazer o dia de hoje melhor que o de ontem e o de amanhã ainda melhor que o de hoje. Tais esforços levam a uma vida genuinamente grandiosa.

TAGS:JUVENTUDE

• comentários •

;